Estudantes aproveitam tema da festa junina para chamar atenção para a crueldade dos rodeios


Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Estudantes de 12, 13 e 14 anos de idade, que fazem parte da Plataforma Animal (braço da Plataforma Terráqueos), chamaram a atenção do público que lotou o Colégio Santo Agostinho de Contagem (MG) no último dia 08 de junho. O tema da Festa Junina 2013 da escola foi – Boi-Bumbá: a Festa Junina da Amazônia. Eles então buscaram diferenciar cultura e diversão de tortura. Para eles a diferença é muito grande.
A iniciativa atraiu de forma significativa a atenção do público de aproximadamente seis mil pessoas, especialmente por se tratar de jovens demonstrando uma importante mudança de mentalidade em relação a rodeios e provas balizadas pela indiferença e maus-tratos aos animais.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Eles foram a fundo nos bastidores dos rodeios, pesquisaram e conheceram sobre a crueldade feita aos animais: Prova do Laço ao Bezerro, Prova do Laço em Dupla (“calf roping” e “team roping”) ou Derrubadas (bulldog ou bulldogging), o uso do sedém, estocadas e choques elétricos, e o rodeio mirim, que proporcionam a estes seres indefesos dor física e sofrimento mental.

Os estudantes não mediram esforços: todo este processo exigiu a realização de algumas reuniões após o horário de aula; pesquisas em sites; mobilização dos colegas pelas redes sociais, chegar mais cedo para a montagem da barraca e até entrar na escala de ajuda.

Na barraca o visitante lançava uma argola e tentava salvar um boi da arena. Cada participante ganhava uma caneca que os próprios estudantes mandaram fazer com os dizeres: Rodeio não é Cultura, mas tortura.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

“Participar de mais um projeto da Plataforma Animal foi uma ótima experiência, já que conseguimos mostrar para as pessoas que, nos rodeios, os animais são tratados de uma forma cruel. Rodeio nunca será um esporte, pois os animais não participam das provas por livre e espontânea vontade. Quero deixar claro que nosso projeto apoia as festas com músicas, eventos, diversão e dança que não provoquem dor e machuquem os animais. Eu sei que é difícil para as pessoas entenderem, porque a mídia mostra tudo de uma maneira superficial e escondem os maus-tratos.” (Gabriela Thiebaut, 13 anos, 8º ano.)

“É muito importante que as pessoas saibam que uma parte da população ainda se importa com os animais, e querem conscientizá-las a respeito destes. Na Festa Junina 2013, a Plataforma Animal teve uma participação muito legal, da qual eu pude participar. Poder mostrar às pessoas a dor que os animais sentem nos rodeios não é uma tarefa fácil, exige muito trabalho e determinação! Mas nós conseguimos e essa foi só a primeira etapa da nossa meta!” (Sofia Moreira Goulart Sant’Ana – 12 anos)


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

NOVO LAR

COMPAIXÃO

GANÂNCIA

CAMINHO OPOSTO

ÁFRICA DO SUL

ESTADOS UNIDOS

CRUELDADE

ESTUDO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>