Censo do papagaio-de-cara-roxa mostra aumento no litoral e preocupação em Guaratuba (PR)


O censo do papagaio-de-cara-roxa no litoral do Paraná aponta que a população se mantém estável apesar de um aumento expressivo no número de espécimes registradas este ano. O levantamento concluído no início de junho e divulgado na segunda-feira (30) foi 12º realizado no Paraná e o 2º em São Paulo. No Paraná foram registradas 5.959 aves em seis dormitórios – 13% ou quase 800 indivíduos a mais na comparação com o ano passado, quando o número foi de 5.160.

Elenise Sipinski, bióloga e pesquisadora responsável pelo projeto no Paraná explica: “Para considerarmos um crescimento, os dados precisam ser mantidos durante os anos. O fato de a população não ter diminuído já revela que os esforços para a conservação vêm sendo positivos para a espécie”, afirma.

Elenise Sipinski disse que os maiores registros ocorreram em Unidades de Conservação de Proteção Integral, como o Parque Nacional de Superagui, em Guaraqueçaba, e a Estação Ecológica Ilha do Mel, em Paranaguá. “Registramos quatro mil indivíduos nestas unidades, ou seja, quase 70% da população total”, diz.

Um fato intrigante desta edição do trabalho, no entanto, foi a ausência de aves no dormitório de Guaratuba, onde a população registrada nas edições costuma ser menor, em torno de 25 indivíduos. Para Elenise, o fenômeno pode ser explicado pelo fato de a região já ter sido muito alterada no passado e a espécie alvo de captura. “Voltaremos em breve para nos certificar da situação”, diz.

São Paulo

Em São Paulo, as contagens foram em sete dormitórios localizados na Ilha do Cardoso, Ilha Comprida, Cananeia e Itanhém, totalizando 1.492 indivíduos. É o segundo ano que a SPVS realiza o levantamento no Estado. Ano passado, o número foi de 926, quantidade menor que a esperada, possivelmente, em virtude do uso de fogos de artifício próximos a alguns dormitórios durante festividades na região. O barulho pode ter espantado as aves.

Cerca de 50 pessoas se envolveram na ação, entre elas, integrantes do Projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa, moradores da região contratados para auxiliar as equipes e pesquisadores e voluntários das áreas de ornitologia e biologia, por exemplo. Representantes do Cemave (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres), FunBio (Fundo Brasileiro para a Biodiversidade) e PADF (Pan American Development Foundacion) também acompanharam a iniciativa.

Santa Catarina

No litoral de Santa Catarina, área também considerada como de ocorrência da espécie, desde 2011, a equipe vem buscando registros. Para Maria Cecília Abbud, bióloga e integrante do projeto, a “ausência das aves pode indicar a diminuição do habitat da espécie em virtude de alterações do espaço”.

O que é o Censo do Papagaio-de-cara-roxa?

O projeto de Conservação do Papagaio-de-cara-roxa desenvolvido peao SPVS (Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental) no litoral do Paraná, principalmente em Guaraqueçaba, desde 1998, tem o objetivo de conhecer, proteger e monitorar a população de papagaios, a floresta e apoiar pessoas da região por meio de atividades educativas, geração de renda e contratação de moradores para auxiliar nas ações do projeto.

Em 2011, começaram trabalhos em Santa Catarina e, em 2013, no litoral de São Paulo. Para realizar o Censo, equipes são posicionadas nos dormitórios coletivos, onde os papagaios se concentram para passar a noite. É possível contabilizá-los quando se deslocam para os dormitórios no final do dia e ao amanhecer, ao deixarem o abrigo para buscar alimentos na floresta. As contagens são repetidas quatro vezes em cada dormitório.

Fonte: Correio do Litoral.com


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA

JAPÃO

PRESERVAÇÃO

DESESPERO

CONSOLO

CALIFÓRNIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>