Dia Mundial Vegano promove reconhecimento e respeito aos animais


Por Simone Gil Mondavi (da Redação – Argentina)

Na Alemanha, cerca de 60.000 pessoas são veganas. O Dia Mundial Vegano, que é celebrado neste primeiro de novembro, incentiva a reflectir sobre a forma como nos relacionamos com os animais.

Foto: Fotolia/Lilifox
Foto: Fotolia/Lilifox

Há milhares de anos os seres humanos se tornaram sedentários e começaram a domesticar animais. Desde então, nossa história tem sido intimamente associada com os animais como fornecedores da carne, peixe, ovos ou leite, como animais de carga e transporte ou para fornecer couro, lã e muitos outros produtos. As informações são do DW.

O veganismo é um fenômeno recente, que surgiu no século XX. Esta prática é baseada no respeito pelos animais e em de abster-se do consumo ou utilização de qualquer produto animal.

Desde 1994, em cada primeiro dia de novembro, a comunidade vegana celebra o Dia Mundial Vegano, uma campanha que incentiva a reflexão sobre a maneira como nos relacionamos com os animais.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

Para evitar a exploração, as pessoas veganas não só assumem a renúncia a todos os alimentos de origem animal, como produtos lácteos, carnes, peixes e mariscos, ovos, insetos ou mel, mas também evitam a compra de produtos testados em animais, por exemplo, nos cosméticos. Também rejeitam o uso de roupas e calçados feitos de materiais de origem animal, como lã, couros, peles e sedas.

A posição ética do veganismo também exclui a venda de animais, assim como espetáculos com animais, como circos e zoológicos, as touradas ou filmes e programas de TV. Então, o veganismo reflete não só o respeito pelos animais, mas também uma atitude pacifista mais profunda.

Em intervalos regulares, a indústria de alimentos, em especial a criação intensiva de animais, tem sido marcada por escândalos. Em muitos países, o uso excessivo de antibióticos, assim como as formas cruéis e desumanas de transporte, alimentação e matança dos filhotes de animais nos levaram a repensar a forma como nos relacionamos com os animais.

Foto: Sola Hulsewig (Alguns supermercados alemães oferecem comida vegana para cães e gatos)
Foto: Sola Hulsewig
(Alguns supermercados alemães oferecem comida vegana para cães e gatos)

Em países como na Alemanha, o veganismo está crescendo. Segundo estimativas, cerca de 60.000 alemães são veganos, oito vezes mais do que há três anos. Pelo mundo, a cantora canadense Alanis Morissette, assim como o boxeador americano Mike Tyson e o falecido co-fundador da empresa de Apple Steve Jobs, são algumas das pessoas reconhecidas que praticam ou praticavam o veganismo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

EMPREENDEDORISMO

AÇÃO HUMANA

CONSCIENTIZAÇÃO

ABUSO

ÓRFÃO

COREIA DO SUL

SOB INVESTIGAÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>