Centenas de peixes morreram após acidente envolvendo poluente


(Foto: Luiz Pitanguy/Arquivo Pessoal)
(Foto: Luiz Pitanguy/Arquivo Pessoal)

O Centro de Pesquisa e Treinamento Aquicultura (Cepta) de Pirassununga (SP) informou em nota, nesta segunda-feira (14), que o poluente que vazou após o rompimento de uma das lagoas de contenção de resíduos da Usina Santa Rita, no dia 4 de outubro, percorreu por 110 quilômetros do Rio Mogi Guaçu e matou centenas de peixes, sendo algumas espécies raras e ameaçadas de extinção.

Segundo o documento, os prejuízos são grandes para a fauna e para as gerações futuras do ecossistema no rio. Entre os peixes mortos analisados foram encontradas muitas fêmeas ovadas, já em período de piracema, o que deve afetar diretamente a demografia dos peixes no futuro do rio.

Um relatório completo deve ser divulgado pelo centro ainda esta semana com informações mais completas sobre as espécies afetadas e também sobre a interferência de cada espécie no ecossistema do rio.

O departamento de comunicação da usina não foi encontrado para comentar as informações do relatória do Cepta.

O caso

O acidente ocorreu entre Descalvado e Santa Rita do Passa Quatro (SP) e causou o vazamento de poluentes no Rio Mogi Guaçu e afetou cidades vizinhas, como Rincão (SP). A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e a Polícia Ambiental acompanharam a situação.

Na ocasião, o departamento de comunicação da usina informou que não houve derramamento de vinhaça (resíduo de cana-de-açúcar) e que vai apurar junto com os órgãos ambientais o que causou a morte dos peixes.

A usina explicou que, devido as fortes chuvas nos últimos dias, uma represa de contenção da usina não suportou a demanda e rompeu. A assessoria afirma que na represa havia apenas água de chuva e de nascentes e que não tinha nenhum produto químico.

A água do rio ficou completamente preta em alguns trechos onde houve contato com os poluentes. A Cetesb coletou amostras para avaliar a dimensão dos danos causados pelo vazamento.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSUMO CONSCIENTE

PROTEÇÃO

AMOR PROFUNDO

ÍNDIA

RESGATE

ASFIXIA

NECROPSIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>