Três cães morrem em armadilhas de caça colocadas pela própria família nos EUA


(da Redação)

Foto: Care2
Foto: Care2

Em Wyoming (EUA), a família Cardenas teve de aprender uma lição da pior maneira. A lição diz respeito a armadilhas de laço, um método desumano de caça que está afetando animais domésticos e selvagens no território americano e certamente em diversas partes do mundo onde são utilizadas. Uma armadilha colocada pela família prendeu e matou três cães da raça São Bernardo que eram tutelados por ela. As informações são da Care2.

Brooklyn, Barkley e Jax

Conforme publicado no Casper Star-Tribune Online, as armadilhas dos Cardenas eram perfeitamente legais: elas foram armadas em propriedade privada, o seu tamanho estava dentro do padrão legal, tinham identificação, dispositivos considerados “adequados” e estavam ancoradas da maneira correta. Mesmo assim, nenhuma dessas regulações legais forneceram proteção suficiente para salvar a vida de seus três cães.

A saga dos Cardenas começou quando a cachorra Brooklyn, de 4 anos de idade, desapareceu. Eles procuraram por ela incansavelmente. Colocaram placas anunciando a procura ao redor da comunidade e postaram anúncios em mídias sociais.

Mas não havia notícias sobre Brooklyn. Foi quando os filhos do casal resolveram procurar pelas pastagens próximas à propriedade da família. Eles levaram seus outros cães da raça São Bernardo, Jax e Barkley, de 2 anos de idade, para auxiliar nas buscas.

E então o inesperado aconteceu. Barkley correu e foi capturado por uma armadilha, e Jax também foi pego por outra alguns metros depois. As crianças assistiram horrorizadas aos seus cães morrendo diante delas. Não havia nada que pudesse ser feito para impedir que os laços das armadilhas prendessem com força os pescoços dos cachorros. Instantes depois, um vizinho chegou ao local e encontrou o cão Brooklyn também morto, preso em uma armadilha.

A família não foi localizada para comentar o assunto. Jamie Hazelton, irmã da mãe das crianças, falou ao Casper Star-Tribune Online. Segundo ela, a família costumava passear com os seus cães no mesmo terreno, nos últimos quatro anos. Eles estavam preocupados com predadores como cobras, coiotes e texugos, por isso colocaram as armadilhas, sem ter se dado conta de que os cães também correriam risco. “Se eles tivessem tido essa consciência, teriam se preparado e sido mais cuidadosos”, disse Jamie.

Comparados a outros métodos de caça nos Estados Unidos, as armadilhas de laço são legalizadas. São utilizadas sobretudo no inverno, quando as peles de animais estão em alta demanda.

Jamie diz que a principal lição que restou da tragédia dos Cardenas é a lembrança do amplo uso que tem sido feito das armadilhas no estado de Wyoming, onde elas podem ser encontradas em qualquer propriedade pública.

Armadilhas são cruéis e indiscriminadas

Em um comunicado à imprensa da Born Free, Adam M. Roberts, CEO da Born Free dos Estados Unidos comentou as mortes de Brooklyn, Barkley e Jax. Como líder de uma organização comprometida com o bem-estar e a preservação da vida dos animais selvagens, Roberts considera as armadilhas como algo “bárbaro”, e conta que esse método mudou muito pouco desde o ano de 1600.

Roberts explica que esse incidente sem sentido é um exemplo perturbador de como essas armadilhas são “não seletivas”. Ele relata que isso ocorre repetidamente, quando pessoas armam tais armadilhas para capturar animais selvagens. “Elas pegam, mutilam, torturam e matam animais como coiotes, raposas, guaxinins e martas para alimentar a indústria das peles, e também animais domésticos – cães e gatos. Armadilhas são indiscriminadas e cruéis para os animais, e são um sério problema para a preservação e de segurança pública. Eu continuo me perguntando como essa antiquada crueldade ainda pode acontecer na América conforme chegamos ao ano 2015”.

Em 2012, o Dog Time divulgou o caso de Candi Nelson e seu cão Skylar, de dois anos de idade, que foram caminhar na propriedade rural de um vizinho quando Skylar foi pego por uma armadilha. Candi colocou os dedos sob a linha, e deseperadamente puxou o cabo, mas não foi suficiente, e Skylar sufocou-se em seus braços.

Em Fevereiro de 2014, a BBC contou que um gato da família Wales retornou para casa com um laço de armadilha enrolado em seu pescoço, e mal conseguia respirar. Cinco dias depois, exatamente o mesmo incidente aconteceu com outro gato da mesma família.

Todos os animais têm direito à vida, sendo eles domésticos ou não. Assim como cães e gatos não merecem morrer sufocados em armadilhas; coiotes, raposas, guaxinins e martas também não.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOB INVESTIGAÇÃO

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>