Mais de seis mil frangos morrem sufocados em Lauro Müller (SC)


(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Tutores de frangos de Lauro Müller passaram essa segunda-feira contabilizando a morte de milhares de aves, provocada, segundo eles, pela falta de energia elétrica ocorrida na manhã do último domingo.

Segundo os dois tutores, o desligamento estaria previsto para durar no máximo 15 minutos, em dois períodos. Porém, a primeira interrupção aconteceu às 7 horas, voltando ao funcionamento 18 minutos depois. A segunda queda ocorreu às 11 horas, quando a temperatura já marcava 37° C. Foram 45 minutos de desligamento.

Para Roque Rinaldi, o tempo foi o suficiente para a morte de mais de três mil frangos, que ficaram sufocados com o calor. “Foi um dos domingos mais quentes do ano. Nossa granja não tem gerador de energia. Foi lamentável ver a cena dos animais se amontoando e pisoteando uns aos outros para procurar o melhor espaço. Estava muito quente e abafado. Todo esse tempo sem ventilação foi o que provocou a morte das aves”, relata.

Conforme os criadores, as aves estavam com 42 dias, com média de 3 kg cada.

O abastecimento de energia naquela localidade é de responsabilidade da Cooperativa de Eletrificação Coopermila. O presidente da cooperativa, Alcimar De Brida, justificou ao Portal Sul in Foco que estava consciente do desligamento por parte da Celesc neste dia. Porém, está obtendo maiores informações junto a Celesc sobre o motivo para o não funcionamento da rede durante um período maior que o previsto.

De acordo com o supervisor do projeto de construção da agência da Celesc de Criciúma, Marcelo de Vila Oliveira, os desligamentos foram necessários e programados para o deslocamento de rede no local onde será construída a rótula do anel de contorno viário de Lauro Müller. “Tivemos que fazer uma manobra de chave alimentadora no bairro Arizona para que a região do Amaral não ficasse a manhã toda sem energia. Interrompemos o fornecimento às 7h04min e às 7h13min ele foi restabelecido. Depois, fizemos novamente o procedimento às 11h43min, voltando ao normal às 12h07min. Nos dois casos, trabalhamos dentro do programado. O tempo que ficou sem energia não foi o suficiente para a mortandade de frangos registrada”, explica Oliveira, acrescentando que a preocupação da Celesc foi fazer o procedimento no menor espaço de tempo, justamente para evitar prejuízos às pessoas.

Fonte: Engeplus


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO

ACIDENTE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>