igualdadanimal.org

Por que nunca visitar um zoológico

Por Danielle Bohnen (da Redação)

Os zoológicos são prisões onde vivem encarcerados milhares de animais ao desfrute daqueles que vão visitá-los. Nessas prisões, com a ilusão de serem livres, há todos os tipos de animais expostos como se fossem obras de arte em um museu. Uma visita a qualquer zoológico é suficiente para darmos conta de que a liberdade não existe. As jaulas, gaiolas e outros espaços mais ou menos reduzidos são as “casas” onde são obrigados a viver presos muitos animais, longe de seu habitat natural e muito longe de conhecerem uma vida satisfatória. As informações são da ONG Igualdad Animal.

Foto: Igualdad Animal
Foto: Igualdad Animal

Animais como leões, tigres, cervos, elefantes, etc, que normalmente percorrem longas distâncias em um curto período de tempo procurando por comida e que necessitam do contato direto com outros animais como eles, passam os dias entediados e sozinhos ou com não mais do que um companheiro de sua espécie. Suas ações “habituais” são reguladas nos zoos e eliminadas com regimes de alimentação e acasalamento. O dia a dia nos zoos é monótono e repetitivo. Na maioria dos casos não existe nenhum tipo de privacidade nem estímulo e, por isso – como ocorreria conosco – os animais têm um grande sofrimento físico e emocional. Esse padecimento devido à falta de liberdade é algo tão evidente que em todos os zoos, se você observar com um pouco mais de atenção, vai perceber animais com transtornos psicológicos devido ao estresse e a ansiedade que viver enjaulados causa neles. Muitos animais manifestam comportamentos estereotipados, ou seja, repetem monotonamente o mesmo padrão de comportamento e/ou movimentos.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Nascidos livres ou nascidos escravos

Muita gente considera que é mais aceitável sequestrar um animal que vive em seu habitat natural para enjaulá-lo em um zoo do que enjaular a vida toda um animal que nasceu em cativeiro, ou vice-versa. Porém, o certo é que o sofrimento ao que são submetidos pela falta de liberdade não pode ser justificado em função do lugar onde nasceu. Os que nasceram em liberdade terão que sofrer a perda de sua família, o transporte angustioso até o zoo, a confusão de não entender o que aconteceu, etc. Já aqueles que nasceram em cativeiro, igualmente àqueles que nasceram livres, sofrerão por toda sua vida não poder vivê-la de acordo com sua natureza, necessidade e como eles próprios o decidam.

Foto: Igualdad Animal
Foto: Igualdad Animal

Fins educativos?

Há quem diga que os zoos são locais para fins educativos, ou seja, que ensinam a seus visitantes os diferentes comportamentos dos animais, influenciando os humanos a respeitá-los, mas a verdade é que, o que se aprende em um zoo, é que é aceitável privar um animal de sua liberdade para nosso benefício. Independentemente que os zoos sejam locais onde se possa aprender mais ou menos sobre o comportamento dos animais, sua existência é inaceitável. Privar alguém de liberdade e ocasionar seu sofrimento não pode ser justificável em nenhum caso com a desculpa de que nós aprendemos alguma coisa com isso. A muitos de nós, provavelmente, interessa como vivem e se relacionam seres humanos de outras culturas e sociedades, mas jamais aprovaríamos que pessoas fossem privadas de liberdade para facilitar nossa aprendizagem. Os animais, como seres com interesses próprios, merecem ser respeitados da mesma forma.

Preservar espécies condenando indivíduos

Outro argumento encontrado por quem defende a existência dos zoos, é que estes cumprem uma função conservacionista, em outras palavras, nesses locais são criados, acasalados e enjaulados animais que se encontram em perigo de extinção para que possamos conhecê-los. Assim, há quem defende os zoos como locais de preservação de determinadas espécies, para manter a sua existência devido ao interesse que temos nós, os humanos, em desfrutar de sua existência. Mas a verdade é que o importante não é o desaparecimento de uma determinada espécie e sim a morte e o sofrimento desses seres que a conformam. Uma espécie não sofre um desaparecimento, quem sofrem são cada um dos que formam parte dela, e por isso, a existência de um determinado grupo jamais justifica a escravidão de seus indivíduos.

Outras vítimas

Os animais que são expostos nos zoos não são os únicos que padecem devido à existência deles… coelhos, ratos, pintinhos e outros animais são criados e assassinados para servir de alimento aos animais expostos. Além disso, alguns dos animais que são expostos acabam não atraindo tantos os visitante e por isso muitos são assassinados ou vendidos. Cervos, leões, tigres e outros animais que ficam velhos (deixando de ser tão atrativos como quando são jovens), adoecem ou são vendidos a caçadores que pagam pelo privilégio de mata-los em suas reservas de caça privadas. Outros animais que “sobram” também são vendidos a circos e zoos menores ou com menor reputação.

Além dos zoológicos

Se você é uma pessoa interessada em aprender a respeito dos animais (não podemos esquecer que os humanos também são animais) há muitas coisas que você pode fazer para conhecê-los e inclusive para ajudá-los. Em primeiro lugar, não vá ao zoológico nem a lugares onde os animais são expostos e privados de liberdade. Circos, aquários, golfinários, etc, são todas diferentes caras da mesma moeda: a exploração animal. Você pode aprender muito sobre os animais visitando páginas na internet, com documentários de vídeo, em livros e enciclopédias, etc. Mas, talvez, o melhor para isso é que aprendamos a respeitá-los e a reconhecer que, mesmo que sejamos muito diferentes em algumas coisas, no fundo (a capacidade para sofrer e desfrutar de nossas vidas) somos iguais. Você também pode ajudar os animais fazendo com que outras pessoas também deixem de visitar esses tipos de locais, falando com seus amigos e familiares sobre o porquê não devem visitar os zoos, distribuindo folhetos ou outras informações sobre especismo, ajudando ONGs a conquistar seus objetivos em prol dos animais, etc. Há muitas formas de ajudar os animais e de fazer que nenhum deles acabe sua vida em um zoo.

Para mais informações sobre zoos, visite o website da ONG Igualdad Animal sobre suas pesquisas de zoológicos espanhóis: VidasEnjauladas.org

Nota da Redação: Conheça o guia da FAADA e da ANDA (https://www.anda.jor.br/wp-content/themes/anda2012/downloads/turismo_responsavel.pdf) sobre turismo consciente e responsável para com os animais.

1 COMENTÁRIO

  1. Circos e aquários também entram na lista (e, penso eu, os circos são bem mais cruéis). Lamentável. Mas, hoje em dia, a questão vai muito além disso: estarão os outros animais a salvo de nós lá fora, na natureza? Estamos caminhando, meio que inevitavelmente, rumo ao aprisionamento e à extinção total dos outros seres. Os ambientes naturais desses animais estão sendo muito rapidamente destruídos. Eles estão encurralados. 🙁

    • Concordo Kah. É horrível, doído ver animais que precisam de grandes espaços para viver com qualidade, aprisionados em 2m² no máximo, mas há o outro lado tão ou mais cruel que isso, onde soltar e ter a certeza que esses animais conseguiram morrer sim, mas de velhice!! onde o bicho homem não encontrou para acabar com tudo!!!? onde ter a certeza que colocar esse animal na natureza ele terá a minima chance de sobreviver! Desculpe a quem discorda, mas acho que o unico animal a ser extinto é o humano, que não pensa no próximo, acaba com seu habitat e a tudo a seu redor, é tão burro que não percebeu que precisa de tudo isso para perpetuar sua raça.

      • Verdade wanderlea !! quem tinha de ser extinto é o bixo homem realmente… pois nós roubamos o espaço dos outros animais que chegaram aqui primeiro!!!

  2. Eu tenho o orgulho de dizer que nunca pisei num zoológico antes. Nem quando criança. Meus pais nunca me levaram ao zoológico ou ao circo. Hoje agradeço por isso.

  3. Ué, essa semana mesmo vcs publciaram matéria sobre o cavalo Przewalski, q, graças aos zoológicos, está voltando à natureza depois de extinto. E também graças aos zoos, a ararinha azul, extinta no Brasil, está também retornando à natureza…

  4. desculpem mais conheço biologos que trabalham em zoo e digo que não tem nada a ver,o respeito aos animais não só é digno como todo o dia a uma atividade diferente para os animais assim como nós temos,além de que não é todo o dia que eles ficam naquelas jaulas apertadas,eles vão para outros ambientes escondidos das pessoas em outros recintos bem maiores e ainda se interagem e até fazem amizades com o homem e outros animais,me desculpe mais os zoo não são cruéis,sei disso pois quase vivo neles.

    • GOSTARIA DE VIVER NUM ZOO FAZENDO VARIAS ATIVIDADES?? COMO AS PESSOAS SAO CRETINAS, NAO ENTENDEM Q NAO EXISTE FINALIDADE, OS ANIMAIS NAO SAO NOSSA PROPRIEDADE A VIDA DELES É’DELES E NAO DEVE SER INTERFERIDA, MAS A IGNORANCIAN AO DEIXA SEU PEQUENO CEREBELO PENSAR ASSIM NÉ? TEM SEMPRE UM ARGUMENTOZINHO TECNICO…

      • Caro Ugo, precisas se actualizar, se tiveres tempo para isto. Os zoológicos de hoje não são os mesmos de 50 anos atrás, conheço pessoalmente vários. Vamos gastar nossa energia combatendo o tráfico de animais selvagens, protestando contra a caça ilegal, ficando deprimidos quando inúmeras especies vão a extinção, e pasme, os zoológicos não tem culpa nenhuma nisto.

  5. Bom, como Biologo e Educador tenho que esclarecer esse grande equivoco. Primeiramente, tenho que dizer que temos sempre tenta ao máximo procurar se informar de diversas maneiras antes de concretizar uma opinião. Como vamos saber como é realmente o trabalho de um zoo sendo que nunca participamos de diversas atividades que um zoo oferece ou nem se quer entramos em algum? Não só zoológicos, bem como Cetas ( Centros de Triagens) e Criadouros conservacionistas, exercem um papel de extrema importância para a conservação da fauna, principalmente aqueles ameaçados de extinção. Uns principais alicerces de um zoológico alem do lazer é principalmente pesquisa, conservação e a Educação Ambiental. O zoológico alem de ser um importante espaço com potencial para vivência e aprendizado sobre o meio ambiente com seus inúmeros programas em Educação Ambiental, é uma importante ferramenta para conservação ex sito (fora do seu local de origem). Sabemos sempre será muito melhor o animal viver livre, porem devido a diversos fatores, como por exemplo, tráfico, maus tratos e abandono ( o que antigamente acontecia muito com animais de circo, pois depois de uma determinada idade, esses animais não serviam mais para apresentações e eram abandonados), esses animais são recolhidos nos zoos. Um animal retirado da natureza, possivelmente nunca mais retornará ao seu local de origem, pois não estão aptos a viver em vida livre. Não sabem obter alimento, se defender de predadores e possivelmente morreriam. Os zoos cativam esses animais da maneira em que o visitante tem a oportunidade de presenciar e aprender sobre as curiosidades e importância da preservação do habitat para o animal, alem dos programas de pesquisa e conservação. Muitos desses animais, alguns em riscos de extinção são salvos graças ao trabalho de manejo dessas instituições, como por exemplo o mico leão dourado. Importante saber tambem que esses animais mantidos em cativeiro vivem em recintos que correspondem ao seu habitat natural e não em jaulas como no inicio do seculo e participam de programas de enriquecimento ambiental, que diminuem o stress e aumentam sua qualidade de vida. é como diz um colega de trabalho: ” Enquanto ficam cuspindo frases de impacto e agradáveis de serem ouvidas, os animais em vida livre vão desaparecendo. Saiam de suas salas, deixem a temperatura agradável do ar condicionado, comam bolacha e frutas desidratadas no campo, peguem uma carga de micuim e passem a noite se coçando, durmam em uma rede por noites seguidas com os mosquitos te picando através do pano e aí sim venham discutir conservação da fauna selvagem…

  6. Olá. Tive que começar a ler esta matéria 5 vezes, pois tive desgosto em vários pontos. Eu concordo parcialmente em relação ao zoos. Mtos foram responsáveis por grandes perdas, mas hoje isso é muito diferente. Acredito que, agressão sem fundamentação não seja argumento de pessoas inteligentes. Antes de falar mal é preciso entender o que se passa em um zoo. Um zoo não tem só fins EDUCATIVOS. Tem tbm LAZER, CONSERVAÇÃO e PESQUISA. A união deste 4 pilares é fundamental para atingir os objetivos. Tem zoos ruins? Sim, tem. Mas quem deveria ver isso são os órgãos competentes. Porém há zoos excelentes a qual vc nem imagina que está num lugar cercado. E o bichos? Eles estão manifestando comportamentos como se estivessem em vida livre. Agora tem um outro porém, o que eu vi nesta matéria foi somente um ROMANTISMO sem fundamento da parte de alguém que não tem conhecimento adequado sobre o assunto. Vamos parar de ficar metendo a boca sem ter provas concretas. Afinal, se não tivesse zoos, os mico-leões-dourados, pandas, tigres, leopardos das neves, ararinhas-azuis, leopardo-de-amur (vc conhece esse bicho?), entre mtos outros não existiriam. E sabe pq? Pq não há mais habitat para eles. E pq isso acontece? Pq o ser humano está crescendo demais e tirando seus lugares. Provem pra mim que estes humanos sujos deixarão de existir que eu começo uma campanha contra zoológicos. Mas até lá, me desculpem, OS ZOOS SÃO ESSENCIAIS SIM!

  7. Não tem como escrever um texto curto sobre o tema, mas vou tentar ser o mais explícito e curto possível.
    A perda de habitat é um dos principais fatores de ameaça à vida silvestre (Francisco e Moreira, 2012); fazendas de gado respondem por 70% do desmatamento na Amazônia (Fearnside, 2005); o desmatamento do Cerrado é historicamente superior ao da Amazônia (Klink e Machado, 2005); na caatinga menos de 1% de sua área tem proteção integral e o uso inadequado do solo intensificando a desertificação ameaça 15% da região. (Leal et al., 2005); no Pantanal, até 2004, 44% da vegetação original foi suprimida, principalmente pelo aumento das áreas de pastagens e atividades correlatas (Harris et al. 2006); menos de 100.000 km² (7%) restam da Mata Atlântica (Tabarelli et al., 2005); o bioma Pampa possui uma área aproximada de 178.243 km², segundo o IBGE (2004), tendo 58,68% desta área modificada por algum tipo de uso antrópico (Hasenack, 2007); nova lista da União Internacional para Conservação (IUCN) lançada nesta semana, após avaliar o status de 70.294 espécies conclui que 20.934 se encontram ameaçadas, 799 já extintas, 61 extintas na natureza, 4.277 criticamente em perigo, 6.243 em perigo, 10.464 em perigo e 4.742 quase ameaçadas. Analisando estes dados que são totalmente confiáveis e com as fontes citadas, e não levando em conta achismos, antropomorfismo ou pensamentos utópicos, será possível alguém em sã consciência acreditar que a sobrevivência da fauna em vida livre está garantida sem ações que envolvam trabalhos ex-situ?. Quando analisamos exemplos de espécies que tiveram seu status melhorado por causa de número de animais em cativeiro podemos ver exemplos positivos ao redor de todo o nosso planeta, e vou aqui citar alguns exemplos: no final da década de 1980 viviam em liberdade 6 Condores da Califórnia nos EUA. Um projeto capitaneado pelo Zoo de San Diego (que pude conhecer in loco em 1.991) obteve a autorização do governo americano para captura destes indivíduos para um programa de reprodução em cativeiro uma vez que as ameaças em vida livre (principalmente resíduos de DDT) determinariam a extinção da espécie. Atualmente mais de 60 vivem em vida livre a partir da soltura dos animais que nasceram em cativeiro dentro daquele programa. Hoje um projeto semelhante que teve início no Zoológico de Buenos Aires vem reproduzindo e reintroduzindo o Condor Andino em áreas onde eles já estavam extintos como a Patagônia e a Venezuela. No Brasil, também nos anos 80, a reintrodução de Micos Leões Dourados reproduzidos em Zoos da Europa e EUA, dentro de um programa desenvolvido na reserva de Poço das Antas no RJ, possibilitou o aumento da variabilidade genética da pequena população que vivia em vida livre e em grande risco de extinção, e que hoje está em situação bem mais confortável do que à época. Na Europa temos o cavalo Przewalski (Mongólia) que assim como o Condor da Califórnia, hoje vive livre graças aos esforços de reprodução de cativeiro e reintrodução nos ambientes onde outrora seus ancestrais viveram e foram extintos. Na Tanzânia pude conhecer em 2011 os esforços do Zoológico de Frankfurt onde na cratera de Ngorongoro, recupera o status da população de Rinocerontes Negros, que eram 6 indivíduos à 20 anos atrás e naquele ano já eram 16 animais vivendo e reproduzindo no local, a partir de animais criados em cativeiro naquele Zoo. Uma análise realizada em 2012 mostrou que das 33 espécies animais atualmente classificadas como extintas na natureza pela IUCN, 31 são reproduzidas em zoos e aquários, e seis delas já estão sendo reintroduzidas na natureza graças ao trabalho de reprodução para conservação realizado em cativeiro. Na última atualização da Lista Vermelha de espécies ameaçadas da IUCN, 64 espécies de vertebrados melhoraram seu status de conservação, sendo 13 delas devido à reprodução em cativeiro, com a contribuição significativa de zoos e aquários, através de suporte técnico, logístico e financeiro. Se vivêssemos em um Jardim do Éden, com certeza Zoológicos e Aquários não seriam necessários, mas no mundo real esta não é e com certeza nunca será a nossa realidade. Vocês não imaginam, se fosse possível, como eu gostaria de ouvir a opinião do Mico Leão Dourado, do Condor da Califórnia e do Andino, do Cavalo Przewalski, do Cervo de Padre David e de tantas outras espécies hoje salvas da extinção!

  8. Sou biólogo e além de trabalhar com zoológicos, minha graduação inteira foi em zôos…, além de conhecer vários amigos biólogos que trabalham, vivem, respiram e dão suas vidas a estes animais. Sobre a origem dos animais que compõem um plantel de zoológico, caso não tenha este conhecimento, muitos são oriundos de resgates de fauna. Danielle Bohen você sabe o que é um resgate de fauna? Provavelmente não. São atividades feitas por profissionais biólogos e veterinários capacitados, que trabalham noite e dia resgatando animais que estão quase afogando em um enorme reservatório de água. Uma hidroelétrica. São barramentos e conteção de grande quantidade de água, que passam em suas turbinas e geram energia para que você possa tomar um banho quentinho, aquecer seu chocolate em um micro-ondas, para que sua carne na geladeira não estrague para seu computador e televisão possam funcionar… Então este é apenas um exemplo da origem dos animais de um zoológico… Para atender a sua demanda de ENERGIA ELETRICA. Respeito sua opinião, porem vejo um grande desconhecimento do assunto. Pense antes de escrever para que sua opinião não seja alvo de criticas de profissionais que dominam e conhecem o assunto aqui exposto. Acredito que falte este discernimento e por isso que eu a convido e tenho certeza que outros amigos que aqui já expuseram suas opiniões também terão o prazer em recebê-la para uma visita monitorada. Desta forma poderá ver e sentir a realidade nua e crua.
    Cordialmente,
    Breno Damasceno
    Biólogo – Herpetólogo
    Curador da Coleção de Animais Peçonhentos – JXXXIII BH/MG
    Diretor CEAM Galápagos
    CRBio 57629/04-D

  9. Faz tempo que não trabalho mais em zoológicos, mas acho um absurdo uma pessoa que não tem o mínimo de informações do dia-a-dia, de trabalhos e pesquisa que se faz em cativeiro fale algo desse tipo e ainda publicamente! As pessoas são radicais demais e deveriam ao mínimo ir atrás de informação correta sobre a conservação ex situ. Sim existem zoos que não servem de exemplo, mas ao invés de fazer um texto tão sem nexo e com informações tão antigas, vá atrás de pessoas, manifeste para que haja melhora nesses locais e assim os bichos saem ganhando! Não me venha com essas notícias achando que é o correto! Leia, aprenda, conviva dentro de um local desse, que ai sim poderia dizer algo sobre, com informações concretas…porque de copia-e-cola de sites contra zoológicos a internet está cheia…é sempre a mesma coisa, cansa ler e discutir com pessoas assim! E sabia, cativeiro ajuda e muito na conservação, afinal, o habitat, a caça e outros fatores ameaçam a grande maioria das espécies do mundo e cada vez está mais complicado aumentar as populações de espécies em vida livre. Quer um exemplo, brasileiro ainda? A nossa ararinha-azul (Cyanopsitta spixi) se não tivesse reprodução em cativeiro, a espécie era mais uma para entrar na lista das espécies extintas. A extinção de espécies é algo muito próximo e tem q ser levado a sério hoje, muitas espécies do mundo dependem infelizmente do cativeiro. O Cativeiro limita as atividades naturais dos animais, mas com tamanho esforço os zoológicos hoje em dia fazem o possível para amenizar isso, não é a toa que tem tanta gente que quer trabalhar e aprender cada vez mais com os zoos. Eles iniciaram para um fim de lazer para o ser humano sim, mas hoje a ideia é outra, esse conceito já foi passado HÁ MUITO TEMPO! É antigo e não mais usado! Não podemos ser tão radicais a ter essas opiniões, tudo mudou e isso ai escrito, está bem ultrapassado!

  10. Até no animal postado pela escritora,ela foi infeliz;a Pyton indiana,albinóide da figura,só está viva por estar em cativeiro.Com essa cor, na natureza, ela teria duas alternativas tétricas:morrer de fome pois é muito visível à presa que fugiria, ou ser vista com facilidade pelo predador e, ser devorada.
    Pessoas radicais criticam a clausura que, é um zoológico, mas não percebem que estabeleceram uma prisão para si próprios.
    O ótimo texto de Luiz Pires prova,cientificamente,as razões da existência da conservação ex situ.
    Tenho certeza que pessoas contrárias ao cativeiro têm a melhor das intenções.Enquanto elas se lamentam e choram,as espécies são dizimadas,caçadas,envenenadas e, seu habitat destruído.
    É um grande equívoco ,empatizar animais,como se fossem humanos;cada um tem a sua necessidade.Jamais eu iria querer ser um animal em mãos dos radicais.Talvez eu me tornasse um ser completamente deslocado.Não me deixariam ser animal;eu seria confundido com gente.

