Periquitos mortos no AM seguem para MG; laudo deve sair em até 15 dias


Corpos de periquitos mortos em Manaus foram enviados pelo Correio (Foto: Divulgação/Ipaam )
(Foto: Divulgação/Ipaam )

Os corpos de 12 periquitos de asa branca mortos em Manaus foram enviados, nesta quinta-feira (4), para a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde deverão ser realizados exames toxicológicos para apurar a suspeita de envenenamento dos animais. Os pássaros foram encontrados mortos, na última semana, na Avenida Efigênio Sales, Zona Centro-Sul da capital amazonense.

De acordo com o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), que investiga o caso, 40 periquitos foram recolhidos, mas somente 12 seguiram para os exames toxicológicos. A necropsia feita em Manaus apontou morte por hemorragia interna – compatível com intoxicação (que pode ser por veneno, zinco, cobre, tintas), e traumatismo, por quedas, pancadas – em cinco pássaros, de acordo com o médico veterinário e analista ambiental do Ibama, Diogo Lagroteria.

Para o Ipaam, a realização de exames toxicológicos poderá ser um caminho para a descoberta da causa morte em massa dos periquitos. O envio para Minas Gerais foi pelo Sistema Sedex, despachado na agência dos Correios que funciona na Rodoviária de Manaus. O volume contendo as aves pesou 10,7kg e seguiu acompanhado por uma Licença Ambiental que autoriza a saída de Manaus para outro Estado legalmente.

Ainda segundo o Ipaam, o material foi congelado com gelo seco e acondicionado em caixa própria para armazenamento de material biológico, de modo que não comprometesse a mostra a ser analisada. O material deve chegar na UFMG em 24 horas. A previsão de retorno dos resultados é de 10 a 15 dias.

40 periquitos foram recolhidos, mas só 12 seguiram para os exames toxicológicos (Foto: Divulgação/Ipaam)
40 periquitos foram recolhidos, mas só 12 seguiram para os exames toxicológicos (Foto: Divulgação/Ipaam)

Em nota, o Ipaam explicou que a Universidade Federal de Minas Gerais foi selecionada para efetuar o exame toxicológico por ser a única no Brasil a possuir programa de pós-graduação específico em manejo e conservação de aves silvestres, proporcionando segurança e credibilidade na confirmação ou descarte da hipótese de envenenamento.

Telas

Os animais mortos foram encontrados nas proximidades do Condomínio Residencial Ephigênio Salles, onde, em janeiro de 2012, telas de proteções foram instaladas nas copas de palmeiras para evitar a morte das plantas.

Na época, o chefe da fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Wellington Alzier, havia informado que a tela de proteção impedia que aves, que todos os dias pousam no local, destruíssem as copas das palmeiras.

A ação causou polêmica entre representantes de Organizações não governamentais (ONGs) de proteção dos animais. Na ocasião, a Semmas informou ainda que, após um mês, seria realizada a retirada das telas para verificar se as aves retornariam ao local ou se já estariam utilizando outras áreas como dormitório. Após dois anos, as telas permanecem nas palmeiras.

Entenda o caso

Cerca de 200 periquitos foram encontrados mortos, na manhã de quinta-feira (27), na Avenida Efigênio Sales, situada na Zona Centro-Sul de Manaus. A suspeita é de que as aves tenham sido envenenadas. O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM) apura o caso.

Periquitos costumam ficar presos em telas de palmeiras (Foto: Reprodução/TV Amazonas)
Periquitos costumam ficar presos em telas de
palmeiras (Foto: Reprodução/TV Amazonas)

Por volta das 10h30 desta quinta, os animais estavam caídos na pista, no sentido bairro/centro, e no meio-fio da avenida. Uma testemunha, que não quis ser identificada, relatou, ao G1, ter visto na noite da quarta-feira (26) um homem mexendo na árvore e no chão próximo ao local onde os animais estavam. Ela afirmou acreditar que se tratasse de veneno.

O IPAAM informou, por meio da assessoria de comunicação, que uma equipe do departamento de fauna será enviada ao local para apurar a situação e apontar um diagnóstico sobre o que resultou na morte dos pássaros. O resultado das investigações será divulgado após análise dos órgãos das aves mortas.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ESTUDO

FINAL FELIZ

MIGRAÇÃO

EXPLORAÇÃO

APELO

LUTO

FLORIANÓPOLIS (SC)

SÃO PAULO

INOVAÇÃO

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>