Questionando o óbvio - luciano carlos cunha

O que é especismo?

Comparação

Especismo é dar uma consideração desfavorável injusta a indivíduos que não pertencem a uma ou mais espécies. É um termo para se fazer uma analogia com o racismo. O especismo acontece toda vez que se dá uma consideração desfavorável a membro(s) de determinada(s) espécie(s) quando esse desfavorecimento é injusto.

O especismo acontece independentemente…

(1) Do grau de discriminação: assim como o racismo, o especismo não acontece somente quando se desconsidera totalmente o bem de um indivíduo, mas toda vez que a consideração que se dá a ele é menor do que seria justo.

(2) De se causar sofrimento: assim como é possível uma posição ser racista sem causar sofrimento às vítimas, é possível uma posição ser especista e não causar sofrimento às vítimas (causar outros tipos de danos injustamente, como por exemplo a morte ou impedir algum benefício que a vítima desfrutaria).

(3) De se causar morte: assim como é possível uma posição ser racista sem necessariamente matar as vítimas, é possível uma posição ser especista e não causar a morte das vítimas (causar outros tipos de danos injustamente, por exemplo).

(4) De se estar a escravizar, explorar, usar o indivíduo em questão: assim como o racismo, o especismo acontece quando membros de determinada(s) espécie(s) estão, injustamente, em uma situação pior do que membros de outra(s). Isso é assim independentemente da causa dessa situação ser a escravatura, exploração, uso, ou não. É, obviamente, racista dizer “não temos dever de socorrer os membros desta(s) raça(s) porque os males que os atingem não são fruto da escravidão, e sim, de acontecimentos naturais como doenças e morte por inanição”. Da mesma maneira, é especista afirmar “não temos dever de socorrer os membros desta(s) espécie(s) porque os males que os atingem não são fruto da escravidão, e sim, de acontecimentos naturais como doenças e morte por inanição”.

(5) Da espécie escolhida como critério de favorecimento/desfavorecimento: assim como o racismo não acontece apenas quando se defende que os membros da raça x devem ser favorecidos injustamente, o especismo não acontece apenas quando se favorece injustamente os membros de determinada espécie (por exemplo, humanos), mas sim, quando se favorece injustamente a membros de determinada(s) espécie(s) sobre membros de outra, não importando quais espécies.

(6) Da razão oferecida como critério de discriminação ser o pertencimento à própria espécie ou alguma outra razão: o racismo não acontece somente quando se dá como motivo para a discriminação o fato de alguém pertencer à determinada raça. Acontece, por exemplo, também quando se diz “membros da raça x devem ser discriminados porque possuem a característica y”. Da mesma maneira, o especismo não acontece somente quando se dá como motivo para a discriminação o fato de alguém pertencer à determinada espécie. Acontece, por exemplo, quando se diz: “membros da espécie x devem ser discriminados porque possuem a característica y”. Assim sendo, afirmar que “estamos justificados a discriminar os animais não humanos porque eles são menos inteligentes” é também especismo, assim como seria racismo dizer “estamos justificados a discriminar os membros da raça x porque eles são menos inteligentes”. Especismo indireto também é especismo, porque em ambos os casos está-se a desfavorecer injustamente a alguém que pertence a determina espécie.

(7) Da importância dos interesses que estão em conflito: assim como o racismo, o especismo não acontece somente quando se favorece o interesse banal de membros de um grupo em detrimento de um interesse vital de membros de outro grupo. Essas são formas mais extremas de racismo e especismo (incrivelmente, essa forma mais extrema de especismo é praticada todos os dias pela maioria de nós, que consome produtos de origem animal, já que causa sofrimento intenso e morte a indivíduos de um grupo com vistas a fomentar o interesse por um tipo de comida específica não necessário a membros de outro). Contudo, o especismo acontece também quando se dá consideração em graus diferentes para interesses que são semelhantes.

4 COMENTÁRIOS

  1. Oi Luciano,
    O seu artigo esta muito bom, e claro, mas mesmo assim, devido a inabilidade em ler, e ler com calma, dos meus alunos; tenho que traduzir esses 7 pontos que ressaltou para uma linguagem mais corriqueira. Isso é uma coisa que me preocupa há tempos, a nossa linguagem filosofica, tecnica. O povo não tem o habito de leitura, ler filosofia piorou, aí fico pensando nos meios de atingir a massa com esse conhecimento.
    Abs,

    • Olá, Leon! Obrigado pelo elogio e pelo comentário! Bom, primeiramente quero dizer que concordo com o objetivo que você tem em mente, que é o de sempre apresentar as coisas com uma linguagem o mais clara possível. Eu, pessoalmente, não consigo dizer o que está neste texto de uma forma mais simples do que essa (ao meu ver, está bastante simples…por exemplo, só há ali termos que se usa no dia-a-dia… discriminação, desfavorecer, injusto, interesses, morte, escravidão…são todos termos que a maioria de nós usa o tempo todo).

      O que poderia facilitar é explicar detalhadamente cada frase, só que daí o texto fica maior, e isso faz com que menos gente leia. Também é difícil procurar por sinônimos que, ao mesmo tempo, captem tudo o que a palavra original queria dizer. Opto por usar esses termos também porque são termos “padrão” nesse assunto. E, pode complicar mais se começarmos a usar outros termos para nos referirmos à mesma coisa. Mas, aceito sugestões. Se alguém tiver uma idéia de como re-escrever partes desse texto de maneira mais simples e quiser me enviar, seria ótimo.

      Ao meu ver, adotar o que se chama de “forma técnica” de escrever, só ajuda a tornar mais claro o texto. Isso porque a “forma técnica” não usa palavras difíceis, nada disso…apenas apresenta-se as idéias de uma forma mais organizada, define-se os termos que se usa, monta-se os argumentos de modo que fiquem bem expostos, etc.

      O que pode acontecer também é o seguinte: muitas vezes acontece de as pessoas não estarem interessadas no assunto e dizem que não leem porque não entendem. Mas, muitas vezes o motivo não é esse. Quando é algo que lhes interessa, as pessoas leem coisas muito mais complicadas.

      Mas, enfim, aceito sugestões de como tornar os textos mais claros.

      Grande abraço!

  2. Como é bom, excelente ler algo tão inspirador, elucidador e que engrandece-nos como seres.
    Só resta, de verdade!, agradecer a voce, caro Luciano, nos oportunizar ler algo desse nível.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui