Talento e consciência

Morrissey mostra em show como animais são mortos nos matadouros

Foto: Jake Walters for the Guardian

A música pop tem o poder de traduzir o próprio tempo. Assim como Bob Dylan nos anos 1960, David Bowie nos anos 1970, Morrissey e suas canções angustiadas, ora doces, ora cínicas, serviu como elo para uma plateia igualmente descontente e atormentada. Primeiramente com os Smiths – a banda inglesa mais importante do período – e, com o traumático fim da banda, em 1987, em carreira solo, Steven Patrick Morrissey, ou simplesmente Moz, vem colecionando controvérsias na mesma proporção que continua arregimentando milhares de fãs em todo o mundo.

A estreia da turnê sul-americana, sexta-feira, em Viña del Mar, Chile, foi uma amostra do que Belo Horizonte, a primeira das três capitais brasileiras a recebê-lo nessa segunda vinda ao país, verá em 7 de março, no Chevrolet Hall. Durante a execução de Meat is murder, um vídeo mostrou como é feita a criação de animais que depois serão mortos, o que exaltou o público.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Rebelde com uma causa

Morrissey é vegetariano desde dos 11 anos y nos seus shows está proibida a venda de carne como hambúrgueres, cachorros quentes, etc.

Antes de subir ao palco pediu para Eva Gomez – apresentadora do Festival – que retirasse as penas e plumas do vestido dela, e em respeito a Morrissey ela decidiu nao usar sapato de couro e subiu no palco usando um sapato de plástico.

A producão do Festival também se encarregou de retirar do camarim todos os canapés que continham carne animal.

Na entrevista concedida por e-mail ao Estado de Minas, Morrissey responde entre outras perguntas se é um grande ativista do vegetarianismo e dos direitos dos animais e se houve evolução nesse quesito nos últimos 30 anos.

“O abuso de animais é hoje discutido em todos os lugares. Os restaurantes têm opções vegetarianas só porque os donos concluíram que boa parte dos clientes iria embora se os vegans não pudessem se alimentar. Curiosamente, a indústria da morte – da carne – está lutando de maneira muito forte. Isso acontece porque sabem que estão perdendo. Minha crença é simples: não deverás matar. Também acho que você pode avaliar uma pessoa pela maneira que ela trata animais. Geralmente, pessoas que são cruéis com animais também o são com seres humanos e com o próprio planeta. A questão mais importante é que as pessoas estão, agora, pensando seriamente sobre a comida. Como consequência, há uma compreensão geral de que redes como KFC e McDonald’s não são apenas ruins para os animais, como também para as pessoas e o meio ambiente. A chamada indústria da carne é um desastre para o meio ambiente, mas os líderes mundiais ainda não fizeram restrições por causa da quantidade de dinheiro que o ato de matar animais gera”, finalizou Morrissey.

Morrissey no Brasil

Dia 07 de março em Belo Horizonte – Chevrolet Hall. Ingressos – R$ 280 (pista premium), R$ 120 (1° lote pista).

Dia 09 de março no Rio de Janeiro – Fundição Progresso. Ingressos – R$ 420 (pista premium) e R$ 180 (arquibancada/pista).

Dia 11 de março em São Paulo – Espaço das Américas. Ingressos – R$ 340 (pista premium) e R$ 200 (pista).

Com informações de  Pernambuco.com

7 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui