Milhares de animais serão mortos em festa muçulmana


Por Bruna Araújo (da Redação)

Homem puxa camelo pelo porta malas do carro (Foto: AFP)
Homem puxa camelo pelo porta malas do carro (Foto: AFP)

Um camelo foi visto sendo levado pelas ruas de Lahore, no Paquistão, amarrado à uma corda presa a um carro. O que poderia ser um flagrante de maus-tratos esconde uma verdade muito mais cruel. O animal será brutalmente assassinado durante as comemorações da tradição muçulmana conhecida como Eid al Adha ou Festa do Sacrifício que marca o fim do Hajj, peregrinação anual à Meca.

O feriado religioso terá inicio no pôr-do-sol de amanhã (15) e se estenderá por quatro dias.

Animais amontoam-se aguardando a morte (Foto: Reprodução Internet)
Animais amontoam-se aguardando a morte (Foto: Reprodução Internet)

Segundo a tradição islâmica, o objetivo do festival, que promove uma grande matança de animais,  é celebrar a intenção de Abraão em sacrificar seu filho Ismael por ordem de Alá. Os animais são mortos porque na hora do sacrifício o menino foi substituído por um carneiro. As ruas das principais cidades muçulmanas do mundo amanhecem nos dias do festival cobertas de sangue dos inocentes animais   mortos para cumprir uma tradição.

Animais são mortos nas ruas (Foto: Reprodução Internet)
Animais são mortos nas ruas (Foto: Reprodução Internet)

Nessa época do ano, aproximadamente 1,5 bilhão de muçulmanos, de todo o mundo, matam ovelhas, cabras, vacas e camelos durante os dias do festival. Além da covardia e crueldade em matar os animais, os participantes tem o hábito de pintá-los para que sejam identificados. O festival é comemorado anualmente dois meses e dez dias depois do fim do Ramadã e dura quatro dias.

Milhares de animais são mortos anualmente (Foto: Reprodução Internet)

Os muçulmanos, que vivem em  países onde a legislação estabelece que os animais devam ser respeitados, ficam impossibilitados de realizar o festival da forma tradicional. A grande maioria opta por realizar doações em dinheiro para organizações, ditas de caridade, que realizam os sacrifícios em nome do doador.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TURQUIA

AMOR

ASFIXIA

ATO DE AMOR

GENEROSIDADE

MOÇAMBIQUE

ÍNDIA

MINAS GERAIS

ESTUDO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>