Grupos de proteção animal conseguem proibir competições de caça a coiotes no Oregon


(da Redação)

Foto: ALDF
Foto: ALDF

A organização sem fins lucrativos Animal Legal Defense Fund (ALDF), juntamente com os co-autores do Projeto Coyote e um residente do Oregon deram entrada em um processo contra Duane Freilino, organizador do JMK Coyote Hunting Contest em Crane, no condado Harney, no Oregon (EUA), e tiveram êxito em seu objetivo. As informações são da ALDF.

No evento, que consiste em uma competição anual de caça, os caçadores pagam uma entrada de 100 dólares para participar, e os times considerados vencedores ganham prêmios totalizando mais de 10 mil dólares de acordo com o número de animais mortos.

Segundo o texto do processo, o evento inclui um sistema de apostas e é caracterizado como jogo de azar, o que é ilegal e considerado  como perturbação da ordem pública no estado do Oregon. Em resposta à ação judicial, Freilino apresentou um contraposto de 100 mil dólares. Argumentando que isso foi uma tentativa de intimidação, os grupos preencheram uma moção para  destituir o contraposto, levando Freilino a abandonar a sua reivindicação e liquidar o processo contra ele ao concordar em nunca mais promover outra competição de caça no Oregon, e pagar 5.252 dólares em honorários advogatícios para grupos de proteção animal.

Edições anteriores do JMK resultaram na morte de aproximadamente 150 coiotes. Conforme as leis relacionadas à vida selvagem no Oregon, não há limites ou restrições para a matança de coiotes no estado. Grupos ambientalistas e de direitos animais vêm expressando preocupação quanto ao risco que essas competições trazem para o habitat e para a vida selvagem, e refutam os argumentos de que tais eventos servem como ferramenta de gerenciamento das espécies. O escritório do Federal Bureau of Land Management do Oregon negou  previamente uma autorização especial para a competição, que aconteceu em local público.

“A maioria das pessoas está chocada por saber que é legal matar coiotes, raposas, linces e outros animais selvagens como parte de uma competição ou torneio em troca de prêmios e ‘recreação’ ”, disse Camilla Fox, fundadora e diretora executiva do Projeto Coyote. “Elas ficam ainda mais chocadas ao tomar conhecimento de que centenas de eventos do tipo acontecem a cada ano nos Estados Unidos, matando milhares de animais selvagens”. O Projeto Coyote está  atualmente liderando uma campanha pela proibição de competições de caça a vida selvagem na Califórnia.

“As mortes em massa de coiotes e de outras espécies nativas durante competições são cruéis e ambientalmente destrutivas”, disse Stephen Wells, diretor executivo da Animal Legal Defense Fund. “Coiotes são indiscriminadamente explodidos a bala em nome do lucro, e a ALDF está satisfeita em informar que agora centenas de coiotes poderão viver em paz nos preciosos ecossistemas da natureza do Oregon”.

A ALDF foi fundada em 1979 com a missão de proteger a vida e promover os interesses dos animais através do sistema legal.

O Projeto Coyote é uma coalizão de educadores, cientistas, fazendeiros e líderes comunitários da América do Norte que visa promover a coexistência pacífica entre as pessoas e a vida selvagem, e a preservação compassiva através da educação, da ciência e do direito.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AÇÃO HUMANA

TRAGÉDIA

MASSACRE

ESTUDO

FINAL FELIZ

MIGRAÇÃO

EXPLORAÇÃO

APELO

LUTO

FLORIANÓPOLIS (SC)


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>