Famosas comemoram o fechamento do Instituto Royal


Para Luísa Mell, lei brasileira sobre testes com animais está atrasada (Reprodução/Instagram)
Para Luísa Mell, lei brasileira sobre testes com
animais está atrasada (Reprodução/Instagram)

Os ativistas em defesa dos animais comemoraram o fechamento do Instituto Royal, em São Roque (SP), divulgado nesta quarta-feira (6). A empresa enviou uma nota à imprensa informando que não fará mais trabalhos na cidade. “Em assembleia geral extraordinária realizada entre seus associados, o Instituto Royal, por meio de seu Conselho Diretor, vem a público informar a decisão de interromper definitivamente as atividades de pesquisa em animais, realizadas em seu laboratório de São Roque”, diz a nota.

Para a apresentadora e ativista em defesa dos animais Luisa Mell, que esteve no instituto na madrugada do dia 18 de outubro, quando mais de 100 ativistas invadiram o local para retirar os 178 beagles e alguns coelhos usados em testes de produtos farmacêuticos, o episódio significa uma vitória para os defensores do bem-estar animal.

 

A atriz Nicole Puzzi diz que fechamento da empresa 'já era previsto' (Foto: Reprodução/Facebook)
A atriz Nicole Puzzi diz que fechamento da empresa
‘já era previsto’ (Foto: Reprodução/Facebook)

“A indignação da população sobre as atividades do Royal teve resultado. Este fato foi apenas mais um passo para que possamos sensibilizar as autoridades e mudar a lei que permite a utilização de animais em testes com cosméticos, produtos de limpeza e também em laboratórios de universidades”, esclareceu.

Para Luísa, o Brasil ainda está muito atrás em comparação com as legislações vigentes em outros países, como Israel. A ativista disse ainda que vai continuar juntando provas para as investigações do Ministério Público.

Outra personalidade que esteve no Instituto Royal no dia da invasão é a atriz Nicole Puzzi. Ela conta que o fechamento da empresa estava previsto. “Sabia que isso iria acontecer. Muita gente importante sabia dos graves erros que tinha lá dentro, muita gente”, ressalta.

Nicole diz que aprovou a ação no instituto e a retirada dos animais. “Estou feliz porque 178 cães vão ter uma vida decente. O instituto mentiu tanto que não dá para acreditar. Os beagles que ajudei a salvar estão bem, comendo bem, dormindo bem e vivendo bem, isso significa que é um cão saudável”, comenta.

Segundo o delegado de São Roque que começou com as investigações, Marcelo Sampaio Pontes, Luisa e Nicole iriam ser intimadas para depor sobre a invasão ao Instituto Royal. A atriz e a apresentadora afirmaram que não foram notificadas.

As investigações sobre a invasão e as denúncias de maus-tratos aos animais, apontadas pelos ativistas, foram repassadas para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba (SP).

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO

ACIDENTE

CRUELDADE

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO

EFICIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>