Prefeito de Tatuí (SP) inicia diálogo para implantar o Projeto Postos Veterinários


Nirley Silva
nirleya@gmail.com

O Sr. Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, em memorável e histórica decisão inicia diálogo com a ‘Família amigos dos animais de Tatuí’, visando à implantação do revolucionário ‘Projeto postos veterinários de proteção aos animais‘ – Solução definitiva para o sofrimento dos animais abandonados, sem aprisionar nem matar.

 Se o nobre Prefeito Gonzaga decidir pela pioneira implantação do projeto em Tatuí, a cidade será referência para a proteção animal de todo Brasil e do exterior, exemplo de competência administrativa e exercício prático da ética. Com todo mérito ao Sr. Luiz Gonzaga Vieira de Camargo,Tatuí poderá em breve ostentar o título de “Capital nacional da proteção animal” – Cidade livre da crueldade com os animais abandonados.  Amém.

________

Tatuí, 10 de fevereiro de 2012.

Resposta ao ofício N. 106/12 – SMGNJ

Prezado Senhor Aniz Eduardo Boneder Amadei

Secretário de Governo e Negócios Jurídicos

Prefeitura Municipal de Tatuí – SP

As famílias amigos dos animais de Tatuí e de todo Brasil agradecem entusiasticamente a iniciativa da Prefeitura Municipal de Tatuí, por estar considerando a possibilidade de implantação do “Projeto postos veterinários de proteção aos animais – PVPA”.

O projeto ‘Postos veterinários’ está formatado para ser implantado em todos os municípios do Brasil, cada prefeitura fará adequações para atender a peculiaridades específicas. Para atingir o objetivo é imprescindível atender os três pilares que sustentam o projeto [1].

1 – Implantar os postos veterinários de proteção aos animais. Uma unidade para cada 25 mil habitantes do município [2].

2 – Os postos inicialmente devem executar as ‘esterilizações iniciais de ajuste’. A meta é esterilizar voluntária e gratuitamente 80% das fêmeas canino felinas do município [3].

3 – Participação cooperativa da comunidade nas ações e projetos dos postos [4].

O detalhamento do projeto pelos técnicos da prefeitura, antes, durante e após a implantação, deverá resultar na elaboração pela Prefeitura de Tatuí do definitivo ‘Projeto postos veterinários de proteção aos animais’, modelo que poderá ser implantado em todos os municípios do Brasil.

Respostas a indagações enviadas por Vossa Senhoria sobre o “Projeto Postos Veterinários de proteção aos animais – PVPA”. –

1 – Quantos postos V.S. pretende que sejam criados? Em quais bairros do município? Qual o tamanho adequado da área que o abrigaria.

R – O projeto prevê a criação de um posto veterinário para cada 25 mil habitantes do município. Em Tatuí, são necessários quatro postos [5]. Reduzir o número de postos condena o projeto a não atingir seus objetivos de controle.

Os técnicos da prefeitura deverão determinar a localização dos postos [6].

Os postos não albergarão animais, uma casa pequena, da prefeitura ou alugada, com + – 120 m2 de área construída, similar a um consultório veterinário simples[7].

2 – Como se daria o funcionamento? Atenderia em horário comercial ou 24 horas? 

R – Atendimento deverá ser apenas em horário comercial [8].

3 – Qual o custo? Existe um orçamento ou levantamento preliminar para que possamos ter uma ideia inicial?

R – Postos veterinários de proteção aos animais – Com a implantação dos postos veterinários o monitoramento eficiente do número de animais abandonados estará assegurado, as metas de redução do abandono serão necessariamente alcançadas. Além da vigilância eficaz para que o abandono não volte, após o término das estimadas seis mil ‘esterilizações iniciais de ajuste’, cada posto fará em média 2.400 atendimentos clínicos-veterinários/ano, gratuitos, além de inúmeras ações de proteção aos animais.

