Biólogos investigam morte de peixes no Lago Municipal de Toledo (PR)


(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O lago artificial do parque Diva Paim Barth possui dezenas de espécies de peixes, todas típicas da Região, encontradas no Rio Paraná e no Lago Artificial de Itaipu. Desde a criação do tanque, há mais de 20 anos, vários casos de peixes mortos já foram relatados, mas nenhum caso se assemelha com o dos últimos dias.

O local é abastecido com a água da Sanga Panambi, que nasce no Horto municipal da cidade e é considerada de excelente qualidade pelos especialistas da área ambiental.

De acordo com a bióloga responsável pela fauna do local, os especialistas do curso de engenharia de pesca da Unioeste já estudam os possíveis motivos da mortandade.

Desde o começo da semana, mais de 25 quilos de peixes mortos já foram retirados da margem do Lago Municipal. Uma das hipóteses é de que o lixo jogado no local possa ter asfixiado os animais.

O secretário de Meio Ambiente explica que em muitos casos os peixes morrem por falta de oxigenação na água e, até mesmo, pelos restos de alimentos jogados pela população.

O resultado da análise da água e dos peixes mortos deve sair em 15 dias.

Fonte: catve.tv


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSCIENTIZAÇÃO

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>