Falta de água e de comida causam a morte de animais no sertão de PE


(Foto: Reprodução/G1)

Desde janeiro os índices de chuva estão 30% abaixo da média histórica do sertão de Pernambuco. Por isso, é possível encontrar áreas que não foram aradas para o plantio. A situação também é dramática para os criadores, que têm de conseguir comida e água para os animais.

Os bodes e as cabras do criador Severino Pereira passam dias de sede no sítio. Pelas condições do clima, não há pasto, os reservatórios estão secos e há pouca oferta de água, o que causa enfraquecimento dos animais.

O criador Manoel da Silva Filho improvisou uma armação de madeira e panos para evitar que as vacas caiam. Um dos bezerros não consegue mais ficar em pé. Mesmo com a luta, não é possível evitar prejuízos e mortes.

A criadora Clara Jesus tenta salvar as duas vacas com redes amarradas aos pés de algaroba. “Não tem o que fazer”, lamenta.

Na fazenda do criador Ulisses Ferraz, o gado com fome e sede para de reagir ao auxílio. A saída é queimar mandacaru, um tipo de cacto da caatinga. Na alta temperatura os espinhos deixam de ser uma ameaça ao rebanho. O mandacaru é servido junto à macambira, alimento disputado com desespero pelos animais.

Assista à reportagem aqui.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

GOIÂNIA (GO)

MÉXICO

ACIDENTE

AMOR

EMPATIA

AMOR

CRUELDADE

CHINA

FINAL FELIZ


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>