Bichos-preguiça são campeões de vendas no comércio clandestino de animais


Por Claudia Doppler (da Redação)

Foto: ABC News
Foto: ABC News

Depois de drogas e armas, comércio de animais silvestres é o terceiro mais lucrativo empreendimento criminoso.

Nas ruas agitadas de uma vila colombiana, exóticos pássaros coloridos, macacos e bichos-preguiça, animais que já foram selvagens, estão sendo vendidos como animais domésticos, e o negócio está prosperando. As informações são do ABC News.

O comércio de animais silvestres é, hoje, o terceiro mais lucrativo empreendimento criminoso na Colômbia, depois das drogas e armas. A estimativa é de que 60 mil animais foram traficados somente no ano passado, incluindo um crescente número de bichos-preguiça.

Além disso, traficantes estão abastecendo uma economia crescente que está se desenvolvendo para fora da Colômbia.  Avalia-se que o mercado global de animais silvestres, e isso inclui os Estados Unidos, gere 20 bilhões de dólares por ano.

No que hoje é considerada a maior apreensão de animais “de estimação” exóticos na história norte-americana, 27 mil animais, incluindo muitos bichos-preguiça, foram resgatados de um distribuidor de animais “de estimação” em Arlington, Texas, em 2009.  Um vídeo secreto realizado por membros da PETA mostrou que bichos-preguiça eram colocados em gaiolas imundas que não possuíam os equipamentos necessários para os animais sobreviverem em cativeiro, incluindo lâmpadas de calor e umidificadores. Os corpos de várias preguiças foram encontrados mais tarde no freezer das instalações.

Foi um lembrete triste, disse a zoóloga Lucy Cooke, sobre a concepção errada mais comum a respeito de preguiças.

“Eles não evoluíram para ser bicho de estimação de alguém”, disse Cooke. “Bichos-preguiça são péssimos animais domésticos. Esta é a verdade”.
Ela descreveu isto como a maldição de ser “bonitinho”. Por trás de sua natureza tranquila, um aparente gosto por abraços e aquele sorriso constante, é uma biologia altamente singular que deixa os bichos-preguiça extremamente incapazes de sobreviver fora da floresta, especialmente porque vivem à base de uma dieta complicada de aproximadamente 40 espécies de plantas.

“Eles são animais altamente peculiares”, disse Cooke. “Esta é a razão de não serem encontrados em zoológicos. Você não encontra preguiças-de-três-dedos em zoológicos nos Estados Unidos porque são muito difíceis de manter. Portanto, a ideia de que qualquer um possa criar uma preguiça como animal doméstico é um pouco de fantasia, realmente.”

O programa de notícias “Nightline”, da ABC News, junto com Cooke, foi a uma investigação secreta em Córdoba, região notória da Colômbia por seu comércio de animais silvestres, onde bichos-preguiça são um dos itens mais cotados para venda, para ver o quanto o tráfico se tornou desenfreado.

Samuel, nosso guia local, disse que traficantes operam ali com impunidade porque grupos paramilitares ainda controlam muito da área e a polícia raramente se envolve.

Poucos quilômetros depois de uma estação policial vazia e uma placa gigante de “Proibido tráfico”, estavam homens suspeitos de vender animais silvestres. Um homem vendia exóticos papagaios selvagens, que estavam amarrados e tinham suas asas cortadas para evitar que voassem. Outro oferecia um macaco bugio e outro, ainda, vendia bichos-preguiça por aproximadamente 30 dólares cada, e tirou um de sua sacola para mostrá-lo.

Quando um carro repentinamente parou perto de nós, os traficantes se dispersaram, mas foi um alarme falso. Supostamente, era o prefeito de uma cidade próxima que queria tirar uma foto com a preguiça.

Então, soubemos de outro traficante que tinha bichos-preguiça à venda do lado de fora de uma casa. Quando chegamos, uma família de preguiças-de-bentinho, uma mãe com dois filhotes, estava à venda, todos os três mantidos em um engradado.

Foi um momento de alegria e tristeza para Cooke.

“Nunca vi uma preguiça-de-bentinho antes”, ela disse. “Demorou minha vida inteira para eu ver uma. Nunca esperei que este seria o cenário em que veria uma pela primeira vez”.

“Eu vou manter a família unida, mas me sinto muito triste”, acrescentou Cooke.

Estávamos lidando com uma decisão, e era uma situação perigosa. Os traficantes nos rodearam e esperavam uma venda, mas poderíamos apenas ir embora ou deveríamos tentar salvar a família das preguiças?

Para sua segurança e a das preguiças, eles compraram a família toda por 125 dólares e as libertaram, uma vez que estavam saudáveis.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL

EXEMPLO

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>