Diversas cidades espanholas proíbem atrações com pôneis nas feiras populares


Por Loren Claire Canales (da Redação)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Santander, Torrelavega, Granada, Villanueva del Río y Minas (Sevilha), Tocina (Sevilha), Sanlúcar de Barrameda (Cádiz), Sevilha, Jerez, Almería, Basauri… e Tudela. Estas são algumas das cidades espanholas onde já foram proibidas as atrações com pôneis nas festas populares, pelas condições a que são submetidos os animais, denunciadas por diversos protetores e ONGs de ecologistas. As informações são do Diario de Navarra.

E é que, enquanto a Prefeitura de Pamplona mantém a sua intenção em instalar essa atração nas barracas da Feira de San Fermín, a capital distrital de Ribera Navarra, Tudela, já adotou o exemplo de outras localidades a nível nacional, em que as denúncias de um cidadão ou de ONGs protetoras dos animais motivaram a aprovação desta proibição.

Tudela dá o primeiro passo em Navarra

Segundo o presidente da ONG Protetora de Animais Ribera Navarra, Rodolfo Escalada, a iniciativa de um particular foi o que motivou essa organização para que mobilizasse e organizasse reuniões com os grupos políticos da Prefeitura de Tudela que, finalmente, resultaram na declaração da Junta do Governo contrária ao “uso de animais em feiras festivas”.

Foto: Renata Takahashi
Foto: Renata Takahashi

“Desenvolvemos um texto segundo o qual, além de tentar conseguir que a Prefeitura de Tudela se posicionasse a favor deste tema e não trouxesse essas atrações, buscávamos conseguir que as barracas da feira não entregassem animais vivos (peixes e tartarugas) como prêmio, como já está registrado na lei”, explica.

Rodolfo Escalada sustenta que o processo para retirar os passeios em pôneis das atrações festivas não demorou mais de 15 dias. “ Encaminhamos a proposta a prefeitura, que se desenvolveu através de uma moção para ser levada ao Plenário, foi tratada na Junta do Governo e decidiram que em Tudela não emitiriam mais licenças para instalar este tipo de atração com pôneis e que não promoveriam o uso dos mesmos. A proposta foi aprovada na sessão plenária da semana seguinte às reuniões com os grupos políticos, lembra.

Desta forma, foi aprovada de forma unânime a declaração contrária a “utilização de animais em espetáculos lúdicos como feiras, tômbolas, carrosséis de pôneis, assim como leiloá-los ou entregá-los como prêmios”, e foi proposto o compromisso de abordar em um debate futuro “a regulamentação de espetáculos circenses com animais”.

ONGs e outras cidades se unem contra a utilização de pôneis nas feiras populares

A Lei andaluz 11/2003 de Proteção aos Animais proíbe, no artigo 4.1.o. o emprego de animais em exibições, circos, festas e outras atividades que possam implicar sofrimento ao animal. Isso é destacado no site da Associación Andaluza para la Defensa de los Animales – ASANDA (Associação Andaluz para a Defesa dos Animais), que advoga para que os municípios não concedam licenças às atrações com animais.

Mesmo assim, a Lei Foral 7/1994, de 31 de maio de Proteção aos Animais em Navarra, estabelece no Título I, Artigo 4, que “ fica proibido o uso de animais em espetáculos, lutas e outras atividades que possam ocasionar em sofrimento ou maus-tratos aos mesmos”.

Desde 2009, os municípios de Granada, Villanueva del Río y Minas (Sevilha), Tocina (Sevilha), Sanlúcar de Barrameda (Cádiz), Sevilha, Jerez, Almería, de acordo com esta legislação, eliminaram as atrações com pôneis, iniciativa que também foi seguida em outros municípios do país como Santander, Torrelavega ou Basauri.

Como foi feito pela ONG Asanda, a ONG Ecologistas en Acción (Ecologistas em ação) expressa uma postura clara contra “o uso de animais em qualquer tipo de atividade, atração ou evento”.

“Não aceitamos que as feiras utilizem esses animais. Esses animais muitas vezes ficam dando voltas em um carrossel em condições de proteção para o animal que não são cumpridas ou são mínimas”. Não estamos a favor do uso de animais para diversão ou entretenimento”, manifesta Chesus Ferrer, coordenador regional da ONG Ecologistas em Ação.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FINAL FELIZ

MIGRAÇÃO

EXPLORAÇÃO

APELO

LUTO

FLORIANÓPOLIS (SC)

SÃO PAULO

INOVAÇÃO

AMOR

ESTUDO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>