Depois da girafa Marius, zoológico dinamarquês mata família de leões


Uma das duas leoas do Zoológico de Copenhagen (Foto: Divulgação / Zoológico de Copenhagen)
Uma das duas leoas do Zoológico de Copenhagen (Foto: Divulgação / Zoológico de Copenhagen)

Pouco mais de um mês após matar a girafa Marius, o Zoológico de Copenhagen, na Dinamarca, tirou a vida de mais quatro animais: dois filhotes e dois leões adultos. Todos, assim como Marius, em saúde perfeita.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, a medida foi tomada para poupar sofrimento dos animais. Segundo o zoológico, os quatro eram os leões mais fracos, e não conseguiriam se defender de um novo leão, feroz e de comportamento agressivo, que chegou na segunda-feira (24) no local. “Eles seriam atacados pelo leão na primeira oportunidade e não resistiriam aos ferimentos”, justifica o Zoológico de Copenhagen. “Esse é um tipo de comportamento que faz parte da natureza dos leões.”

Os veterinários pretendem fazer com que o leão, de aproximadamente 130 quilos, cruze com as duas leoas do zoo, que chegaram, recentemente, à fase ideal para procriação. “Estamos orgulhosos de ser um dos poucos zoológicos do mundo a criar sua própria ninhada de leões”, afirma Steffen Straede, um dos diretores do local.

O zoo afirmou que, apesar das tentativas, não conseguiu encontrar um novo lar para a família de leões. A morte induzida dos quatro animais foi realizada na segunda-feira (24), horas antes do novo leão ser colocado junto com as leoas. Os quatro animais pertenciam à mesma família.

Há mais de um mês, a girafa Marius teve o mesmo destino dos leões. Sua morte foi internacionalmente repercutida. O animal fora morto e dissecado na frente dos visitantes – inclusive, muitas crianças. Na época, parte da imprensa e ativistas dos direitos dos animais criticaram a conduta do zoológico e disseram que não havia justificativas plausíveis para assassinar o animal. No caso de Marius, os veterinários argumentaram que ele deveria morrer porque corria o risco de cruzar com parentes próximos. Assim como no caso dos quatro leões, o zoológico afirmou que não havia espaço físico para alocar o animal. Nos dois casos, matar os animais foi uma solução mais fácil e rápida do que encontrar um novo lar para eles.

Há mais de um mês, visitantes do Zoo de Copenhagen puderam assistir à necrópsia e desmembramento da girafa Marius (Foto: AP Photo/POLFOTO, Peter Hove Olesen)
Há mais de um mês, visitantes do Zoo de Copenhagen puderam assistir à necrópsia e desmembramento da girafa Marius (Foto: AP Photo/POLFOTO, Peter Hove Olesen)

Fonte: Época

 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA

COMPAIXÃO

DESGOVERNO

CONSERVAÇÃO

BONDADE

DEMANDA

AFETO

PROTEÇÃO ANIMAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>