SeaWorld anuncia reestruturação em meio à maior crise de sua história


(da Redação)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Em meio a uma tempestade de crescente revolta sobre o tratamento dado às orcas cativas no SeaWorld, o CEO Jim Atchison está deixando o cargo. As informações são do The Dodo.

Atchison passará a ser o vice-presidente do conselho e presidente do Fundo de Conservação SeaWorld & Busch Gardens, bem como consultor da companhia. No mesmo comunicado, o SeaWorld também anunciou grandes planos de reestruturação da empresa, que irão resultar na eliminação de cargos.

O porta-voz do SeaWorld não informou se a decisão de Atchison foi voluntária, de acordo com o Orlando Sentinel.

Segundo uma declaração da empresa, David D’Alessandro, presidente da companhia, assumirá como CEO até que outro candidato seja escolhido. O SeaWorld explicou o programa de reestruturação que envolverá os seus onze parques:

“Este esforço irá centralizar algumas operações, reduzirá a duplicação de funções e aumentará a eficiência, além de acelerar a execução das tarefas. A reestruturação deverá resultar na perda de algumas posições, e a companhia irá oferecer benefícios de rescisão aos que forem impactados”.

“De modo a atingir os objetivos do realinhamento de nosso negócio, nós lamentamos que algumas posições deverão ser necessariamente eliminadas”, disse Atchison em um comunicado. “No entanto, nosso esforço de redução de custos é parte de um programa mais amplo para nos colocar em uma trajetória de crescimento a longo prazo”.

As mudanças vêm em um momento de crise financeira para a companhia. Na semana passada, as ações da SeaWorld atingiram a menor cotação desde que a empresa abriu seu capital em 2013. O valor de mercado de suas ações apresenta uma desvalorização de 50 por cento desde então.

A reação pública ao documentário “Blackfish” também contribuiu para a atual crise da empresa. O filme revelou práticas perturbadoras no tratamento aos animais pelo parque, incluindo riscos à segurança dos treinadores, bem como danos psicológicos, endogamia e lesões físicas entre as orcas.

Apesar da divulgação de alterações em sua estrutura administrativa, a companhia não mencionou mudanças com relação ao confinamento e maus tratos aos animais, que devem continuar da mesma forma, uma vez que seu negócio se baseia na exploração de animais para entretenimento humano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS

DENÚNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>