COMPATA – Direitos Animais no interior do Rio Grande do Sul


Compata - Passo Fundo - RS
Compata – Passo Fundo – RS / Foto: Divulgação

O Comitê Passofundense de Tutela Animal (COMPATA) é um coletivo da cidade de Passo Fundo, estado do Rio Grande do Sul. Teve suas atividades iniciadas em Maio de 2009 e está em constante ação, aprendendo, mudando, se adaptando, educando! Com cerca de 9 pessoas diretamente envolvidas e cerca de 30 apoiadores, de pensamento abolicionista, se opõem a qualquer forma de exploração e opressão destinada aos não humanos, juntos, integram o movimento de libertação animal no seu braço educacional, transmitindo conhecimento e transformando pessoas.

O COMPATA promove palestras, exibi documentários, realiza debates, seminários e manifestações sobre a temática dos Animais nos mais diversos aspectos. O objetivo é levar a conscientização de que todos os animais, humanos ou não, são seres sencientes.

Além das ações educativas prestam assistência a vários animais (cães, gatos, cavalos e vacas) vítimas de maus tratos, apesar de não serem abrigo, abraçam os animais que precisam de um lugar mais seguro, alimentado e assistido, tudo com recursos próprios na casa dos próprios voluntários como lar temporário.

Protocolando Projetos de Lei na Câmara de Passo Fundo.
Protocolando Projetos de Lei na Câmara de Passo Fundo.

O COMPATA não recebe verba de órgãos públicos. O principal objetivo do surgimento do grupo foi a necessidade de conscientização da população sobre a importância da luta contra o especismo, demonstrar que os animais são seres sencientes e que têm os mesmos sentimentos e objetivos de vida do que nós, humanos.

Sobre a organização do grupo, seguem o formato instituído pelo Código Civil Brasileiro para as associações civis de direito privado. Possuem um presidente e uma Diretoria Executiva. Embora de organização vertical, as decisões são tomadas de maneira horizontal, na forma mais democrática possível.

O foco de atuação deu-se início na questão educacional, após determinado tempo de atuação, uma adaptação veio a agregar também a questão Legislativa nas atividades do Comitê. O COMPATA é um grande “produtor legislativo”, possuem diversos projetos de lei e algumas destas já aprovadas. Esses projetos vão desde PLs Bem-Estaristas até PLs Abolicionistas.

Passo Fundo é a primeira cidade do Brasil a ter o DIDA no Calendário Oficial do Município graças aos esforços desse grupo. A proibição do serviço de Cães de Aluguel no estado do Rio Grande do Sul também deve agradecimentos aos esforços do grupo. Após aprovarem essa Lei localmente na cidade de Passo Fundo, a idéia foi levada para a Assembléia Legislativa do estado do Rio Grande do Sul e, hoje esta proibição alcançou todo o estado.

Em trâmite no Legislativo municipal, com grande chance de aprovação, existem algumas PLs que proíbem o uso de carroças (Veículo de Tração Animal) e a castração química de animais, entre outros como exemplo o fim das feiras de animais, criação de hospital veterinário público, etc.

Manifestações de Rua - Compata, Passo Fundo-RS
Manifestações de Rua – Compata, Passo Fundo-RS

As atividades do COMPATA estão sempre alinhadas ao anti-especismo e a atualidade, mantém sempre o posicionamento contra a EXPOINTER, que é a maior feira de exploração animal da América Latina. Promovem o já citado DIDA em Passo Fundo, dão suporte as manifestações de nível nacional que ocorrem no país. Promoveram manifestações do Movimento Crueldade Animal em Passo Fundo e coletam assinaturas para o projeto já totalizando mais de 1.000 assinaturas. Participam em mídias (TV, jornal e rádio) de debates sobre a lei que proíbe rodeios do Tripoli. Participaram no CEUA (Conselho de ética no uso de Animais) da Universidade de Passo Fundo, estão presentes em congressos, como por exemplo o Vegetariano Brasileiro, promovido pela SVB. Exibem documentários de educação animal como Terráqueos, A Carne é Fraca, Não Matarás, etc. em faculdades e escolas, também praticam ativismo de rua como intervenções em Praças e locais públicos.

Passo Fundo é uma pequena cidade do interior do Rio Grande do sul, com cerca de 180  mil habitantes e se orgulha de ser considerada uma das cidades mais gaúchas do Rio Grande do Sul, orgulha-se de manter viva a tradição, o que significa em outras palavras, cultuar rodeios e churrasco…
A palavra: “Orgulho” é um substantivo muito usado na vida da maioria das pessoas no estado, é quase um cidadão do estado, tem corpo e história própria, é algo verdadeiramente diferente de todos os lugares do país, essa ligação com o passado, essa herança, esse sentimento que, necessariamente não é algo ruim, mas até o momento qual para que continue a “tradição” outros seres que nem se quer sabem o que isso significa, sua liberdade e seu interesse em ser livre seja afetado, cultuar as tradições não é algo ruim, ruim é cultuar hábitos de violência e passar de geração a geração atitudes desonestas perante e diferença entre as espécies.

