Excesso de chuva provoca mortandade de animais entre a Bolívia e Rondônia


(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Pelo menos entre 130 e 200 mil cabeças de gado morreram somente nas últimas duas semanas nos departamentos de Cochabamba, Beni e Santa Cruz, na Bolívia, em virtude das enchentes, que por sua vez, foram ocasionadas por chuvas torrenciais de até 800 milímetros em apenas 30 dias.

De acordo com o Ministério da Agricultura da Bolívia, as mortes ocorreram, principalmente, no departamento de Beni, onde o transbordamento recorde dos rios Madre de Dios, Beni e Mamoré isolou centenas de milhares de cabeças de gado ainda no pasto.

A água subiu vertiginosamente, não havendo tempo para os pecuaristas retirarem o gado para áreas mais elevadas. O relevo da região também prejudica bastante, uma vez que, diferente das demais áreas, a área é composta de planícies facilmente alagáveis.

Comunidades às margens das “Rutas” 8 e 9, rodovias federais bolivianas que cortam as regiões de Riberalta, Guayamerin e San Joaquim, ambas em Beni, estavam totalmente isoladas na segunda-feira (24), onde o odor ocasionado pela decomposição dos corpos que não foram resgatados a tempo era grande.

Na região de pântano, na divisa com Rondônia, áreas entre Costa Marques e Guajará-Mirim, mas do lado boliviano, fazendas inteiras estavam inundadas, com água até o teto das casas.

Na região de encontro entre os rios Beni e Mamoré, já na fronteira com Rondônia, a extensão dos alagamentos superou 500 quilômetros além da margem, de acordo com informações da Força Aérea Brasileira que sobrevoou a região.

O governo boliviano informou que, além das mais de 130 mil cabeças de gado que morreram por conta dos transbordamentos dos rios, em todo o país, desde o início do ano, 60 pessoas já haviam morrido, a maioria por alagamentos e deslizamentos de terra. Mais de 300 municípios bolivianos decretaram situação de emergência.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Fonte: O Correio News


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

EXPLORAÇÃO

APELO

LUTO

FLORIANÓPOLIS (SC)

SÃO PAULO

INOVAÇÃO

AMOR

ESTUDO

ÁFRICA DO SUL

CÂNCER DE PELE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>