  11. “Danielle, creio que o pior sobre uma opinião equivocada é quando uma pessoa a apresenta como se fosse uma verdade absoluta. Vejo no seu texto uma clara falta de conhecimento sobre zoos, o que por si só já compromete o conteúdo.
    Não vou repetir os números já apresentados pelo Luiz Pires, mas vou reforçar que é necessário que as pessoas entendam que não vivemos em um planeta intocado e que a maioria das espécies não está a salvo em habitats preservados.
    Zoos e aquários muitas vezes são os únicos locais onde animais que são retirados ilegalmente da natureza podem sobreviver. A grande maioria deles não têm a menor condição de retornar ao ambiente natural, Danielle.
    Se você focar mais em procurar dados do que em outras opiniões equivocadas, vai perceber quantas espécies só foram (ou serão) salvas devido a um manejo intensivo e reprodução em cativeiro.
    As situações de stress que você descreve se aplicam a zoos ruins. Sim, existem zoos ruins, e nosso desafio é conseguir que eles sejam melhorados. Já repeti isto inúmeras vezes, e aqui vai mais uma: a questão não é se zoos devem ou não existir, mas sim, como podemos fazer com que aqueles que são responsáveis pela sua qualidade se articulem e consigam uma melhoria efetiva. Bons zoos têm programas de enriquecimento ambiental, que aumentam os estímulos para animais em cativeiro e favorecem o desenvolvimento de comportamentos naturais. A SZB está promovendo workshops regionais sobre bem-estar animal para zoos, aconselho você a fazer um deles, assim pode escrever a respeito com mais propriedade.
    Danielle, zoos não “sequestram” animais em seu ambiente natural….a maioria dos animais que mantemos são na verdade resgatados de quem fez isto. Se informe. Um exemplo de animais “sequestrados” em seu ambiente natural é o Condor da Califórnia, como o Luiz já te explicou, e esta ação salvou a espécie.
    Quando vejo seu questionamento tão equivocado sobre o papel educativo dos zoos, me pergunto quantos zoos você visitou para formar sua opinião.
    Danielle, dizer que animais são “assassinados” para servirem de alimento nos zoos?? E os animais que são “assassinados” pelos indivíduos selvagens? Tudo bem? Ou você também acha que o mundo deveria ter tigres vegetarianos?
    Finalmente, seu texto perde todo o crédito quando você diz que o desaparecimento de espécies não é importante. Me causa surpresa que o site publique um texto tão descabido”

    Yara Barros
    Presidente
    Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil – SZB

  12. Danielle é bom você ler esta matéria. Vou lhe enviar muitas outras que tratam de números e tem base científica, assim quem sabe você para de escrever sobre “o que acha” e passe a escrever “sobre o que sabe”

    A Birdlife International, um grupo de organizações de vários países que estuda conservação de aves, divulgou na última semana um relatório mostrando que uma em cada oito espécies de pássaros no mundo está ameaçada de extinção.

    Segundo o relatório State of the world’s birds (O estado dos pássaros do mundo) , são 1.313 espécies de pássaros ameaçadas em todo o mundo. A maioria (55%) está classificada como “vulnerável”, o menor nível de perigo entre as espécies ameaçadas, mas 30% das espécies foram classificadas como “Em Perigo” e 15% como “Criticamente em Perigo”.

    O Brasil aparece no estudo como o país que mais tem espécies de pássaros ameaçadas. Isso acontece porque o Brasil é também um dos países de maior biodiversidade do mundo, com uma quantidade muito grande de pássaros em seu território. São 152 espécies de pássaros ameaçadas, sendo que 73 são endêmicas, ou seja, só existem em território brasileiro.

    Segundo a Birdlife International, as principais ameaças aos pássaros são a destruição dos habitats por meio do desmatamento e da agricultura, a introdução de espécies exóticas, a poluição do ar e da água e as mudanças climáticas. O estudo calcula que, para proteger essas espécies, é necessário investir US$ 80 bilhões por ano em conservação de pássaros.

    Autor: Por Bruno Calixto
    Fonte: Revista EPOCA

  13. É lamentável perceber que têm a coragem de publicar um texto completamente equivocado e que mostra simplesmente a opinião de uma pessoa que, por seu radicalismo, acaba por demonstrar desconhecimento do assunto! Danielle, como o ótimo texto do Luiz Pires diz, hoje os zoos são parte importante do trabalho de conservação das espécies. Lógico que seria bom se não precisássemos manter animais em cativeiro, mas isto em um mundo ideal e utópico. A história dos zoológicos passa pelos antigos egípcios quando a manutenção de animais selvagens em cativeiro tinha motivos religiosos e também de status. Na idade média os reis e imperadores continuaram esta “tradição” por questões de status até que decidiram abrir mão de suas coleções para que o público em geral pudesse conhecer os animais. Nesta época, até meados do século IX os zoológicos eram conhecidos simplesmente como centros para exposição da vida selvagem. Pelo seu descabido texto, me parece que você ainda vive nesta época!
    A partir de estudos comportamentais realizados in situ os profissionais de zoológicos perceberam que era necessária uma mudança; então, as antigas jaulas foram dando espaço aos atuais recintos, que são ambientados e oferecem desafios e novidades através da técnica de enriquecimento ambiental. Os zoológicos deixam de ser meros centros de exposição e passam a ser centros para a conservação. Para seu conhecimento, o trabalho de conservação vai muito além das saídas de campo, tem base na educação ambiental, pois de nada adianta saber qual é o status de uma espécie ou conhecer os seus hábitos se nada disto for passado adiante. Entra aí o papel dos zoológicos atuais, pois através de suas ações conseguem conscientizar seu público. O visitante de um zoológico tem a chance de conhecer determinados aspectos da vida selvagem que só podem ser apreciados, hoje, em zoos. Só quando se conhece é que se respeita e admira e este é o primeiro passo para um trabalho que visa à conservação das espécies. Além da educação ambiental, vários zoológicos ao redor do mundo realizam trabalhos in situ (introduções, translocações e de reprodução) baseados em estudos com animais de cativeiro e por outro lado, as experiências adquiridas com os estudos em campo são utilizadas para melhorias no cativeiro. O Luiz Pires já citou vários exemplos de ações dos zoos que contribuem para a melhoria de vida de animais livres e também daqueles que vivem em cativeiro, mas só para não deixar de citar, hoje os zoos são responsáveis por arrecadações de fundos para pesquisa, para manutenção de santuários de vida selvagem, para resgates, translocações e reintroduções de várias espécies ameaçadas de extinção. Danielle, talvez fosse interessante você pesquisar um pouco sobre os trabalhos realizados por zoológicos em todo o mundo. Só para citar alguns: San Diego, Washington, Bronx, Bristol, Disney’s Animal Kingdom, Londres, Paington, Apenheul, Roterdam, Berlim, Chessington e tantos outros ….. Recentemente Port Lympne and Howletts Wild Animal Park, um zoo inglês, que já realiza reintroduções de gorilas em dois santuários mantidos por esta instituição, introduziu em um destes santuários uma família inteira de gorilas. Feito inédito e que está devolvendo à natureza um macho que foi retirado ainda bebê quando sua família foi assassinada por traficantes de animais. Veja link da matéria: http://www.bbc.co.uk/news/uk-england-kent-23026400.

    Portanto, acho muito triste uma pessoa se utilizar de meios como este para simplesmente atacar sem nenhum conhecimento do que está falando! Pessoas como você, que se dizem defensoras dos animais, deveriam em primeiro lugar, conhecer ou se inteirar de todas as ações e dos trabalhos que instituições sérias como os zoológicos realizam e também das necessidades por que passam. Talvez assim, em um mundo melhor, ao invés de sair publicando baboseiras descabidas, estas pessoas poderiam provar que realmente estão preocupadas com o futuro dos animais de cativeiro através de ações que somem forças, que ajudem e auxiliem no trabalho dos técnicos responsáveis pelo cuidado de animais de cativeiro. Lembre-se que só quando conhecemos é que passamos a admirar e a respeitar e só quando respeitamos é que podemos ajudar!

    Cynthia Cipreste
    Bióloga – Área de Bem-estar Animal
    Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte

  14. Danielle,

    Com tanta informação que meus colegas de profissão deixaram o que você acha de fazer uma matéria sobre ZOOLÓGICO? Você já tem até várias referências e o pessoal que opinou é bom de serviço e sabe muito bem o que fala. Sugiro esta nova matéria. Há um tempo para se redimir e você pode mudar isso. Procure também estes profissionais, pois estão diretamente ligados a zoológicos. Faça uma visita, conheça a rotina de um zoo, alimente um filhote de gavião, converse com crianças, acompanhe um exame clínico, dentre outros que vc encontrará num zoo. Tenho certeza que sua opinião irá mudar.
    Hoje, durante o “Bate papo animal”, num dos trabalhos que desenvolvo, mostrei um rato para as pessoas. A cara de repúdio para com o bichinho foi unânime. Mas, eu estava ali para mudar isso e tinha que fazer meu trabalho. Tamanho foi minha alegria, quando três senhoras e uma jovem vieram até mim no final e disseram: “Mudamos nossa opinião. Vc falando dos ratos e vendo que é um bicho diferente daquilo que crescemos ouvindo… Nossa, isso é outra coisa!”. Não estou inventando isso, foram elas que disseram. Elas tocaram no rato e quebraram aquele mito imposto pelos avós. “A partir de agora vou dar mais valor nos ratos”, uma delas falou já saindo para a outra atividade. Quer dizer, se eu consegui mudar a opinião de um adulto (isso é extremamente difícil), imagine como poderia ser com uma criança, que esta sim será a ferramenta que irá contribuir para o bem do planeta.
    Você está tendo a maior oportunidade de entender e aprender sobre zoológicos. Assuntos sobre o tema são infinitos. Você aceita o desafio?

    Obrigado.

    Danianderson Carvalho
    Biólogo

    PS: Se manifeste também, sua opinião é importante para nós aprimorarmos nosso trabalho.

  15. TUDO QTO É CANDANGO Q TRABALHA OU TRABALHOU POR INCOMPETENCIA EM UM ZOO, VAI SER RESPEONDIDO EM UMNA UNICA VEZ. NAO HA RAZAO PARA ANIMAIS ESTAREM EM ZOO A NAO SER PARA INTERESSES HUMANOS. PONTO. SANTUARIO SAO PARA CONSERVAR ANIMAIS Q JA FORAM SUBTRAIDOS DE SEU MEIO. ANIMAIS NAO SERVEM PARA EDUCACAO OU ENTRETENIMENTO, ELES TEM SUA VIDA PROPPRIA. VCS NAO SAO ABOLICIONISTAS E QUIÇA BEM ESTARISTAS, VEM COM PAPINHO CHEIO DE TECNICISMOS E O ESCAMBAL, MAS NADA NADA JUSTIFICA ENCARCERAR ANIMAIS, PARA EXPOSICAO. SE QUEREM CONSERVAR UMA ESPECIE COLOQUEM EM SANTUÁRIOS AINDA ASSIM O POOL GENETICO DE POUCOS INDIVIDUOS VCS Q ESTUDARAM SABEM Q NAO É EFICIENTE. ESTAO AI MORDIDOS PQ NAO TEM UMA JUSTIFICATIVA Q NAO SEJA VOLTADA PARA DE ALGUMA O HOMEM OBTER ALGUMA VANTAGEM SOBRE OS ANIMAIS. CAFETINIZAM O BICHOS COMO QQ CRIADOR NAO SAO TUTORES SAO PROPRIETARIOS. TODOS AQUI METIDOS A CONSERVACIONISTAS ESTOU CERTO DE Q SAO CREOFILOS AVIDOS. SEPULCROS CAIADOS E HIPOCRITAS ESCRIBAS E FARISEUS É O Q SAO

    • Por que será que ninguém está apoiando seus comentários? Nem mesmo quem escreveu este artigo absurdo. Com certeza ela já se convenceu contrário ao que havia afirmado na matéria!

