Condomínio utiliza cerca elétrica para evitar entrada de capivaras em Campo Grande (MS)


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O condomínio de luxo Damha 1, em Campo Grande (MS), cercou o lago que fica dentro do residencial com uma cerca elétrica para evitar a entrada de capivaras, que entram no local em busca de alimento. Segundo denúncia anônima, os animais entram pelo Córrego Açude, onde também foi feita uma contenção com madeiras para evitar a entrada dos animais.

“As capivaras descem o córrego ou passam pela reserva que tem ao lado e entram no condomínio. Eles encheram o leito do rio com toras de madeira, mas elas conseguem nadar e passar, depois uma cerca normal e elas cavavam por baixo e agora as coitadas estão lá tomando choque”, disse o leitor que preferiu não se identificar por medo de represálias, já que trabalha no local.

O Centro de Assistência a Animais Silvestres (Cras) afirma não ter recebido nenhum chamado para a retirada dos animais, nem mesmo a Polícia Militar Ambiental, que também desconhece a denúncia sobre a cerca elétrica.

No dia 29 de maio, foi instaurado um inquérito civil no Ministério Público Estadual para “Verificar a regularidade jurídico-ambiental da construção de uma cerca às margens da represa do Córrego Açude, bem como intervenção em área de preservação permanente, nas dependências do Residencial Damha 1”.

A assessoria do promotor que cuidará do caso, Alexandre Lima Raslan, não retornou o contato da reportagem para que ele comente o assunto. A assessoria do condomínio também foi procurada para confirmar a situação e a voltagem usada, mas até o fechamento desta matéria não entrou em contato.

Segundo o veterinário Kelvin Garcia Lopes, o choque elétrico pode causar problemas neurológicos e até a morte do animal, dependendo da intensidade e voltagem. “Se o animal estiver molhado, devido a entrar na água, a condutividade elétrica é potencializada. Isso ocasiona o estresse do animal, pode causar distúrbios nutricionais, de ficarem, por exemplo, com medo de ir até o local e consequentemente ele fica sem comer. Além de queimaduras de vários graus, ataque cardíaco e até fulminante”, concluiu.

A capivara costuma viver em regiões às margens de rios e lagos. Utilizam a água como refúgio dos predadores, pois conseguem ficar submersas por alguns minutos. Esta espécie animal possui uma grande agilidade para nadar e, entre os roedores, a capivara é o maior animal.

Fonte: Midiamax


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOFRIMENTO

DIFICULDADES FINANCEIRAS

BELO HORIZONTE (MG)

COVARDIA

CRUELDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA

VITÓRIA

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>