Comida vegana ganha espaço na Alemanha


Hoje em dia, é cada vez mais comum, os restaurantes oferecerem opções variadas da cozinha vegana, ou seja, sem qualquer derivado animal. Só na Alemanha já existem 40 restaurantes e bistrôs que servem somente comida vegetariana.

O restaurante Kopps, que fica no centro de Berlim, tem como conceito preparar pratos da cozinha alemã vegana sem abrir mão do sabor. O Chef de cozinha deste restaurante, Björn Moschinski conta que conhece bem a cozinha alemã, e que até os 14 anos gostava de comer carne. Ele conhece os aromas e diferentes sabores dos assados. Segundo ele, muitas pessoas se tornam veganas, mas querem continuar a sentir o sabor de infância. Com suas receitas veganas, Björn quer atrair todo tipo de público. Ele diz ainda que a intenção é conquistar as pessoas que dizem que a culinária vegana não os atrai ou que a comida vegana não tem gosto. São preconceitos deste tipo que o restaurante pretende romper. Em noites de degustação, o restaurante pretende mostrar o quanto a culinária vegana mudou de uns anos pra cá. Durante noites como esta, ouve-se exclamações de surpresa quanto ao sabor agradável da comida.

Atualemte, vivem em Berlim, cerca de nove mil veganos. E muitos deles fazem compras em um supermercado especializado. Veganz, é o primeiro supermercado da Europa a oferecer praticamente tudo, mas nada a base de animais. Todos os itens são veganos, incluindo ração pra cachorro, padaria, sanduíches, salame, entre outros produtos que em sua maioria são feitos à base de soja. A Alemanha tem cerca de 600 mil veganos atualmente, oito vezes mais do que há três anos. Segundo Karen Franz, nutricionista, o aumento do numero de veganos se deve também ao marketing que chega aos jovens. Ela conta que hoje, os veganos já não são mais aqueles estereótipos de homens de sandálias e de barba, imagem típica que se tinha antigamente. Isso mudou também porque as ofertas atingem o interesse do público jovem.

Atualmente, há uma gama muito variada de produtos. Não só a comida é vegana. Também roupas podem ser feitas sem derivados de animais. Usa-se no vestuário vegano tecidos produzidos com poliéster reciclado, fibras de bambu, cânhamo, e seda a base de soja. Nada de lã ou seda animal. Viver de forma vegana e ainda assim não abrir mão de sabores nas cidades grandes. Isso já é possível.

Fonte: DW


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRIME AMBIENTAL

ABERRAÇÃO LEGISLATIVA

EXEMPLO

CICLOVIA RIO PINHEIROS

ESTRESSE

RESILIÊNCIA

BRECHAS LEGAIS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>