Andorinha é encontrada presa a filhote por isca de pesca nos EUA


(da Redação)

Foto: Care2
Foto: Care2

A International Bird Rescue (IBR) é uma organização dedicada a ajudar pássaros aquáticos, principalmente aqueles que são prejudicados por derramamentos de óleo no mar.  No final do mês passado, um membro descobriu uma cena terrível. Enquanto verificava a colônia de pássaros da espécie “Elegant Tern” (“andorinhas-do-mar”) na Terminal Island próxima a Los Angeles (Califórnia, EUA), o biólogo Nick Liberato encontrou um filhote preso ao corpo de sua mãe por uma isca de pesca de três pontas. As informações são da Care2.

“Eu os vi quando estava conduzindo alguns filhotes perdidos de volta, através da cerca”, disse Liberato. “Como geralmente acontece, pássaros emaranhados tornam-se perceptíveis quando o restante da colônia foge no momento em que alguém se aproxima”, explica ele. “A princípio, pensei que estavam somente envolvidos em uma linha de pesca, mas quando eu vi a isca perfurando a ambos, eu soube que minhas ferramentas não seriam adequadas e trouxe-os ao IBR o mais rápido possível”.

Isca removida dos corpos das aves. Foto: Care2
Isca removida dos corpos das aves. Foto: Care2

A andorinha mãe estava com ferimentos em sua asa, e o filhote teve ganchos da isca encravados em sua perna esquerda e na asa. Uma cirurgia foi realizada e os dois foram separados, mas ainda estão recebendo cuidados intensivos e têm um prognóstico reservado. Os ferimentos do filhote foram mais graves. Andrew Harmon, Diretor de Marketing e Comunicação do IBR, disse que a chance de sobrevivência é de 50%, a ambos.

Tratamentos com ataduras e antibióticos estão sendo ministrados em uma tentativa de salvar as suas vidas. O IBR informou que tem visto casos de linhas de pesca emaranhando e ferindo muitas aves de uma vez, mas é a primeira vez que eles viram uma isca ferindo mãe e filho.

As andorinhas-do-mar (“Elegant Terns”) são protegidas nos Estados Unidos em nível federal, mas a fiscalização da lei sobre colônias de vida selvagem é muito difícil. A pesca sempre representou um perigo às aves aquáticas, e em casos como esse da mãe e do filhote, não há meios de se descobrir quem causou o dano.

Assim que os dois estiverem recuperados, o IBR planeja soltá-los de volta à natureza.

Foto: Rebecca Duerr / Bird Rescue
Foto: Rebecca Duerr / Bird Rescue

Sobre a espécie

O nome científico das “Elegant Terns” é “Thalasseus elegans”. Seu nome deriva da graça do vôo das andorinhas. Durante a época de reprodução, elas ostentam uma coroa preta.

Essas aves se reproduzem em uma pequena ilha da costa de Baja Califórnia, no México. Durante o inverno, migram para o Peru, Equador e Chile. Elas se alimentam principalmente de peixes em águas oceânicas, e os machos oferecem peixe para as fêmeas como parte do ritual de acasalamento. Não são agressivas por natureza e muitas vezes fazem ninhos perto de áreas habitadas por gaivotas e outras aves mais agressivas para proteção contra predadores.

 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO

ACIDENTE

CRUELDADE

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>