Onde terminam os direitos humanos


Foto: Reprodução/ Daily Mail
Foto: Reprodução/ Daily Mail

Coisas horríveis já foram noticiadas pela ANDA nesses quase 5 anos de existência. Praticamente todos os dias ficamos sabendo de mais algum horror praticado por humanos contra animais. Mas uma dessas notícias me abateu especialmente: “Dois rinocerontes-brancos sobrevivem milagrosamente após caçadores cortarem seus chifres”. O ataque aconteceu no Schotia Game Park, África do Sul. Onde os rinocerontes deveriam estar protegidos, mas é muito difícil evitar que caçadores clandestinos invadam e façam o serviço sujo.

Os detalhes desse caso são especialmente chocantes. O casal de rinocerontes (Bonnie e Clyde) foram atacados com dardos carregados com uma droga chamada M99. A M99 paralisa totalmente um animal grande como um rinoceronte. Os caçadores usaram uma serra elétrica movida a bateria para retirar seus chifres.

O detalhe mais chocante da notícia: os rinocerontes ficaram “conscientes de tudo que estava acontecendo e capazes de sentir a dor excruciante da tortura a que estavam sendo submetidos”. A matéria original do jornal britânico Daily Mail informa que “Clyde, o rinoceronte macho, perdeu parcialmente a visão e ficou com os rins, fígado, coração e pulmões seriamente comprometidos em consequência da agressão sofrida. Bonnie, o rinoceronte fêmea, estava grávida de quatro meses e o stress da brutalidade por que passou fez com que abortasse”. Já se teme uma onda de ataques a animais com o M99.

Os monstros que executaram esse plano serão apanhados? Dificilmente. Os caçadores se aperfeiçoam cada vez mais para não deixar rastros que permita uma condenação num tribunal.

Mas se acontecesse o milagre deles serem presos, seria preciso capturar os chefes do tráfico e seus auxiliares. E os veterinários que estão dando assistência técnica a essa barbárie. E os “médicos tradicionais” que receitam o pó do chifre de rinoceronte para doenças diversas e até para provocar uma ereção. E seria preciso capturar também os clientes que acreditam nessas lendas e continuam comprando o produto final. E como se não bastasse seria necessário prender os governantes (especialmente na China) que acobertam essa barbárie.

Os homens que praticaram esse crime sádico contra Bonnie e Clyde fugiram do parque com 15 quilos de chifres de rinocerontes que poderão valer até 560 mil reais no mercado ilegal. Estão soltos, esperando pela próxima operação.

Com relação à caça ilegal, a humanidade tem duas opções: ou fica omissa (e testemunha o fútil final de espécies como tigres, rinocerontes e elefantes) ou reage. Até que algo mais efetivo aconteça, na minha opinião deve valer a regra adotada em muitos parques nacionais – especialmente da África.

A regra é muito simples: esses caçadores clandestinos que invadem reservas animais (e fazem o que fizeram com Bonnie e Clyde) se descobertos devem ser abatidos a tiros. Para eles, os direitos humanos ainda não estão valendo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA

RECOMEÇO

FINAL FELIZ


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>