Custo estimado para a Implantação – Prefeitura aluga uma casa simples + – 120 m2 adaptando-a para a finalidade. A prefeitura fará a formatação física mais apropriada a sua realidade. Custo médio total dos equipamentos – R$ 25 mil por unidade. Para Tatuí o projeto prevê quatro postos com investimento total de R$ 100 mil. O custo real variará em função de condições específicas [9].

b – funcionamento – Custo mensal médio estimado – R$ 7,5 mil por unidade (material de consumo – luvas, algodão, gaze, seringa, talas, sondas, etc., medicamentos, anestésicos, salário veterinário integral (40hs), salário do auxiliar, aluguel casa simples, agua, luz, telefone e internet). O custo real variará em função de condições específicas [10].

4 – Qual a infraestrutura necessária? Serão necessários equipamentos veterinários e cirúrgicos específicos?

R – A prefeitura poderá usar instalações próprias eventualmente existentes e disponíveis ou optar por alugar uma residência simples no bairro.

Equipamentos necessários: Mesa de atendimento e mesa cirúrgica, armário vitrine e outro armário, mesa de escritório, armário de escritório, instrumental para esterilização, estufa para esterilização, aparelho de anestesia, cadeiras, Arquivo, etc., já incluídos no investimento de implantação [11].

5 – Quantos profissionais estariam envolvidos? Qual a qualificação exigida de tais profissionais?

R – Cada posto terá apenas um Veterinário e um auxiliar de serviços gerais [12]. O Veterinário deve preencher os requisitos da legislação. Ambos deverão exercer suas funções como verdadeiros protetores de animais profissionalizados.

6 – De que forma se dará o atendimento? Serão aceitos atendimentos emergências em domicílio?

R – Instalados, os postos serão operacionalizados em duas etapas. –

A – Inicialmente os postos funcionarão exclusivamente para executar as ‘esterilizações iniciais de ajuste’, até atingir o índice de 80% de esterilizações do total de fêmeas felino-caninas do município, inclusive área rural.

B – Após atingir o objetivo das ‘esterilizações iniciais de ajuste’, inicia-se o funcionamento normal dos postos, fazendo 10 atendimentos clínicos diários em cada unidade, eventuais esterilizações de fêmeas, cadastro dos lares provisórios, Blog de animais para adoção e achados/perdidos, prevenção e combate a maus-tratos a animais, etc. [13].

Não estão previstos atendimentos emergenciais em domicilio.

7 – Haverá impacto na atuação dos veterinários que possuem clínica particular? Poderá o projeto reduzir a clientela de tais profissionais?

R – A implantação do projeto postos veterinários abrirá imensa área de trabalho para veterinários. A distribuição da cartilha sobre esterilização e guarda responsável, aumentará consideravelmente o número de consultas nas clínicas particulares. Serão feitas sugestões de encaminhamento a veterinários particulares se identificadas doenças durante as “esterilizações iniciais de ajuste”.

Os projetos de conscientização aumentarão as consultas nos consultórios particulares, e principalmente todos os veterinários terão a consciência tranquila por saber que a crueldade vivida pelos animais abandonados, a quem dedicam atenção incondicional, estará minimizada [14].

O atendimento nos postos disponível a todos, irá ser procurado basicamente por animais que normalmente não são encaminhados a veterinários. O atendimento nos postos é apenas clínico, sem exames complexos, radiografias, internações, etc.

Quem já leva o animal a veterinário não irá usar rotineiramente os postos. Aumentará o atendimento nas clínicas particulares, considerando que haverá inúmeros encaminhamentos para exames e consultas de média e alta complexidade, que não serão realizados nos postos [15].

Haverá impacto altamente positivo no comércio, nas agropecuárias, farmácias, petshops, etc., considerando que cada posto fará em média 2.400 atendimentos clínicos por ano, dez mil novas receitas de medicamentos serão aviadas.

A implantação do projeto postos veterinários de proteção aos animais, além de beneficiar os veterinários, trará inúmeros outros benefícios, dentre eles destacamos [16]. –

1 – Benefícios para os animais – As esterilizações diminuem muito os riscos de doenças uterinas, do sistema reprodutor e câncer de mama, etc. O cruel e bárbaro abandono será minimizado. As consultas nos postos aliviarão o sofrimento dos doentes, que atualmente não são atendidos por veterinários, padecendo sem nenhum atendimento. Os maus tratos a animais serão desestimulados pelo encaminhamento as autoridades competentes dos casos verificados.

2 – Benefícios para a Prefeitura – Economia com resgate, alojamento, tratamento e encaminhamento para adoção dos animais. Gastos com a manutenção de milhares de animais nos abrigos particulares irá diminuir. Cidade mais limpa. População com menos riscos a doenças contagiosas. Visitantes voltam e recomendam cidade que trata bem o animal. Maior arrecadação de impostos com o incremento do comércio local de serviços, agropecuárias, farmácias, petshops, etc..

3 – Benefícios para o Prefeito – Aumento da credibilidade na opinião pública. Deixar marca histórica na administração. Evitar desgastes judiciais desnecessários. Consciência tranquila por saber que fez o possível para minimizar a crueldade vivida pelos animais abandonados. A população reconhece o exercício prático da ética.

– Benefícios para os Protetores de animais – O sonho mais acalentado por todos protetores é ver o fim do abandono. Será possível dar atenção digna aos abrigados. Não irão mais chorar, com o coração apertado pela compaixão e preocupação, ao resgatar mais um, mesmo sabendo que não existem mais espaço nem dinheiro em suas casas.

– Benefícios para todos – Menos violência, a crueldade com animais é incentivadora de padrões violentos. Mais saúde, com o efetivo controle de agentes que podem ser transmissores de doenças. Mais dignidade, o valor de uma cidade pode ser medido pela maneira como trata seus animais. Redução a quase zero de Zoonoses que podem ser transmitidas por animais abandonados e doentes, como leishmaniose, raiva, tuberculose, toxoplasmose, leptospirose, doenças de pele como as micoses, verminoses, entre muitas outras. Redução a quase zero dos acidentes com humanos feridos e/ou mortos, envolvendo animais errantes nas ruas e rodovias.

6 – Benefícios para Tatuí – No caso específico de Tatuí, os benefícios são incalculáveis… Além de termos a alma lavada, por sermos a primeira cidade no Brasil a solucionar definitivamente o sofrimento dos animais abandonados sem aprisionar nem matar, usando controle eficaz matemático e geograficamente planejado do controle da população de animais, seremos também a única cidade do Brasil com política pública eficaz para os animais, sem burocracias, de fácil implantação e baixíssimo custo.

Além de sermos a capital da música, seremos também a capital da proteção animal. O Brasil todo, e vários contatos no exterior estão ansiosamente de olhos voltados para a decisão de nosso nobre prefeito, pela implantação do projeto postos veterinários.

O fim do cruel e bárbaro sofrimento vivido pelos animais abandonados, sonhado em todo mundo por gerações de pessoas apaixonadas pela vida de animais humanos ou não, trará para Tatuí legiões de protetores de animais, prefeitos e Ongs, interessadas em conhecer o Prefeito a quem a história destinou a ser o “Prefeito Libertador”.

Nosso Prefeito será considerado e lembrado como Estadista de visão revolucionária, pela decisão ética de relevância incomensurável, implantando integralmente o ‘Projeto postos veterinários’.

Nossa cidade terá considerável incremento do setor de serviços, hospedagens, restaurantes, taxis, diversão, etc.

8 – Em se tratando de animais em situação de abandono, qual o destino que se dará ao animal após o atendimento?

R – Na primeira fase de implantação do projeto, que estimamos será completada em no máximo um ano, com os postos funcionando apenas para as ‘esterilizações iniciais de ajuste’, todas as fêmeas canino-felinas errantes deverão ser esterilizadas e levadas para o local onde foram encontradas [17]. Os mais de quarenta santuários abrigos de animais em Tatuí estão superlotados com mais de 3.000 cães e gatos resgatados em situação de risco das ruas da cidade.

Diariamente vejo em nossa cidade protetoras em pranto por não terem mais espaço nem dinheiro em suas casas para acolher mais um que encontram moribundo e sofrendo, doente, rejeitado e desprezado pelos humanos, em quem depositavam total confiança e a quem dedicavam a mais pura lealdade.  Basta sair de casa para encontra-los, estimamos em mais de dois mil os abandonados em nossa cidade.

A situação é de absoluta calamidade e a solução definitiva tem que começar por estancar drasticamente os nascimentos [18].