      • NUNCA VI TANTO CORPORATIVISMO E PEDANTISMO JUNTOS.Vamos por partes. Há não muito tempo, um doutor, não devido à graduação,mas pelo fato de fazer um doutorado,afirmou,após um incêndio em um instituto de São Paulo,conhecido mundialmente, que a “zoologia” daquele distinto local era de “quinta categoria”. No que foi acompanhado por outro doutor. Os “doutos” herpetólogos que acima digitam suas “verdades” devem conhecê-lo. Infelizmente já se foi,pois além do seu proverbial conhecimento era também um compositor genial, reconhecido pela modéstia.Queria saber a razão pela qual os “doutos” biólogos e veterinários, que ferozmente defendem os zoológicos, não tiveram na época uma reação semelhante, defendendo o brilhantismo da “zoologia de quinta categoria” daquele instituto. Desculpem pelo excesso de repetições da palavra “doutor” e variações. É que diante de tamanho” conhecimento científico “, fiquei extasiado. Numa segunda consideração NUNCA vi coleção tão farta e generosa de clichês: “provar cientificamente” (sic), “só quando se conhece é que se respeita”,etc. Teve até um respeitável senhor legitimamente preocupado com a “alternativa tétrica”(sic) de uma serpente indiana albina,talvez “resgatada” de Belo Monte,sei lá, pode ter fugido de algum famigerado criador de cobras…Sem contar expressões latinas sem a devida diferenciação no texto.Quanta sapiência…E tudo para justificar zoológicos.Eu jamais vi uma baleia azul num zoo…Mesmo assim respeito a espécie e sei da importância da preservação. Numa terceira ponderação, fui uma criança apaixonada por zoológicos. A última vez que estive no zoo de SP foi em 1991. Vi um lobo guará em uma jaula acanhada. Estranho…O leão estava bem melhor acomodado…Qual a razão ilustres biólogos? Qual o motivo dos porões dos zoos,biotérios,etc.,ficarem numa área de acesso restrito ao público? Timidez dos “doutores”? Ora,que deixem sua enorme sabedoria invadir a mente dos pobres mortais.Além do mais ,a publicidade e a eficiência são princípios da administração pública(no caso de fundações públicas,autarquias,etc.),insculpidos no art. 37 da CRFB.Também o art. 32 da Lei Federal 9605/98 c/c art.225,§ 1º,inciso VII da CRFB vedam “as práticas que submetam os animais a crueldade” .Em uma quarta reflexão,já passou da hora de um exame nacional para verificar a competência dos veterinários e biólogos,assim como de outras profissões. Nos moldes do exame de ordem da OAB.Concluindo,num outro lugar-comum,o “zoológico é essencial”.Concordo…Primordial para manter a arrogância de muito “doutor”.Desculpas antecipadas ao mestre Machado de Assis pois, alterando o contexto, o zoológico é indispensável para transmitir às futuras gerações o “LEGADO DA NOSSA MISÉRIA”.

        • Edson, não sou Doutor pois não cursei doutorado, mas sou plenamente capacitado para tratar do tema, uma vez que trabalho com animais selvagens a exatos 30 anos e sete meses. Conheço bem os problemas que envolvem a sua conservação em vida livre, pois já conheci trabalhos “in situ” em diversas partes de nosso planeta e por isso mesmo defendo a INSTITUIÇÃO ZOOLÓGICO. O que não temos como aceitar são os ACHISMOS como você trata o assunto em seu comentário. Dizer que não gosta e por isso não presta, é tentar impor seu modo de vista contrário a uma verdade existente. É essa mesma intolerância que nos leva a guerras absurdas, quando uns acham que seus pensamentos devem prevalecer sobre o de outros, somente por achismo. Estamos demonstrando com artigos, exemplos e dados comprovados, aquilo que defendemos. Como você foi a um Zoo há exatos 22 anos, talvez antes de escrever uma resposta à esta, deva fazer uma nova visita e ler um pouco sobre o assunto.

        • Caro Edson,
          com relação as suas impressionantes indagações sobre um tal doutor… que eu dou nome aos bois é o Sr. Paulo Emilio Vanzolini que tive sim o prazer de conhecer, porém não compactuo e não quer dizer que concordo com suas opiniões, afinal como minha colega cita abaixo, refere-se a uma tal dor localizada entre o braço e o antebraço a chamada – DOR DE COTOVELO, que existe entre as instituições USP e Butantan, sendo que toda a formação dele vem do Butantan. Vanzolini fez grandes descobertas para a herpetologia – coletou e sacrificou inúmeras espécies para a coleção do MZUSP que também não irei entrar no mérito da questão se deve coletar ou não… afinal sou curador de coleção científica que no meu ver tem muito a contribuir, mas só para o seu conhecimento, para que não fique pronunciando coisas sem saber, ele cita que a coleção do IB é de quinta categoria, da mesma forma que o próprio presidente da Fundação Butantan – Isaias Raw diz que a coleção de sua instituição é da época medieval… O que dizer do EGO destes pesquisadores??? Mas que não percamos o foco, já que o assunto aqui é a importância dos zoológicos e não de coleções e incêndios…
          Pelo visto o achismo e pedantismo aqui não é o nosso de profissionais sérios, que representam instituições sérias… E você como profissional formado em advocacia que conhece e compreende de leis, não tem como argumentar com dados biológicos… Desculpe mas só podemos conversar sobre biologia e veterinária com pessoas de conhecimento para tal, da mesma forma que não me atrevo a falar de legislação.
          Att,
          Breno Damasceno
          Biólogo – Herpetólogo
          Curador da Coleção de Animais Peçonhentos – JXXXIII BH/MG
          Diretor CEAM Galápagos
          CRBio 57629/04-D

    • Já que escreve com tanta propriedade você deveria se identificar e mostrar o quando conhece do assunto aqui colocado de forma concreta. E como você mesmo diz, ou seja, palavras suas… “vocês que estudaram..” isso mostra que pelo visto não é da área e não conhece nada do que fala…
      Att.
      Breno Damasceno
      Biólogo – Herpetólogo
      Curador da Coleção de Animais Peçonhentos – JXXXIII BH/MG
      Diretor CEAM Galápagos
      CRBio 57629/04-D

  16. O CIRCO OS ANIQUILA FISICAMENTE E OS ZOOS OS ENLOUQUECE CADA UM AQUI Q DEFENDE ISSO DEVERIA PASSAR PELO MESMO. ESSES DISCURSO PSICOPEDAGOGICO FISIOLOGICO DE MEIA TIGELA CABA QDO É NA PELE, ISSO É FALTA DE FILOSOFIA NA ESCOLA …MALDITOS MILITARES Q COM ISSO AJUDARAM A TIRAR A CAPACIDADE DAS PESSOAS DE SE PROJETAR

  17. O radicalismo torna as pessoas cegas e surdas intelectualmente!! As pessoas radicais só escutam e enxergam aquilo que as convém. Insultos, calúnias e palavras chulas fazem parte de seu repertório com o intuito de “aparecer na mídia”, já que não têm como provar cientificamente aquilo que defendem! Cientificamente sim, caro “defensor”, pois tudo que pode ser provado com fatos científicos só pode ser contestado com outros fatos científicos e não com ameaças, xingamentos e calúnias! Não é necessária a repetição de tudo que, provavelmente, você já leu aqui, mas cabe dizer que defensores de verdade estudam, testam, aplicam seu conhecimento e trabalham duro na direção de um ideal. Pela maneira com que escrevem dá para perceber que nenhum de vocês persegue um ideal de verdade, a não ser atacar com calúnias e difamações. Muito engraçado rs…. as palavras latinizadas ou em latim, caro senhor, só não saem devidamente marcadas porque quando são postadas aqui neste meio, mudam seu formato, você não percebeu isto!!!! Só para dar uma satisfação, pois nada disto tem a ver com o verdadeiro trabalho que desenvolvemos e que vocês à luz da ignorância que lhes convém desconhecem e fazem questão de atacar. Proteger, gostar, defender e colaborar nada tem a ver com a posição radical que certas pessoas adotam. Fico pasma com as afirmações que fazem e com os argumentos ridículos que têm! Porque não protestam e atacam os traficantes de animais? Porque não vão atrás dos milionários que movimentam bilhões no comércio ilegal de carne de animais selvagens? Já ouviram falar em bushmeat? Só para citar um exemplo deste problema, sabem o que acontece com os gorilas na África? Porque não atacam as grandes madeireiras e as mineradoras? Já procuraram conhecer um trabalho de reintrodução, de translocação, de reprodução que visam à conservação das espécies? Sabem qual é o custo de projetos como estes? Sabem qual é a contribuição dos zoológicos? Sabem o que é um plano de manejo? Sabem qual é o papel dos biólogos e dos veterinários? Sabem como é realizado um trabalho destes e quanto tempo dura um estudo para se chegar ao final bem sucedido?!! Sabiam que a reprodução dos pandas, que é dificílima inclusive na natureza, só está sendo possível, in situ e ex situ, graças à estudos e pesquisas desenvolvidos em zoológicos? Especificamente o de San Diego? Têm conhecimento de que a reintrodução dos micos-leões-dourados, em Poço das Antas só foi bem sucedida depois de anos de estudos conduzidos com animais de cativeiro e que os que voltaram à natureza estavam em zoos ao redor do mundo inteiro? Provavelmente não sabem nada disto porque é muito cômodo assentar na frente de um computador e escrever asneiras e calúnias e dizer que estão defendendo os animais!! Por um acaso algum de vocês já presenciou o salvamento de algum animal selvagem? Já virou noites para cuidar de um filhote abandonado pela mãe? Já presenciou um parto de uma espécie ameaçada de extinção? Já participou de um resgate de animais em áreas que serão inundadas para que todos nós tenhamos energia elétrica em casa? A falta de noção sobre o que é um zoológico e sobre seu papel é gritante!! Para seu conhecimento, os tais “porões” a que você se refere, e que nada têm a ver com a palavra utilizada, são destinados para aqueles animais que estão em tratamento ou ainda para aqueles que necessitam de locais mais tranquilos para reproduzirem, por exemplo. Então, não me venham com um discurso de protetores do mundo que pensam que podem sair distribuindo farpas para todo lado. Vocês conhecem pelo menos um dos profissionais que aqui postaram suas opiniões e experiências? Como vocês se dão ao direito de dizer que somos incompetentes? Pessoas sem razão acabam pegando um fato isolado para tentar destruir o trabalho dos outros, a opinião de um profissional citada em um de seus posts não representa a opinião dos demais e nem a realidade de outras instituições. A lavação de roupa suja relativa ao incêndio do Butantan é típica de instituições que recebem grandes verbas para pesquisa (o que, meu caro, não é o caso dos zoológicos!); e mais parece dor de cotovelo de pesquisadores do que qualquer outra coisa. Mais uma vez, fica clara a estratégia barata destes radicais “defensores”: usar fatos isolados e que na verdade nada têm a ver como o assunto, para denegrir a imagem de alguém! Comparar recintos é o grande hobby dos leigos!! Saiba que os recintos que abrigam os animais estão dentro das normas do IBAMA e que, se por um acaso, te pareceu um recinto acanhado, provavelmente seus olhos radicais não perceberam que o lobo-guará é um animal tímido e de hábito noturno e claro, de porte bem menor que o leão. É comum ao leigo atribuir sentimentos humanos aos animais: tal animal está triste, tal animal está rindo para mim….. Através da introdução de estímulos nos recintos é possível promover desafios e manter os animais ativos e exibindo comportamentos mais próximos do natural. Hoje todos os zoológicos utilizam as técnicas de enriquecimento ambiental, que são incorporadas também nos estudos para reintroduções de espécies ameaçadas, entre outros. As atividades de enriquecimento são acompanhadas por coletas de dados comportamentais e estes sim, podem provar cientificamente se um animal apresenta bons níveis de bem-estar. Vocês sabem quais são os indicativos para esta condição? Simplesmente quando o animal exibe comportamentos naturais e típicos de sua espécie. Vale a pena assistir ao filme Madagascar e repetir várias vezes a cena em que os quatro amigos, após chegarem à ilha e ficarem maravilhados com a vida livre quando, ao som de “What a wonderfull world” começam a perceber que a natureza não é tão bela assim. Na minha opinião, a única infelicidade do diretor deste filme foi retratar a natureza como ela era e não como é! Ele deveria ter colocado não os perigos naturais, mas sim aqueles que hoje ameaçam as espécies de todo o mundo: traficantes de animais, desmatamento, falta de alimento, desequilíbrio ecológico e por aí vai….
    O que quero dizer com isto? Quero dizer que vocês, radicais, que se tornam cegos e surdos e que não têm capacidade para aprender novas teorias e para absorver o que a ciência mostra, deveriam retirar as viseiras da ignorância para realmente fazerem algo de bom para os animais! Caro “defensor” conhecer é sim o primeiro passo para o respeito, pois vocês demonstram grande desconhecimento e por consequência, um grande desrespeito por tudo!

