Tartarugas foram resgatadas de criadouro clandestino


(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Aproximadamente 85 tartarugas foram resgatadas de uma lagoa em Barra do Garças (509 km a leste de Cuiabá). Os animais eram mantidos em um criadouro clandestino, que secou com a estiagem.

De acordo com o secretario de Meio Ambiente de Barra do Garças, Márcio Vinícius, o resgate foi realizado após o órgão receber a denúncia de que as tartarugas estavam presas na lama do lago. Ele afirmou que com a seca, a lagoa, formada com águas de um córrego da região, baixou e os animais ficaram atolados. “Nós resgatamos 85, porém aproximadamente 10 já estavam mortas”.

Segundo o secretario, foi necessária a ajuda de oito homens da Brigada de Incêndio para retirar os bichos do lamaçal. Ele disse que a secretaria está investigando para descobrir quem foi o responsável pelo crime ambiental.

O coordenador da ONG Associação Amigos dos Animais, Francisco Cândido, popularmente conhecido como “Garrincha”, disse que diversos fatores levam a crer que existia um criadouro no local. “Elas não são comuns daqui e não vieram parar cá sozinhas. Havia uma área de cimento mais alto com o intuito de impedi-las de fugir”.

Ele afirmou que de acordo com a Secretaria de Estado e Meio Ambiente (SEMA), nenhuma licença para este tipo de prática foi expedida para o município. “Muito provavelmente, a pessoa decidiu criar, mas não teve respaldo financeiro esperado, pois a criação demora entre quatro ou cinco anos para ter retorno.”

Garrincha afirmou que pelos próximos dias os integrantes da ONG irão fazer uma varredura no local para tentar encontrar mais tartarugas.

De acordo com o biólogo, Yuri Rodrigues dos Santos Vieira, a criação indiscriminada de qualquer tipo de espécie pode acarretar diversos tipos de desequilíbrio ambiental. “A tartaruga é uma espécie exógena (que não pertence à região) e com isso, ela pode se tornar predador ou uma presa de outra espécie e alterar a cadeia alimentar do local”.

Yuri relembrou que este não foi o primeiro caso em Mato Grosso. Há alguns anos pessoas soltaram uma criação de caramujos africanos, que supostamente não deu certo na natureza, e o molusco se multiplicou rapidamente em toda a região do Centro-Oeste.

A soltura das tartarugas foi feita no Rio Araguaia, região conhecida como Porto do Baé, no último fim de semana.

Fonte: Diário de Cuiabá


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRUELDADE

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO

EFICIÊNCIA

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>