Frio afeta também cachorros e gatos nas ruas de Petrópolis (RJ)


Gapa está recebendo doações de agasalhos e cobertores para os animais (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação

O mês de julho foi um dos mais frios na Região Serrana do Rio de Janeiro. E as baixas temperaturas afetam também os cachorros e os gatos, principalmente os que vivem na ruas. De acordo com o Grupo de Assistência e Proteção aos Animais (Gapa) de Petrópolis, existem hoje entre 17 e 20 mil animais abandonados na Cidade Imperial.

Quem anda pelas ruas de Petrópolis vê cães dormindo em caixas de papelão deixadas por moradores, preocupados com o frio da madrugada. Desta maneira, os animais dormem mais aquecidos. De acordo com a veterinária Cíntia Veiga, esta é uma boa saída para evitar doenças respiratórias típicas do inverno, como a gripe, que no caso dos animais pode evoluir para pneumonia. Além disso, no frio alguns cães sofrem com doenças articulares.

O Gapa possui um trabalho voltado para os animais abandonados na rua, com 14 voluntários que recolhem os filhotes e os animais com problemas de saúde. Os cachorros mais velhos, que sofrem de doenças osteoarticulares, têm crises constantes durante o inverno. Alguns mal conseguem andar e são recolhidos. Atualmente, os cinco lares provisórios do grupo têm 72 animais abrigados.

Para manter os cães confortáveis, o Gapa conta com a ajuda da comunidade. O convênio com a prefeitura, que pagava 25 cirurgias de castração por mês, venceu há quatro meses e não foi renovado. O Grupo de Assistência e Proteção aos Animais precisa de recursos para pagar remédios e consultas veterinárias. Além disso, faz agora uma campanha, para arrecadar cobertores e ração para cães adultos e filhotes. Quem tiver interessado em fazer doações pode acessar o site do Gapa.

A vigilância sanitária de Petrópolis informou que a documentação para a renovação do convênio com o Gapa já foi providenciada. Para quem quiser proteger os animais, existe uma vacina contra gripe canina, normalmente aplicada pelo veterinário, que custa em média R$ 50 cada dose. A primeira vacina é ministrada em duas doses com intervalo de 30 dias. Depois, o animal precisa se vacinar apenas uma vez por ano.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

COMPORTAMENTO

BENEFÍCIOS

CRUELDADE

SENCIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>