    Cynthia Cipreste
    Área de bem-estar Animal
    Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte

  18. Engraçado que aqueles que defendem os zoológicos são exatamente aqueles que dele tiram seu meio de vida… Trabalhei em 3 zoológicos do Brasil, incluindo o maior de todos, e posso dizer que o texto está impecável. Nos zoológicos os animais são vistos como “atrações” e esse é mesmo o nome dado a eles, que são tratados com maior ou menor atenção conforme seu preço e seu atrativo perante o público. Os recintos JAMAIS serão comparáveis ao espaço que eles tem em natureza, e o conceito de que os zoológicos são locais de estudo de animais está descartado, pois estudar animais em cativeiro não é o mesmo que estudar suas reações em vida livre. Independente disso, essas instituições relutam e frequentemente impedem quaisquer estudos feitos com seus animais, e isso eu vi in loco. Quanto à heróica tese de que os zoológicos ajudam na preservação das espécies reproduzindo animais é fajuta, uma vez que quem trabalha com esse tipo de instituição, como zoológicos e até criadouros conservacionistas, sabe que o IBAMA desestimula essa prática, uma vez que isso lhes dará mais trabalho. Vi tudo isso que estou narrando, e mais, como os maus tratos a animais que não rendem mais apreciação do público, ou que foram preteridos por algum animal recém chegado. Veterinários que não tocam em determinado animal porque o veterinário que seria responsável por aquele indivíduo estava de férias, e o animal acabar morrendo por uma simples infecção. Animais esquecidos em cima de macas com mantas aquecidas e morrendo devido à queimaduras, e posteriormente veterinários dizendo que isso é “normal”…Animais apanhando para comer de biólogos que, contrariando seu “dom”, tem medo deles e esquecem que tratador não é sinônimo de “domador”… Matança indiscriminada de animais domésticos que ali são jogados, com a PROIBIÇÃO de serem entregues para adoção. Desculpas esfarrapadas e causa mortis de animais totalmente diferentes para óbitos quando repassadas à imprensa; vistas grossas de todos os lados quanto à nascimentos que simplesmente acontecem e não são inseridos no censo anual, bem como desaparecimento de animais até mesmo de médio porte, dentre outras atrocidades legais, criminais e morais. O que me faz chegar à conclusão de que esses lugares nada mais são do que instituições cujo único objetivo é garantir o lucro e consequentemente o nome dos funcionários cuja extirpe se encontra aqui defendendo esses verdadeiros campos de concentração e que em nada lutam por preservação de espécies ou Educação Ambiental, mas tão somente para garantir seu nome na folha de pagamento. Mesmo porque são os únicos a erguerem a voz em favor dessas pocilgas, algo como se chamassem o General Himmler para falar sobre os campos de concentração da Alemanha…muito óbvio…!

    • TEO, você poderia citar os nomes dos Zoos em que trabalhou, pois assim poderíamos checar com os mesmos, a veracidade de suas afirmações. Você tambem poderia fazer uma representação no Ministério Público, provando o que você afirmou e assim fazendo um grande bem para os animais cativos, retirando de suas funções esses profissionais que você afirma existirem. Ser omisso, muitas vezes é pior do que realizar o mal. Se como você afirma, vivenciou essas experiências, deve como amante dos animais, defensor do fim dos Zoos e como cidadão, dar os nomes, representar e provar na justiça o que escreveu. Aguardamos.

    • Pois sim, é possível ver que a partir desse seu comentário mto dos “Doutores” fugiram e não rebateram seus argumentos. Não acho que Zoo, como falaram, disponha do espaço adequado pra um animal selvagem. Onde já se viu, aquele cercadinho pra um leão? É um absurdo achar isso ideal. Entre outras coisas.

  19. Zoológicos são instituições de pesquisa e educação, vários projetos de conservação vieram de experimentos dos zoos… Ter um ou outro picareta não estraga o excelente trabalhos de muitos, essa história de não frequentar é puro falso moralismo e de certo modo até ignorância pois não conhecem a verdadeira importância das instituições. É melhor se informar antes de criticar…

  20. Detalhe, não trabalho em Zoo, trabalho com fauna de vida livre, e acompanho trabalhos em áreas de proteção como o Arquipélago dos Alcatrazes que a equipe do zoo de São paulo vem criando especie ameaçada em cativeiro para entender a sua biologia e para uma possível soltura no ambiente, Modelo invejável de trabalho sério e com protocolos seguros, Então, vão se informar antes de meter o pau em assunto que desconhecem,

    • Exemplo brasileiro de um trabalho muito bem feito! E tenho certeza de que existem muitos outros trabalhos sérios sendo desenvolvidos por zoos brasileiros!

  21. Caros amigos detentores de informação e bom senso, esse texto é muito limitado em vários aspectos. Isso prova mais uma vez que ao mesmo tempo que a internet ajuda muito, também temos que tomar muito cuidado e filtrar a informação porque tem muita baboseira, como esse texto. Infelizmente a Sra. que o escreveu e que SUPOSTAMENTE teria conhecimento sobre tudo aquilo que escreve, acaba sendo formadora de opinião.
    Lamentável…

    • Então ao invés de criticar a pessoa que escreveu porque você não aponta os pontos problemáticos da argumentação do texto? Diga aí, quais são os aspectos problemáticos e quais são as limitações? Muito vaga sua crítica. Super fácil fazê-la.

        • Sim Luiz, já li. Mas mantenho o que disse. Não adianta vir aqui comentar pra ofender redator, tem que argumentar, como várias pessoas fizeram, por exemplo, nos posts que você citou.

  22. já que tem gente defendendo os zoologicos, apontando tantas qualidades e o altruismo como propósito, (realmente interessante é perceber que são todas pessoas que tem interesses profissionais e financeiros em sua manutenção)gostaria que me informassem qual é o zoologico aqui em São Paulo que NÃO MANTEM NENHUM ANIMAL EM ESPAÇO INADEQUADO, que fique bem claro NENHUM ANIMAL EM ESPAÇO INADEQUADO. Infelizmente, pelo menos uma vez por ano, sou forçada a acompanhar pessoas ao zoologico e é deprimente, existem animais com espaço maior, mas a grande maioria exposta tem um espaço ridiculo, alguns com comportamento neurotico ou apatico. E O QUE FAZEM COM OS ANIMAIS DOMESTICOS? Nunca vi tentativas de conseguir adotanttes, ELES SAO CAPTURADOS, ESCONDIDOS DO PUBLICO E ASSASSINADOS, PRESOS SEM AGUA E SEM COMIDA.

    • Não faça acusações sem conhecimento! Mais uma vez…. Vc já leu as normativas do IBAMA? Conhece os hábitos de cada espécie que vc citou acima??? O que vc quer dizer com espaços inadequados? Comportamentos neuróticos?? Você fez algum acompanhamento comportamental destes animais para fazer tal acusação?? Você ganha o seu pão de cada dia com o què?? Saiba que os que aqui defendem o zoos retiram sim seu sustento deste trabalho, assim como os médicos o fazem, os advogados, dentistas, motoristas de ônibus e tantos outros!!! Trabalhar em um zoológico é uma profissão como outra qualquer e se você quer saber uma profissão que não é bem remunerada e que exige uma dedicação além do que você pode imaginar ou acreditar! Animais domésticos podem transmitir doencas fatais para os silvestres, você sabia disto?? vicê tem certeza de sua acusação?? os animais domésticos que transitam em um zoo devem ser capturados e são encaminhados para o centro de zoonoses, aqueles que estão saudáveis são encaminhados para adoção. Antes de sair dizendo isso, procure estudar, ler e conhecer um pouco mais!! Ah! Procure também fazer o trabalho bacana que vocês defensores dos animais fazem com os domésticos e se não têm conhecimento suficiente sobre conservação e sobre animais silvestres deixem este assunto para os que sabem e que podem ajudá-los com seriedade e competência.

    • Cema, seja lá quem você for, imagino sua tristeza ao ver tanta gente que defende o local que trabalha, pois com certeza trabalham felizes e naquilo que acreditam. Isso com certeza deve irrita-la muito, pois como vc mesmo disse, é obrigada em seu trabalha a fazer o que não gosta, como ir a um Zoo. Seja feliz e troque de trabalho, assim quem sabe você pode defende-lo com tanto entusiasmo como nós.

      • a falacia da felicidade eterna.., pra começar: quem esta sempre feliz ou tem algum problema mental ou vive completamente alienado, agradeço sua preocupação com a minha felicidade, eu ficaria muito mais feliz se nao visse animais explorados em zoologicos, quando nao estamos satisfeitos com uma situação e percebemos que há erros ou injustiças devemos lutar para mudar e não fugir ou fingir que esta tudo bem, vc deveria ser mais consciente e perceber que seu trabalho depende do sofrimento de outros, ignorar os fatos pode trazer felicidade p/ vc, é muito mais comodo fingir que esta tudo bem, esforçar-se para promover mudanças é muito mais angustiante, mas são pessoas assim que fazem a diferença.

  23. Repito o que disse: desafio alguem a me apontar qual é o zoologico que nao mantem seus animais em espaço insuficiente, vou repetir: NENHUM ANIMAL EM ESPAÇO INADEQUADO. e deixem de ser arrogantes, de que adianta estudarem biologia se fecham os olhos para o que esta errado e se acomodam e seus trabalhos, sempre há o que melhorar, em qualquer trabalho, em qualquer lugar, percebe-se logo que uma pessoa esta acomodada quando ela nao consegue enxergar os erros. Quanto aos animais domesticos capturados nos zoologicos, parece que vcs ou nao tem informaçoes a respeito ou ou tb estao tentando esconder a verdade.

    • http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,em-15-anos-n-de-oncas-cai-80-em-iguacu-,1055619,0.htm
      Leia este tambem, talvez vc comece a entender o porque dos esforços de conservação “ex situ”. Ninguem aqui quer ser torturador e muito menos maltratar animais. O que fazemos é garantir as gerações futuras, a partir de animais nascidos em cativeiro, a oportunidade de conhecer um pouco daquilo que as gerações passadas não respeitaram e fizeram de tudo para extingui-las. E para a geração presente, estamos garantindo através de programas de reintrodução a sobrevida de algumas delas em vida livre (Condor Andino, Condor da Califórinia, Mico Leão Dourado, Cervo de Padre David…….

