Assassino de elefantes com programa cancelado chama defensores de animais de racistas


Por Amary Nicolau (da Redação – Canadá)

Teve seu programa cancelado.
Makris teve seu programa cancelado.

Um programa de TV da National Rifle Association, patrocinado pela NBC Sports Network foi cancelado com diversas petições após o apresentador, Tony Makris, ter atirado na face de um elefante e em seguida, comemorado com um champanhe. O elefante foi morto na cidade africana de Botswana. O apresentador do programa não teve vergonha ao se vangloriar de ter matado o elefante por causa de marfim. NBC Sports Network concordou em não retransmitir o episódio, mas disse que esta é uma prática legal. As informações são do Policy Mic.

Tony é um estrategista de relações públicas que ajudou a gerenciar a marca da NRA nos últimos 30 anos. Em recente entrevista ele fez um infeliz comentário, em resposta aos ativistas de direitos animais, que estão revoltados com o assassinato do elefante. Ele explicou que é um caçador e atira em qualquer coisa, e quando as pessoas passam a escolher o que divulgar, nada mais é do que aquilo que ele descreve como “uma forma muito original de racismo”.

As críticas que ele recebeu não têm nada haver com racismo, mas sim com o fato de que os elefantes são seres vivos e merecem viver tanto quanto qualquer um.

O momento após a morte do elefante por Makris. (Foto: Reprodução)
O momento após a morte do elefante por Makris. (Foto: Reprodução)

De acordo com o World Wildlife Fund, os elefantes são animais vulneráveis. As autoridades de Zimbábue afirmaram que caçadores envenenaram pelo menos 81 elefantes, em busca de marfim. O governo de Botswana ficou indignado com a exibição do assassinato do elefante, e anunciou que iria proibir a caça em janeiro de 2014.

De acordo com a Live Science, os elefantes têm a capacidade de se reconhecerem ao se ver nos espelho, como os humanos, os macacos e os golfinhos. Pesquisadores vinculam esse tipo de auto-consciência de cérebros complexos que são capazes de empatia e altruísmo.

Tony alegou que colocando os animais em um sistema de camadas , os ativistas de direito dos animais são tão cruéis quanto Hitler.

“Eles estão chocados, dizendo que os elefantes são tão grandes, especiais e espertos. Eu retruco dizendo que Hitler teria dito a mesma coisa,” disse o caçador.

É chocante perceber que este homem não tem consciência que os seres humanos também são animais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TAILÂNDIA

ESTUPIDEZ HUMANA

POLUIÇÃO

AUSTRÁLIA

ÓRFÃO

MALDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>