Família muda e abandona dois cães na rua


Dois cães foram abandonados pelos ex-moradores de uma casa na rua Professor Arlindo Silvestre, no Jardim Gustavo Piccinini, após mudança. Segundo relatos colhidos pelo Jornal de Limeira, desde sábado, data em que a família deixou a casa em definitivo, uma poodle e uma SRD foram deixadas na rua, sob a alegação de que no novo imóvel em que vão morar não pode haver qualquer tipo de animal.

Foto: Jornal de Limeira.
Foto: Jornal de Limeira.

“Antes deles (família) se mudarem, eu vi os filhos da mulher colocando os dois cachorros no carro e os oferecendo para algumas pessoas que moram em ruas próximas daqui, porém, ninguém quis. Após isso, no sábado, data em que entregaram as chaves da casa para a imobiliária responsável, simplesmente deixaram os cães em frente à residência. Só me contaram que onde irão morar, o dono da casa não queria nenhum cachorro nela”, disse uma das vizinhas, Regina Letícia.

Os animais abandonados sequer tinham água ou comida, situação contornada com a ajuda dos vizinhos. “Era o mínimo que podíamos fazer. Coloquei água e, à noite, deixo um pouco de ração para eles comerem. Dá muita dó, porque eles (cachorros) quase não saem da frente da casa. Pelo jeito, alguém já pegou a poodle para criar, pois não está mais aqui. Agora, a SRD continua aqui e a situação piora, porque ela está no cio. Outros cachorros não param de ir para cima dela”, apontou a mulher.

Outra moradora da rua disse que já entrou em contato com o Departamento de Zoonoses, mas, no atendimento, foi informada que a equipe não pode atender casos como esse, somente se os cachorros estiverem machucados. A antiga moradora da casa não foi localizada.

Situação

Segundo Larissa Maluf, diretora da Alpa (Associação Limeirense de Proteção aos Animais), os vizinhos dessa residência ou qualquer outra pessoa que tenha os dados dos tutores podem realizar um boletim de ocorrência relatando a situação do abandono. “Vale lembrar que abandono é crime federal (Art. 32 da lei 9.605, de 1998)”, citou Larissa.

A diretora da entidade também instrui que caso algum morador possa abrigar temporariamente os animais, deve enviar foto e telefone de contato para o e-mail da Alpa (alpalimeira@hotmail.com) ou via Facebook , com o intuito de conseguir um novo lar para estes animais. A Alpa também pede a ajuda da população para que possam servir de lares temporários, abrigando os animais até que sejam adotados, em virtude da falta de estrutura física e financeira da entidade, porém, esclarece que as chances de adoção são altas, já que a “fanpage” da associação conta com mais de 20 mil pessoas, visualizando e compartilhando as postagens.

Fonte: Jornal de Limeira 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CATIVO EM ZOO

CRIME AMBIENTAL

RESPONSABILIZAÇÃO

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

ESCRAVIDÃO

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>