Animais eram esfolados vivos em matadouros australianos


As torturas variavam. Às vezes eram porcos que demoravam longos minutos a morrer. Quando não bastava a descarga elétrica, completava-se o trabalho à marretada – com pesadas barras de ferro aplicadas à discrição. Outras vezes, penduravam-se e esfolavam-se carneiros vivos. Estes, note-se, eram apenas alguns dos tratamentos infligidos aos animais numa exploração pecuária na Nova Gales do Sul, que constitui parte da Austrália. Nessa zona do mundo, é suposto tais coisas não acontecerem. Mas acontecem, e a evidência de imagens obtidas à socapa e apresentadas na televisão não deixa dúvidas.

O matadouro será agora fechados, e os responsáveis vão a tribunal. “É absolutamente horrível”, diz a porta voz de um organismo de defesa dos animais. Fala-se em mais de cem atos individuais documentados. Quantos milhares mais não terá havido. Ainda há não muito tempo as exportações de carne estiveram proibidas por razões semelhantes. As multas podem ultrapassar os cem mil dólares australianos. Pelos vistos, não é suficiente.

Fonte: Expresso


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMPANHIA

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>