    • A velha tática de quem não tem argumentos!! Apelar e agredir com palavras… Problema mental??? Só porque é feliz e faz o que costa e acredita em seu trabalho?? Você mais me parece um daqueles radicais que com os olhos vendados agem com ignorância! Cema, será que você ainda não percebeu que TODOS que trabalham em zoos têm como objetivo cuidar e dar o melhor para os animais sob sua responsabilidade? Será que é tão difícil assim entender que quem trabalha com animais é porque gosta deles?? Temos o privilégio de ter ESTUDADO biologia, veterinária ou zootecnia; qual é o seu problema com relação à pessoas que se graduaram nestas profissões??? Talvez, para você, radical com vendas nos olhos, seria bom tentar cursar biologia, veterinária ou zootecnia e quem sabe assim, você compreenderia melhor tudo o que tentamos explicar e que você insiste em não entender ou conhecer!! A propósito, é muito fácil acusar e dizer asneiras, tente ser útil!!! Sabemos que precisamos melhorar (e, acredite ou não, fazemos o melhor para a cada dia atingir este objetivo!), mas como eu mesma disse em um outro comentário, se vocês que se dizem protetores dos animais, fizessem um grande esforço para conhecer melhor nosso trabalho, poderiam quem sabe, nos ajudar a melhorar?!! Será que vocês realmente nos vêm como monstros? Será que alguém que passa noites, fins de semana cuidando de animais, retira dinheiro de seu próprio bolso para comprar medicamentos e etc, não se importa com os animais? Pare para pensar um pouco, você está atacando pessoas que fazem algo muito positivo em prol do bem-estar e da vida destes animais! Há muito trabalho a ser feito, há muito ainda para se aprender…. Estamos neste caminho, dando o melhor que podemos, porque vocês insistem em atrapalhar?? Vocês não percebem que agindo desta maneira não estão ajudando? Quem realmente GOSTA de animais, gosta sejam eles silvestres ou domésticos. O ideal seria unir forças ao invés de ficar batendo boca e agredindo, pois ao contrário do que você acredita, isto não leva ninguém a nada, mas dificulta o trabalho em prol da sobrevivência e bem-estar de milhares de espécimes!! Porque vocês não tentam ser mais humildes e conhecer, por mais difícil e horrível que seja para vocês, o trabalho desenvolvido em zoos? Acho que a contribuição e experiência de qualquer pessoa será muito bem vinda!! Sei que vocês irão rebater este post com mais ofenças e calúnias, talvez nunca tantarão sequer conhecer quanto mais ajudar!!! Por isto a atitude de vocês só me leva a acreditar que não se importam verdadeiramente com os animais!!

  24. quanta agressividade, e continua a arrogância, imagino se uma pessoa descompensada desse modo não é capaz de descontar sua raiva nos animais, Ate o momento ninguém teve capacidade de apontar qual é o zoológico que não mantem NENHUM ANIMAL EM ESPAÇO INADEQUADO. Veja a injustiça, se um cachorro se comporta assim , o pobre vai acabar seus dias sendo sacrificado em algum CCZ, mas se um humano tem um comportamento raivoso, ainda julga que por agredir mais, tem mais razão…

    • Não adianta argumentar….. Tire você mesma suas conclusões (estude, leia, se informe melhor, procure abrir sua mente!!) não precisamos provar NADA para ninguém, Para aqueles que têm bom senso e inteligência suficiente o resultado do nosso trabalho é visto com bons olhos. Para aqueles que insistem em AGREDIR exatamente porque não têm nenhuma razão, cabe o triste papel da mediocridade!! Continuaremos a realizar nosso trabalho, certos de que estamos no caminho certo: salvando, ajudando e contribuindo para um futuro melhor não só para os animais de cativeiro, mas também para os que estão em vida livre. Já vocês continuarão no sentido contrário, contribuindo para a extinção de milhares de seres por culpa de uma ignorância ridícula!

  25. continua a agressividade e a soberba,mas onde esta o argumento de apontar qual é o zoologico que nao mantem NENHUM ANIMAL EM ESPAÇO INADEQUADO?
    animais resgatados devem ser , depois de preparados, devolvidos p/a natureza e se isso nao for possivel, alocados em santuarios com espaço e condiçoes adequados e com proposta muito diferente da seguida por zoologicos. mediocridade é se prestar a hipocrisia de fingir defender os animais quando na verdade o objetivo é defender a função que ocupa, seria muito mais digno simplesmente admitir que se preocupa em perder seu emprego.

  26. Gostaria de esclarecer para aqueles que nao foram capazes de interpretar o que escrevi ate entao que eu, assim como outras pessoas que defendem o fim dos zoologicos, nao sou contra aqueles que trabalham nesses locais, sou contra a manutenção de animais em espaços e condiçoes inadequados e a favor de que esses locais mudem suas caracteristicas e tornem-se, na medida do possivel, santuarios.
    francamente o que nao consigo compreender é profissionais que trabalham em zoologicos e que nao aceitam mudanças que promoveriam mais qualidade de vida para os animais.

    • Rs!!!!… Sem noção!!! Sem comentários!!! Você não sabe nem qual é a definição correta de um santuário!!! Rs…. Procure antes se informar, para depois argumentar!!! A quais santuários você se refere? Até onde eu sei, há santuários na África, onde os animais ficam em reservas e são preparados para depois viverem soltos, dentro destas reservas. Mas…. A maioria dos “santuários”, talvez aqueles aos quais você está se referindo, não passm de zoológicos disfarçados!!!!! Onde, ali sim, os animais ficam em recintos inapropriados e sob cuidados ainda menos apropriados! Não realizam sequer trabalhos de educação ambiental, que é a base para sensibilizar a população sobre as questões ambientais! Não fale sobre assuntos que você desconhece!! Mais uma vez, sem noção!!! Se você realmente quer ajudar, procure se informar melhor!!!!! Solturas, reintroduções e etc não são trabalhos tão simples e fáceis como você pensa, para isto muito estudo sobre as áreas para a soltura e sobre a biologia da espécie, além do trabalho de adaptação dos indivíduos, são necessários! Mas você não entende nada disto e não vale a pena tentar explicar!! Portanto, tente ao menos conhecer um pouco sobre as diversas interações que ocorrem na natureza, para depois discutir algo realmente positivo, pois ataques e xingamentos não levam ninguém a lugar nenhum!!!! Att.

      • pessoas que são indicadas para cargos (o famoso Q.I) tem sempre o rabo preso, vão sempre negar o que há de errado no ambiente que estão porque devem favores, além de não terem as qualidades necessarias para ocupar as funçoes que lhes foram delegadas, percebe-se o desequlibrio emocional, a falta de capacidade de interpretar textos escritos e de interagir de maneira civilizada. em contrapartida, a capacidade de distorcer a realidade é surpreendente, educação ambiental em zoos… sei, as pessoas entram, “apreciam as atrações” e se vão, fim, mal leem as legendas e ainda jogam lixo nos recintos. quanto aos santuarios, sim, são utopicos, justamente por não serem lucrativos.

        • O ser humano costuma julgar os outros pelo que ele próprio faz e acredita…. se você é destes visitantes, que pena!!! Se é destas pessoas, que dó!!! Saiba que as pessoas que SABEM visitar um zoo, não seam dele com a mesma visão pobre e simplista que você tem, pelo contrário, aprendem e respeitam cada ser vivo que alí vive! Já você, quanta amargura, quanto ódio… como pode uma pessoa destas dizer que GOSTA e que AJUDA os animais????

          • qualquer pessoa sabe que um lugar publico é aberto a todos e nao só aqueles “que sabem fazer uma visita”, mas como eu disse pessas indicadas nao tem as qualidades necessarias para os cargos que ocupam, portanto nao sao capazes de enxergar o obvio. tambem percebe-se a desonestidade, ataca, agride, ofende e ainda tem coragem de dizer que o ofendido é que tem odio. realmente, é dificil ver honestidade em uma pessoa que usufrui tao comodamente de animais em cativeiro para suas pesquisas, seus estudos, seus artigos, monografias de alunos, parece que o status esta muito acima do bem estar dos animais

      • É msm Luiz, boa!!
        E.. Onde mais a população poderia presenciar um fato tão lindo quanto este abaixo e aprender sobre tantas coisas da natureza se não em um ZOO?? Vejam a reportagem abaixo e entrem no you tube para assistir!!!

        Nacimiento en directo de un blesbok en Bioparc Valencia
        ByBioparc Valencia26/07/2013
        41 views
        4 likes, 0 dislikes
        Bioparc Valencia sigue llenándose de vida con el nacimiento en directo de un blesbok. 26 de julio de 2013.

        Un nuevo nacimiento en vivo y en directo como ocurrió en Semana Santa con la sitatunga. Esta mañana todos los visitantes que se encontraban en la cafetería de Bioparc Valencia han quedado atónitos a la par que impresionados cuando una hembra de Blesbok se ha puesto de parto en hora punta en el parque. Han sido 45 minutos de sorpresa y emoción.

        Bioparc Valencia mediante el concepto de zoo inmersión abre una ventana al mundo salvaje, ofrece experiencias únicas y recrea escenas de auténtica Naturaleza en abierto.

        Más información: http://www.bioparcvalencia.es
        Flag as inappropriate

  27. pois é… repito o desafio: APONTEM QUAL É O ZOOLOGICO QUE NÃO MANTEM NENHUM ANIMAL EM ESPAÇO INADEQUADO. estou esperando…
    o que vejo são pessos distorcendo o que foi dito e fingindo não ver o que não convem.

    • Procure se acalmar.. você é muito nervosa!!! Quanto ódio no coração!!!! Segue abaixo exemplo de como os zoos podem e como estão ajudando no trabalho de conservação!!!

      Wellington Zoo to support Cotton Top Tamarins
      Monday, 29 July 2013, 12:28 pm
      Press Release: Wellington Zoo

      Media release
      26 July 2013

      Wellington Zoo to support Proyecto Titi for Cotton Top Tamarins

      Wellington Zoo is delighted to recognise our newest conservation partner: Proyecto Titi, an organisation working to help protect critically endangered Cotton Top Tamarins and their natural habitats in Colombia.

      “The Cotton Top Tamarins at Wellington Zoo are amazing ambassadors for their counterparts in the wild, so we’re very excited to connect Proyecto Titi with our visitors. We’re amazed at the success of Proyecto Titi in educating and empowering local communities to protect the natural habitats of these endangered primates. Wellington Zoo will be supporting Proyecto Titi for at least the next three years,” said Amy Hughes, Group Manager Community Engagement at Wellington Zoo.

      Karen Fifield, Chief Executive of Wellington Zoo, is proud that Wellington Zoo is able to extend their conservation impact, “Conservation is at the heart of everything we do at Wellington Zoo. Last year, over 230,000 visitors enjoyed a day their Zoo, meaning that we can reach out to more conservation partners to connect our community with conservation projects around the world.”

      “Zoos are a major player in species conservation and in nature conservation. Our new partnership with Proyecto Titi is another great step for us in encouraging our community to live in harmony with nature,” said Ms Fifield.

      The Wellington Zoo Conservation Fund enables Zoo staff to contribute to local and international conservation projects like Proyecto Titi. The Conservation Fund is supported by proceeds from community events such as gold coin entry to the Zoo on Wellington Open Day, along with 10% of the proceeds from every Close Encounter.

      Read more about Proyecto Titi and the work they do at http://proyectotiti.com/http://proyectotiti.com/

      About Wellington Zoo
      Conservation is at the heart of everything we do at Wellington Zoo. We take every opportunity to connect our visitors with nature and encourage them to take their own positive action for the environment.

      Wellington Zoo is New Zealand’s first Zoo, established in 1906, and is Wellington’s oldest conservation organisation. Home to over 500 native and exotic animals, Wellington Zoo became a charitable trust in 2003.

      Wellington Zoo became the world’s first carboNZero certified zoo in May 2013. We were named the ‘Best and Most Fascinating Zoo in the World’ by travel website escapehere.com in May 2013, and won the prestigious Vibrant Gold Award at the June 2013 Wellington Gold Awards.

