Homem é preso por maus-tratos a 22 galos em São José do Rio Preto (SP)


Galos estavam com as esporas serradas, cristas e barbelas mutiladas. (Foto: Divulgação/RAC)
Galos estavam com as esporas serradas, cristas e barbelas mutiladas. (Foto: Divulgação/RAC)

A Polícia Ambiental de Paranapuã, 188 quilômetros de São José do Rio Preto, multou no domingo (29) em R$ 12 mil um homem por maus-tratos a galos.

O flagrante aconteceu depois da polícia receber uma denúncia anônima sobre os maus-tratos aos animais. Os 22 galos da raça índio estavam com as esporas serradas, cristas e barbelas mutiladas.

Junto aos animais foram encontrados objetos utilizados para a briga de galos, como biqueiras e esporas de couro, uma rinha, além de medicamentos para tratar ferimentos.

O homem foi autuado em flagrante, terá que pagar multa de R$ 12 mil e, caso seja condenado, pode pegar de três meses a um ano de detenção.

Os galos foram examinados por um veterinário e terão de ser mortos. “Eles nasceram e cresceram treinados para brigar, em qualquer lugar que forem colocados vão brigar até a morte com outros animais”, alegou o tenente Renato de Oliveira Montanari.

Fonte: RAC

Nota da Redação:  Os galos, na verdade, são vítimas da violência humana e estão cercados por exploradores de todos os lados: são tratados como objetos de briga pelos rinheiros; como objetos inúteis pelos órgãos de proteção, que optam pelo extermínio dos animais. Assim como não podemos admitir a criação de galos para rinhas, bem como os maus-tratos que essa “cultura” envolve, também não podemos conceber que os animais tenham suas vidas ceifadas. Tomar os galos dos exploradores rinheiros para matá-los com as próprias mãos? Dar aos galos condições dignas de vida, depois de sofrerem tantas crueldades, é um papel tão difícil de se cumprir? Na verdade, mesmo que fosse, os órgãos de resgate teriam no mínimo a obrigação de se responsabilizarem pela reabilitação desses animais, para que fossem então reintroduzidos ao seu habitat. Isso é o que todas as pessoas que compreendem e respeitam os direitos animais esperam e exigem desses órgãos, cujos papeis não podem deixar de ser cumpridos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>