Como dar banho no cachorro pela primeira vez?


Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

O banho nos cachorros não tem uma periodicidade fixa, dependerá da atividade do animal, o quanto se suja, o odor que deita o seu pelo, entre outros fatores. Atualmente, os veterinários recomendam fazê-lo apenas quando for necessário, ou, no mínimo, uma vez por semana.

No caso dos cachorrinhos, a maior parte dos especialistas recomenda que antes de lhe dar banho pela primeira vez devemos esperar que este tenha o ciclo de vacinação completo, desta forma o animal estará completamente protegido e com o seu sistema fortalecido.

Antes de proceder ao banho, comece por escovar o seu pelo e verificar se a sua pele se encontra em bom estado, sem feridas, caroços ou rastos de pulgas e carrapatos. Deste modo, irá certificar-se que o seu cachorro está saudável.

Lembre-se que a experiência do banho é nova para o animal, por isso deve ser muito carinhoso, cuidadoso e paciente para que se torne o mais agradável possível. Se o seu cachorro for pequeno pode colocá-la numa banheira, bacia ou recipiente, deste modo poderá controlar melhor a situação.

Use carícias e movimentos que o façam sentir seguro durante o banho, não se esqueça de pequenos detalhes como usar água morna, deste modo o incômodo será menor.

Outro aspeto importante, especialmente para cachorros de pelo comprido, é habituá-los desde pequenos ao uso do secador. É importante que o pelo fique bem seco para evitar irritações e fungos na sua pele, use-o sempre numa temperatura fria e a baixa velocidade, no começo o barulho pode assustá-lo, mas depois de se habituar não haverá problema.

Não deve dar banho aos cachorros com demasiada frequência pois ao fazê-lo eliminará a proteção natural que a sua pele produz o que poderia ser prejudicial para eles. Faça-o apenas quando for necessário. Se antes do seu cachorro estar completamente vacinado, necessitar de lhe dar um banho então recorra à opção a seco, muito mais simples que o banho regular.

E se o seu cachorro necessitar de um bom banho, mas se não se sentir capaz de o fazer com segurança e eficácia, então o melhor é levá-lo ao seu veterinário para que um especialista se encarregue do processo. Se ficar com medo ou muito nervoso, pergunte se existe a possibilidade de o acompanhar durante o processo.

Fonte: MComo


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESMATAMENTO

BARBÁRIE

PRESSÃO INTERNACIONAL

INVOLUÇÃO

UNIÃO

PREVENÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>