Em Passo fundo existe o “Parque de Rodeios da Roselândia”, assim como muitos outros parques em muitas outras cidades do interior do estado, onde se realiza Rodeios Internacionais e de cidade em cidade essa “cultura” da exploração vai se arrastando sobre os lombos dos animais.
Como principal dificuldade desse grupo como já é de se imaginar, a tarefa de “quebrar” e “desconstruir” essa mentalidade retrógrada deve e é encarada como primeiro passo. O abolicionista gaúcho têm como primeira meta desconstruir a mentalidade do próprio gaúcho. Há uma dificuldade imensa para esse ativista, mexer, trabalhar e propor mudanças em conceitos culturais. O gaúcho está intimamente ligado a sua cultura e sua cultura está intimamente ligada a exploração dos animais, mudar isso é uma tarefa árdua e de passos lentos, tarefa que todo anti-especista nessa localidade vêm transformando.

 Divulgando o Cavalo de Lata pela Libertação dos Cavalos

Divulgando o Cavalo de Lata pela Libertação dos Cavalos

É impossível falar de qualquer grupo abolicionista no sul do país sem tocar na palavra “cultura” e nessa dificuldade que os mesmos têm em lidar com a questão naquela parte do país. Isso aconteceu quando falamos da vanguarda abolicionista em Porto Alegre, do Onca em Bento Gonçalves, dos tantos outros espalhados pelo estado e agora com o COMPATA em Passo Fundo. É uma questão chave, mas precisa ser dialogada.
Enfatizo, manter as tradições é importante, mas nenhuma tradição onde o outro é ridicularizado, usado e explorado. A empatia precisa prevalecer. É possível sim mostrar que podemos manter viva a história de um povo, mas é essencial aprender a deixar para trás tudo aquilo que para nós hoje já visivelmente desnecessário, trazer para essa nova cultura o reconhecimento que os animais são também sujeitos de direitos.

No Rio Grande do sul a maior exploração animal é a alimentação. Tudo tem que ter carne. Até uma simples salada de folhas tem que ter bacon… A pecuária do estado é extremamente forte! Depois o entretenimento: Principalmente na cidade, não há um único fim de semana que não haja Rodeios. Por último vem a exploração no vestuário, principalmente no inverno rigoroso: o couro é usado em larga escala. Além de tudo existe a exploração dos cavalos seja nas carroças, nas periferias dos grandes centros, seja pela elite em desfiles. “O Gaúcho se considera o “centauro dos pampas”, se vê como um ser metade homem e metade cavalo…” acrescenta membros do próprio grupo.

É bem verdade, quando estive morando no estado e mapeando alguns grupos abolicionistas até a pipoca vendida na rua pelos pipoqueiros de carrinhos tem bacon no meio, a questão com a carne nesta parte do país de fato é diferenciada.

Bastante influenciados por Regan, autor, filosofo e professor Norte Americano, o grupo vem trabalhando na aprovação dos Projetos de Lei da Causa Animal que estão tramitando na Câmara Municipal de Passo Fundo e elaborando uma cartilha de conscientização sobre a ética na relação entre animais humanos e não humanos.

Exibição de Documentários na Câmara Municipal
Exibição de Documentários na Câmara Municipal

O grupo é aberto para veganos e/ou vegetarianos em busca do veganismo. Qualquer um pode os procurar, as idéias abolicionistas e o posicionamento anti-especista irão ser apresentados a qualquer um interessado em correr juntos pela libertação dos animais, assim, podendo contribuir com o grupo todo aquele que realmente tiver alinhado a esse pensamento e desejar contribuir para a libertação total dos animais.

Entre em contato com o COMPATA! Pelo facebook ou por email e faça parte da mudança!

 

JOGO RAPIDO com grupo!

VEGANISMO/Direitos Animais para vocês é:

R: Lutar pelo Abolicionismo é a Razão da nossa existência!

VEGANISMO/Direitos Animais para vocês não é:

R: Bem-Estarismo.                                

Uma grande mentira sobre o VEGANISMO/Direitos Animais

R: Quem luta pelos animais não se importa com humanos.

Uma grande verdade sobre o VEGANISMO/Direitos Animais

R: Só haverá libertação humana, quando houver libertação animal!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

HOLOCAUSTO

INSPIRAÇÃO

CONSCIENTIZAÇÃO

CONSCIENTIZAÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>