    • BH ‘Cidade Parque’

      Jd. Zoológico da FZB-BH passa por reformas e se moderniza

      Dois conhecidos espaços de visitação do Jardim Zoológico da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (avenida Otacílio Negrão de Lima, 8.000, Pampulha) estão passando por importantes reformas: o Borboletário e o recinto dos elefantes africanos. As obras estão sendo realizadas pela Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), a um custo de R$ 333 mil, e têm prazo estimado de seis meses para a conclusão.

      As intervenções no recinto dos elefantes contemplam a ampliação e a pintura da área de manejo, instalação de um brete (corredor para contenção e manejo dos animais), aperfeiçoamento dos sistemas elétrico, de coleta de água pluvial e destinação de efluentes do recinto e implantação de nove portões com sistema deslizante, aumentando a segurança do manejo para os servidores e os animais.

      Segundo o diretor do Jardim Zoológico, o médico veterinário Carlyle Mendes Coelho, a reforma faz parte de um processo de revitalização de toda a Fundação Zoo-Botânica, mas particularmente do zoo, que foi inaugurado em 1959 e precisa ser adequado às práticas dos zoológicos modernos. “Além de modernizar o recinto, a reforma irá aumentar a eficiência e a segurança de nossas atividades, assim como o bem estar dos animais”, destaca.

      Borboletário

      As obras do Borboletário incluem, em uma primeira etapa, uma reforma completa no laboratório de criação e reprodução dos lepidópteros (borboletas e mariposas). No local estão sendo feitas a substituição do piso e do revestimento das paredes, a implantação de dois vestiários, melhoria das áreas de limpeza e de esterilização de material. O auditório do Borboletário também sofrerá algumas mudanças com a adaptação da rampa às novas normas de acessibilidade, além da instalação de um toldo para aumentar o conforto dos visitantes.

      Já a reforma do viveiro de exposição das borboletas e visitação interna será realizada em uma segunda etapa, a ser iniciada até o final do ano. O destaque será a ampliação do viveiro das borboletas adultas, que passará de 100 m² para 250 m², e contará com modificação no paisagismo e no circuito de visitação. Outra melhoria será a ampliação da capacidade de visitação. Atualmente, o Borboletário da FZB-BH recebe cerca de 20 mil pessoas ao ano. Com a reforma, esse número deve aumentar para 60 mil visitantes.

      De acordo com a bióloga responsável pelo Borboletário, Regina Celi Antunes Nobi, a reforma do laboratório irá possibilitar o aperfeiçoamento das condições sanitárias no local. “As obras vão aumentar a eficiência no manejo e reprodução das borboletas”, esclarece. Já a ampliação do viveiro de visitação irá possibilitar uma diversificação das espécies. “A proposta é a implantação de novos microclimas (temperatura, umidade, etc.), possibilitando a criação de um número maior de espécies de borboletas e de mariposas, aumentando a diversidade do borboletário”, completa.

      O Borboletário da FZB-BH, inaugurado em 1996, foi primeiro aberto ao público no Brasil. Inicialmente contava apenas com o viveiro e o laboratório. Posteriormente foram construídos um auditório (em 2000), com capacidade para 20 pessoas, e um horto, localizado fora da área de visitação (local onde se produzem as plantas que alimentam as lagartas). Atualmente, o Borboletário tem uma média mensal de dez espécies de borboletas (com um total de cerca de 500 indivíduos).

      Serviço

      A Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte (Jardim Zoológico e Jardim Botânico) está aberta para visitação pública de terça-feira a domingo, das 8h30 às 16h. Nas terças-feiras e no primeiro sábado de cada mês, a entrada do visitante (pedestre) na Zoo-Botânica é gratuita. Caso ocorra feriado no primeiro sábado do mês ou na terça-feira, a gratuidade será suspensa e ocorrerá no sábado ou terça-feira seguintes, respectivamente. Nas demais terças-feiras e de quarta-feira a sábado são cobrados R$ 2 por visitante, e, aos domingos e feriados, o ingresso custa R$ 4 por visitante.

      A taxa de entrada dos veículos (com capacidade máxima de nove passageiros) é cobrada todos os dias (R$ 5 de terça a sábado e R$ 7 aos domingos e feriados), com a exceção dos ônibus de escolas públicas, de entidades de assistência social e de filantropia. Os veículos com capacidade acima de nove passageiros, micro-ônibus, ônibus de escolas particulares e de turismo têm valores específicos, conforme decreto municipal 13.864, de 1º de fevereiro de 2010. A visitação ao Borboletário está temporariamente interrompida devido às obras no local.

  28. diferente de pessoas que são indicadas para ocupar cargos publicos, eu realmente tenho de trabalhar e nao tenho tempo a perder, NINGUEM FOI CAPAZ DE APONTAR UM ZOOLOGICO QUE NAO MANTENHA ANIMAIS EM ESPAÇO INADEQUADO, portanto esta provado que zoologicos nao sao lugares apropriados para os animais passarem suas vidas. c’est fini.

    • Prezada Cema, você insiste em uma obsessão compulsiva em apontar o dedo e dizer coisas das quais não domina!! Saiba que os zoológicos são instituições regidas por leis e que seguem as normas do IBAMA!! Portanto, minha cara, procure, mesmo que seja difícil para você; estudar, ler e se inteirar melhor sobre tais assuntos. Para seu governo, os zoológicos são hoje instituições necessárias para a manutenção da vida silvestre, e não vão deixar de existir por mais que você esbraveje, grite e esperneie!! Dentre os trabalhos desenvolvidos por estas instituições estão as pesquisas, a educação ambiental, o manejo e o financiamento de trabalhos desenvolvidos na natureza. Saiba que teses de mestrado e doutorado, além de dezenas de trabalhos de conclusão de curso são desenvolvidos em zoológicos, seu recalque com relação a esta questão te impedem de perceber o óbvio!! Qual é o problema? Tais estudos têm ajudado no desenvolvimento de diversas estratégias que estão contribuindo com os trabalhos de conservação “in situ”, ou seja, estão ajudando a SALVAR a vida de milhares de seres e assim, contribuindo para a manutenção de populações viáveis e saudáveis em cativeiro e em vida livre. Talvez você, que não é da área, nunca tenha ouvido este termo, mas no nosso meio, os animais de cativeiro são chamados de “embaixadores dos animais de vida livre”, Isto significa que eles têm um papel muito importante no que diz respeito ao trabalho de conservação da natureza, pois nos ajudam no difícil trabalho de estudos e consequentemente de compreensão das diversas interações que ocorrem na natureza, além de claro, nos ajudarem no trabalho de educação ambiental!
      Não fale nem acuse quem você não conhece! Saiba que, ao contrário do que uma pessoa postou acima, eu tive a grande felicidade de poder visitar zoológicos durante toda minha infância e vida! Tenho um carinho muito especial pelo zoo de BH, minha cidade, exatamente porque passei momentos muito agradáveis da minha vida aqui! Durante estas visitas aos zoos pude aprender muito, ao contrário do que você prega!!! Nas minhas visitas de infância, aprendi a observar os animais, a LER as placas e a respeitar cada animal!! Também foi ali que minha vontade de fazer a diferença, de ajudar e enfim, COLABORAR foi crescendo. Decidi estudar biologia exatamente porque GOSTO de animais (silvestres e domésticos!!) e porque sempre me interessei pelas interações comportamentais que ocorrem na natureza. Sabia que este era o caminho mais óbvio para eu tentar ajudar e dar a minha contribuição! Trabalhei como voluntária no zoo de BH por mais de dois anos. Trabalhava o dia inteiro e até nos finais de semana VOLUNTARIAMENTE!! E dava aulas em uma favela à noite. Hoje trabalho, como funcionária do zoo, há quase 14 anos. Já presenciei muita coisa, fiz grandes amigos: visitantes do zoo, funcionários de zoos brasileiros e estrangeiros e profissionais que trabalham com animais de vida livre. Já escrevi capítulos de livros brasileiros e estrangeiros, além de diversos artigos na área. Formei dezenas de estagiários que hoje trabalham com conservação em zoos e com animais de vida livre, portanto, PENSE antes de escrever!!!! Só para citar algumas de várias passagens que presenciei no zoo, principalmente quando ajudava VOLUNTARIAMENTE na educação ambiental, vou citar duas: já vi e já conversei com visitantes que, apaixonados pelos animais, dizem vir ao zoo simplesmente para contemplar estas maravilhas. Uma visitante, em especial, que se tornou minha amiga, diz que em um momento muito difícil de sua vida teve apoio em um ilustre residente do nosso zoo, que com sua simplicidade e bondade a aceitou e permitiu que ela o observasse e com isto, sua dor pessoal se abrandou. Esta pessoa se tornou membro da Sociedade de Amigos da FZB-BH e hoje, apesar de não ser da área e nem ser funcionária de um zoo, não só contribui muito para o nosso trabalho de educação ambiental, mas também realiza, em suas horas vagas e em suas férias, trabalhos de observação e monitoramento dos muriquis na reserva de Caratinga. Durante um atendimento especial a uma escola para deficientes visuais, colocamos o Doran, um rinoceronte, no brete para que as crianças pudessem tocá-lo (enxerga-lo!!). Até hoje me emociono quando me lembro desta cena: as crianças tocando o Doran (que adora carinho) e dizendo que não sabiam que ele era tão grande e bonito. A professora, que também era deficiente visual, me perguntou se ela também poderia tocar o rinoceronte e ao fazê-lo, começou a chorar dizendo que nunca tinha “visto” uma criatura tão linda, tão grande… e que não sabia porque matavam este animal na natureza…. Para pessoas sem sensibilidade, isto realmente não é um trabalho de educação ambiental!! Mas saiba que é exatamente ESTE TIPO DE TRABALHO que vai “ganhar” a simpatia das pessoas e assim sensibilizá-las ao respeito à vida e consequentemente passarão à frente o que aprenderam! Conheço várias pessoas não profissionais de zoos que doam seu tempo livre em ações de educação ambiental e até no trabalho de tratação dos animais, além do desenvolvimento de projetos de conservação e até com arrecadação de verba para projetos de conservação! Enquanto você perde seu precioso tempo atacando, difamando, caluniando e agredindo sem razão nenhuma, pois você não nos conhece e nem conhece o trabalho desenvolvido por zoológicos, milhares de animais estão sendo roubados da natureza, diversos habitats estão sendo devastados, muitos animais estão morrendo nas mãos de traficantes e de pessoas sem noção que compram estes animais e por aí vai…. Você deveria ter uma iniciativa mais digna, ao invés de ficar dizendo baboseiras infantis, e fazer a sua parte; procure abrir sua mente, o radicalismo não leva ninguém a lugar algum. Se você presencia visitantes agredindo animais, porque não realiza algum trabalho de conscientização?? O ser humano é tosco, precisa ser lapidado, alguns são cabeças-duras mesmo. Costumo dizer que o trabalho de educação ambiental é lento, gradual e contínuo; como a evolução!!! Se entre 10 visitantes pudermos sensibilizar 2, já ganhamos algo positivo! É assim que devemos pensar e agir, ganhar as pessoas, ensiná-las e assim contribuir, mesmo que com algo muito pequeno, para uma vida melhor!!

      Att,
      Cynthia Cipreste
      Bióloga
      Área de Bem-Estar Animal / Departamento de Jardim Zoológico FZB-BH

    • De acordo cara Cema e Ugo .
      O que mais fica nas pessoas que comentam a favor de zoológicos é que chamam os que defendem sua extinção de “sem noção”, “sem comentários”, “ignorantes, “desinformados” etc, mas não toleram receber críticas e ainda ficam desqualificando comentários contrários ao deles com inúmeros clicks de não curti.
      Impossível dialogar com pessoas e nesse nível. Estão aqui, nitidamente, garantindo o ganha-pão diário nessas Fundações.
      Triste.

