Cerca de 300 cães estão abandonados em lixão de São João del Rei (MG)


Foto: Reprodução/TV Integração
Foto: Reprodução/TV Integração

O aterro sanitário de São João del Rei, no Campo das Vertentes, tem se tornando uma espécie de depósito de animais abandonados, de acordo com a presidente da Associação Protetora dos Animais de Barbacena, Mara Nogueira. Segundo ela, o que tem contribuído é a inauguração de um condomínio do “Minha Casa, Minha Vida”, no Bairro Tijuco. “Não é permitida a presença de animais no local. Com isso, os cães estão sendo deixados no lixão da cidade”, alegou.

O resultado é um acúmulo de animais, muitos deles já doentes, em um ambiente sem nenhuma estrutura. A assessoria do Ministério das Cidades, responsável pelo programa residencial, informou que não há regra que impeça a permanência dos animais no condomínio. Já a Prefeitura da cidade disse que vai reunir as secretarias para solucionar o problema.

A presidente da associação também comentou que nesses apartamentos têm muito espaço e questionou a possibilidade de construção de um canil comunitário para os animais domésticos dos moradores. “Cada um teria o seu canil, a sua chave e cuidaria do seu cão. Passearia com ele de dia e de noite guardaria o animal no local”, sugeriu.

Mara Nogueira afirmou ainda que é impossível receber e cuidar de tantos cães porque os seis lares temporários já estão superlotados. Mas também destacou que alguma providência precisa ser tomada para a retirada dos cães do aterro sanitário e das ruas. “A Prefeitura nos repassa uma verba de R$ 2.500 para a gente fazer castração em animais de rua. Até então estávamos felizes porque víamos uma diferença na cidade, com a diminuição dessa população canina. Contudo, de repente vêm todos esses animais para cá e a gente não esperava. Não temos mais condições de pegá-los”, concluiu.

Segundo o catador de lixo Francisco Paiva, existem centenas de cães espalhados por todos os pontos do aterro sanitário revirando em meio ao lixo e em busca de comida. De acordo com ele, desde o início de 2014 a chegada de novos cães aumentou. E o número de abandonados é de cerca de 300 animais.

Sobre a possível relação com o condomínio do “Minha Casa, Minha Vida” com a proibição de animais e soltura nas ruas da cidade, a assessoria do Ministério das Cidades em Brasília, responsável pelos programas, informou à produção do MGTV que não existe regra contratual que impeça o morador de ter um animal doméstico no condomínio. Informou, também, que o estatuto é votado e previsto como em qualquer um outro condomínio, através da participação dos moradores e com a coordenação de um síndico ou de uma empresa que administra as unidades.

Já a Prefeitura de São João del Rei informou que não conta com canil próprio, mas aluga três boxes onde abriga cães atropelados. Disse ainda que está reunindo todas as secretarias envolvidas com os problemas para tentar uma solução. Porém, não deixou claro se vai até o aterro recolher ou castrar os animais que vivem no local.

Fonte: G1

 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>