Proteção animal: re-conhecer ou conhecer novamente


Foto: Marcio de Almeida Bueno
200813 desob anda
Vivânia, tutora Mari De Toni e a cachorra Sol, recolhida das ruas e doada pela ONG

Ser reconhecido é algo que todo ser humano almeja, bem lá no fundo de sua alma, mesmo que exteriormente não se queira admitir. É o sentimento mais universal: ser percebido pelo outro. Só conseguimos saber nossos limites através do encontro com outrem, nosso espelho. Na causa animal temos pouco reconhecimento. O mundo ainda não é nosso espelho. Ao contrário, espelha o descaso, a indiferença e a perseguição aos animais.

No dia 14 de agosto, Vivânia Caser Bueno, minha sogra, recebeu a medalha da 53ª Legislatura da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Esse reconhecimento chegou depois dos anos de luta de uma protetora de animais. Enfrentou a mentalidade conservadora da região, onde qualquer coisa que remeta à Natureza, que não seja o seu uso como objeto de extrativismo e exploração, não é levado a sério. Batalhaà frente da ONG APAVE contra o preconceito, contra a ignorância e contra o abandono de animais velhos, doentes, filhotes e fêmeas (os mais frágeis entre os frágeis), e mesmo os fortes, animais criados para lutas, ferozes ou descartados como coisas que não ‘servem’ mais.

Neste longo trajeto, sempre houve quem fizesse voluntariado, quem desse comida, roupas e atenção aos animais, ou seja, quem reconhecesse a importância desse trabalho humanitário e animalista. A dedicação de Vivânia brilha nos olhos dos cachorros, que sabem mais do que todos nós o que é alteridade. Seu trabalho nos serve de referência, pois nos espelhamos em quem ama, dedica seu tempo em coisas que acredita, pois todos temos algo a dedicar ao mundo.

Cada vez que você, protetor de animais, socorrista, abolicionista, se sentir impotente diante de situações provocadas pela indiferença, preconceito e violência contra os animais e pessoas, lembre que o reconhecimento sempre chega por meio do respeito, e que antes disso nosso trabalho segue dando frutos. Em silêncio.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AMOR CANINO

FAKE NEWS

GANÂNCIA

SEQUESTRO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>