      • a unica alienada e burra é vc
        Quem não pensa é vc que é uma retardada mental e ainda abre blog sobre isso, não conhece , tratador , nem veterinário , nem biólogos que trabalham nos zoos pra saber , que a Grande maioria são filhotes abandonados pela mãe que iriam morrer de qualquer maneira e se não fosse o ZOO que conheço que cuida com todo amor e carinho e ainda educa as crianças sobre as espécies, imagina as crianças conhecendo animais apenas por fotos, na boa vc é uma idiota e nem conhece a equipe que trabalha com zoológico , não sabe nem a dedicação e o amor que temos , vc é uma retardada que se acha a dona total da razão , só vc é a dona da verdade e sabe o que vc é ;;;;; merda nenhuma , criadora de blogs medíocres é isso que vc é

  29. Francamente? É lamentável…

    Eu cresci amando animais, nunca pensei que eu teria jeito ou que faria algo voltado pra eles. Fazia faculdade de publicidade e propaganda e consegui um estágio no zoológico. Eu chorava, eu adorava mais morria de medo dos bichos… Fiz 2 meses de estágio. Abandonei minha faculdade, e fui trabalhar no zoológico e estudar biologia.

    Eu entendo essa coisa de “repelir” e realmente existem zoológicos que não são bons, mais generalizar e afirmar que os bichos sofrem não é justo. Acho triste ver pessoas que pensam dessa forma, que o zoológico abusa dos bichos, que explora eles…
    Se vocÊ soubesse o estado dos bichos que agente recebe..

    Vc já viu um tucano sem bico?

    Não queira ver, é lamentável. O estado dos bichos que agente recebe…

    Não sei quem escreveu esse post porque não está assinado, ainda assim, te deixo um desafio: vem pro zoológico. Vem conhecer, veeeeeeem viver a r-e-a-l-i-d-a-d-e
    quantos zoológicos você visitou pra dizer todas essas coisas?

    Vem pro zoológico!! Vem ver de verdade o que vocÊ está falando aí que eu DUVIDO que você vai escrever outro texto como esse… isso se você não escrever um se retratando por essas acusações sem fundamento…

    Mais do que essa pagina na internet acredite, agente faz…

    Eu dou meu melhor por eles, faço minha parte e vocÊ?

    Levanta a bundinha da cadeira e vai fazer algo pelos animais, deixa de tentar atrapalhar o trabalho de quem faz algo por algum coisa.

    Quantos animais você salvou escrevendo textinho na internet?

    E quantos eu salvei no zoo?

    Pense nisso.

    Fica a dica: VEM PRO ZOO !!!

    • Realmente Evelyn Mayara “agente” como voce devem receber muito mal para vir aqui e defender seus caraminguás mensais (além de ter faltado aulas cruciais de Português)..

      Levanta a bundinha da cadeira e aprenda a escrever direitinho seu textinho na internet para depois, com total educação -que falta-lhe pra caramba! – debater aqui desvinculada de garantir seu ganha-pão.

      A GENTE aqui te espera polidamente.

  30. Há pouco tempo assisti ao documentário Black Fish sobre a exploração de orcas pelo Sea World. Fiquei profundamente tocada e imaginando se o mesmo não se aplicaria a zoológicos. Sempre gostei de ir a zoológicos, era um dos meus passeios favoritos quando criança. Hoje tenho dois filhos que também adoram ir ao zoológico e ficam encantados com os bichos.
    De repente, fiquei atônita com tudo o que tenho lido e pensado a respeito. Será que estou levando meus pequenos para se divertirem às custas do sofrimento de outros seres vivos?
    Não tenho conhecimento algum sobre fauna, cativeiro ou vida livre e me preocupei sobre se estaria contribuindo para que atrocidades fossem cometidas contra os animais. Vim buscar informação, e encontrei!
    Não acho que seja o caso de atacar a autora do texto, que apenas demonstrou o seu ponto de vista, tentando convencer as pessoas sobre aquilo que considera bom para os animais.
    Graças ao artigo pude ler todos os comentários das pessoas qualificadas que defenderam os zoológicos e descobri tanta coisa que nem fazia ideia. Nunca me ocorreu quantas pessoas se empenham no bem estar dos animais e quantos benefícios podem vir desse lugar que pra mim sempre foi apenas um dia de passeio gostoso com a família.
    EU ME IMPORTO COM OS ANIMAIS. E sabe o que mais? Acho que a autora do texto também se importa, os seus críticos ferrenhos também se importam, os biólogos defensores e profissionais dos zoos que aqui comentaram também se importam. Ao que me pareceu, o bem estar animal é prioridade aqui.
    Então, vamos abrir a cabeça para informações que desconhecemos e respeitar a iniciativa de cada um. A troca de ideias e experiências é enriquecedora quando mantemos o respeito pela opinião e profissão dos outros.
    Não precisamos ser agressivos e nem ter uma opinião imutável sobre as coisas. Vamos refletir.
    Da minha parte não posso dizer que já cheguei a uma conclusão, mas já avancei bastante nesse sentido.
    Se algum dia voltar a um zoológico vou prestar mais atenção a coisas que antes me passavam despercebidas.
    Informação é sempre bem vinda. Espero não ter causado mais discórdia.

  31. Primeiramente acho que o artigo devia ter sido escrito com um pouco mais de embasamento. Sou biólogo, conservacionista, trabalhei na África em um centro de reabilitação (cativeiro), no Pantanal (com onças-pintadas em vida livre) e na Mata atlântica (monitoramento de vida selvagem) e posso dizer com muita segurança que zoológicos me incentivaram sim a ser o que eu sou hoje.
    O argumento usado na matéria de que a sobrevivência de uma espécie não justifica a “escravidão” de outros é bem falho. Só como exemplo, a ararinha-azul (sim, aquela do filme rio) é um animal que se não tivesse sido reproduzido em cativeiro hoje seria uma espécie extinta, era melhor então não ter capturado os primeiros exemplares da natureza para deixa-los “livres” e morrerem no ano seguinte, do que capturar alguns, procria-los e hoje podermos reintroduzir dezenas de filhotes de volta a natureza?
    Outra coisa, concordo que existam zoológicos em que os animais são mal-tratados, e em condições precárias, mas há muitos que fazem um trabalho sério e oferecem uma condição de vida muito melhor do que eles teriam na própria natureza (para os mal entendedores e julgadores, isso não quer dizer que todos os animais devem ser capturados e criados em cativeiro, quer dizer que muitos zoos fornecem uma qualidade de vida muito boa para os animais cativos).
    Outro ponto, muitos animais que são nascidos em cativeiro, jamais poderão ser soltos novamente, eles morreriam no primeiro mês.
    Enfim, tenho mais uma lista de argumentos que não vou colocar, mas procurem se informar melhor antes de dizerem “não visitem zoológicos” . E antes de dizer que nós não temos o direito de prende-los, pensem em tudo que vocês consomem hoje em dia, que está acabando com o próprio habitat deles. Olhem para o próprio umbigo antes de apontar para o dos outros

  32. Sergio Vellozo Lucas

    De saco cheio dos radicais e dos seus discípulos que não pensam.

    A internet, redes sociais de modo especial, se tornaram o perfeito instrumento para os radicais de todas as orientações cooptarem milhares de seguidores incapazes de pensarem por si mesmo.

    A história do leão Cecil é um bom exemplo

    Uma primeira onda de indignação varreu a rede com a notícia da caçada do Leão. Nada demais, no mundo globalizado as notícias são instantâneas e a forma sorrateira como o leão protegido foi atraído para fora do parque antes de ser covardemente morto é realmente digna de um justo repúdio. Até aí tudo bem.

    Mas a segunda onda de indignação subiu muito o tom. Os radicais aproveitaram a popularidade do tema e acrescentaram suas doutrinas e o ódio que carregam às postagens sobre o tema.

    Essa segunda onda foi agressiva, a idéia primária era atacar o imbecil do dentista americano que matou o Cecil. Deram o endereço da casa do cara, da clínica, pediram pena de morte, tortura, sugeriram que ele fosse caçado pelo leão e todo o tipo de barbaridade radical.

    Esse conteúdo foi feito pelos militantes radicais e pelos especialistas em buscar curtidas com assuntos do momento e repicado por milhares de seguidores que não pensam por si mesmo, até ser esgotada a novidade.

    Qualquer dia alguém vai propor criminalizar o uso de antibióticos porque eles são assassinos em massa das indefesas bactérias.

    Aí veio a terceira onda feita pelos moderados que percebem o exagero e esboçaram alguns protestos contra a virulência dos ataques e dos absurdos contidos nas propostas dos radicais.

    A terceira onda foi praticamente uma marolinha.

    A quarta onda nasce dos radicais do polo oposto. Aqueles que ficam revoltados com o fato das pessoas sentirem tanto por um leão e ignorarem o Zé das Couves que morreu à mingua no mesmo dia e não foi merecedor de um mísero comentário na rede.

    Sofremos a morte de alguém próximo a nós, a exposição da historia do leão o tornou próximo do nosso mundo, o suficiente para sua perda ser sentida. De vez em quando algum dos milhares de “Zé das Couves” que morrem diariamente também vira tema da mídia e comove a população, mas o verdadeiro mecanismo da comoção popular pouco importa aos radicais, eles vão continuar dizendo que quem sentiu a morte do leão não sente a morte dos humanos.

    Embora em menor número os radicais da quarta onda também são agressivos. Tem os que defendem que tem que matar o bicho mesmo,os que se identificam com o dentista-caçado, os pretenso defensores da espécie humana, todos cheios de ódio dos que pensam diferente. Eles também tem seguidores que não pensam por si mesmo e que replicam a opinião de todos que demonizaram a comoção exagerada pela morte do Leão, a polarização ficou completa.

    A quarta onda varreu a terceira.

    Os radicais de ambos os lados conseguem amplificar sua voz com agressões e ódio. Eles são mais inimigos dos moderados do que dos radicais do outro extremo, porque eles só têm argumentos contra outros radicais.

    Cada grupo radical ataca os moderados como se esses fizessem parte do outro lado radical da discussão. Seus olhos não conseguem ver os argumentos mais equilibrados ou sua desonestidade intelectual faz questão de ignorar.

    Qualquer que seja o tema, costumes, política ou religião , os moderados são sempre excluídos dos debates na rede.

    Não interessa aos radicais discutir com os moderados, não interessa aos radicais que existam moderados e na grande rede isso é relativamente fácil, não ser agressivo não rende curtida.
    .

    Curtir Comentar

    Danilo Costa Silva curtiu isso.
    .

    Angelita Demoner Zanotti

    • Concordo que zoológico é uma prisão, mas matar os animais como as industrias fazem é pior do que isto. Boi, vaca, porco galinha e peixe TAMBÉM são animais que merecem RESPEITO.

    • Quem não pensa é vc ,que é uma retardada mental e ainda abre blog sobre isso, não conhece , tratador , nem veterinário , nem biólogos que trabalham nos zoos pra saber , que a Grande maioria são filhotes abandonados pela mãe que iriam morrer de qualquer maneira e se não fosse o ZOO que conheço que cuida com todo amor e carinho e ainda educa as crianças sobre as espécies, imagina as crianças conhecendo animais apenas por fotos, na boa vc é uma idiota e nem conhece a equipe que trabalha com zoológico , não sabe nem a dedicação e o amor que temos , vc é uma retardada que se acha a dona total da razão , só vc é a dona da verdade e sabe o que vc é ;;;;; merda nenhuma , criadora de blogs medíocres é isso que vc é

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui