Bicho-preguiça interrompe o fluxo de veículos em avenida no interior do Acre


Foto: Vanísia Nery/G1
Foto: Vanísia Nery/G1

Um bicho-preguiça parou o trânsito na Avenida 25 de Agosto, uma das mais movimentadas de Cruzeiro do Sul (AC), na noite de quarta-feira (2). O animal atravessava de um lado para o outro da via e mais de dez veículos tiveram que esperar o mamífero terminar o percurso para seguir seus destinos.

Populares que passavam pelo local acionaram o Corpo de Bombeiros para fazer o resgate e protegiam o animal, alertando os condutores sobre a presença da preguiça na pista.

“Nós íamos passando aqui e vimos a preguiça em cima da calçada. Paramos para impedir que os carros batessem nela, porque ela já estava descendo para rua”, explica a estudante Maiara Castro.

O animal levou aproximadamente 15 minutos para atravessar a via e durante esse tempo os carros e motos tiveram que esperar nos dois sentidos. Ao lado da avenida fica situada uma área de mata do Exército, de onde provavelmente o animal tenha saído. Segundo informações do Corpo de bombeiros esta já é a segunda vez que o resgate é realizado.

“A população atualmente está mais consciente de devolver os animais encontrados. Antes eles maltratavam, batiam, chegavam até a matar, mas ainda bem que esse pensamento mudou, e agora a maioria das pessoas ajudam”, diz o sargento do Corpo de Bombeiros, Mauro Messias.

Devido as grandes garras do animal foi preciso que quatro bombeiros o segurassem para colocá-lo dentro da viatura. De acordo com o sargento que atendeu a ocorrência, o animal será devolvido para uma área de mata fechada, onde não existam riscos de retornar para área urbana, sendo entregue em seu habitat natural.

“Quando a população se deparar com esse tipo de ocorrência deve sempre acionar os Bombeiros através do telefone 193, que nós daremos o destino certo para esses animais”, disse o sargento.

De acordo com a bióloga Joseline Guimarães, o animal trata-se de uma preguiça-de-hoffmanni (Choloepus hoffmanni), comum na região. Essa espécie possui apenas dois dedos e suas garras são muito curvadas para auxiliar sua permanência nas copas das árvores e mantê-las na mesma posição até mesmo durante o sono, a alimentação e o parto. “Só utilizam o chão da floresta para se deslocar para uma outra árvore, ou para defecar. A espécie é noturna e solitária, o macho e a fêmea só se encontram no período do acasalamento. O período de gestação é de nove a dez meses, nasce apenas um filhote. Alimenta-se de folhas, frutas e raízes”, diz.

O biólogo Enevaldo de Souza acrescenta que o crescimento populacional é um dos fatores principais para ocasionar a saída dos animais de seu habitat natural. “Eles acabam fugindo e buscando outros locais. O desmatamento ocasiona a escassez de comida, por exemplo, e isso aumentou bastante nos últimos anos. Os animais saem em busca de alimentação e abrigo, após ter seu habitat natural invadido”, finaliza.

Fonte: G1

 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COVARDIA

CRUELDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA

VITÓRIA

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA

JAPÃO

AVANÇO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>