Encerradas as ‘esterilizações iniciais de ajuste’ os postos funcionarão normalmente, e os animais abandonados, deverão ser paulatinamente resgatados das ruas, levados aos postos, medicados e encaminhados aos ‘lares provisórios’ [19] oferecidos gratuitamente pelos protetores de animais da cidade, que atualmente já fazem resgates, e irão trabalhar intensamente com os postos e a rede de protetores parceiros dos postos, para que sejam adotados.

Só nas cinco ‘famílias amigos dos animais de Tatuí’[20] estão reunidas mais de uma centena destes protetores que cooperarão voluntária e intensamente com os postos para abrigar e encontrar adoção para os resgatados. Casos especiais, como animais de grande porte, acidentados, que exigem atenção especial serão encaminhados aos ‘lares provisórios conveniados’ [21], os atuais santuários abrigos, com as despesas pagas pela prefeitura. Reabilitados, os santuários e toda rede de protetores e postos irá trabalhar intensamente para que sejam adotados.

Os atuais santuários abrigos, atualmente superlotados com mais de três mil animais só em Tatuí, são mantidos com descomunal dificuldade financeira e emocional por ‘anjos’ protetores que se vestem de humanos para nos ensinar amor e compaixão.

Em poucos anos após a implantação do projeto postos veterinários, a população animal destes santuários começará a diminuir, sendo possível dar atenção e dignidade aos que ali continuarão, por impossibilidade de encontrar adoção, pela idade, deficiências, etc. [22].

Após o início de funcionamento normal dos postos, o número de animais abandonados que perambulam pelas ruas irá diminuir paulatinamente, acompanhado por monitoramento matemático eficaz.

Em poucos anos estará solucionado definitivamente o sofrimento dos animais abandonados em nossa cidade, e os postos continuarão indefinidamente o monitoramento para que não volte [23].

Os postos irão criar um único Blog de adoções para todo município, administrado pelos veterinários e pelos ‘lares provisórios’, facilitando muito encontrar adotantes para os animais. O mesmo blog será usado para anunciar e encontrar animais perdidos. Todos os animais encontrados abandonados e levados aos postos ou a um ‘lar provisório’ voluntário ou conveniado deverão ser imediatamente fotografados e postados no blog.

Encontrar animais perdidos será questão de horas… Solução de custo Zero e enorme valor emocional [24].

9 – Os postos aceitarão somente cães em situação de abandono ou também os demais?

R – A implantação do projeto postos veterinários de proteção aos animais – PVPA, soluciona definitivamente a superpopulação animal, raiz do abandono de animais.

Também institui política pública municipal de proteção aos animais. Todos os animais deverão ser objeto de atenção e atendimento nos postos, sejam eles domiciliados ou não [25].

10 – De que forma o Grupo ‘Família Amigos dos Animais’ poderá colaborar com o município?

R – A participação voluntariosa e cooperativa da sociedade, através de parcerias dos postos veterinários com Ongs, empresas e principalmente com os protetores autônomos, é imprescindível para que os objetivos do projeto postos veterinários seja alcançado.

Análise histórica visível a todos envolvidos em proteção animal demonstra que sozinho o poder público não conseguiu dar solução definitiva e ética para o abandono de animais em nenhum município do Brasil.

Tampouco a sociedade, através das Ongs e protetores autônomos conseguem avançar para solução definitiva, apesar de intensos e exaustivos projetos desenvolvidos em muitas cidades.

O ‘Projeto postos veterinários de proteção aos animais une prefeitura e sociedade em parcerias, para que finalmente o sonhado objetivo de encontrar a solução definitiva, eficaz e ética, sem aprisionar nem matar os animais seja alcançado.

As famílias amigos dos animais, em Tatuí já foram iniciadas cinco e muitas outras surgirão, reúnem informalmente centenas de protetores autônomos de animais e milhares de simpatizantes do projeto postos veterinários. Os coordenadores se comunicam com ‘suas’ famílias através de e-mails e das redes sociais da internet.

O objetivo exclusivo das ‘famílias amigos dos animais’ é convencer os prefeitos a executar o projeto postos veterinários de proteção aos animais.

Atingido o objetivo e implantado os postos veterinários, as ‘famílias’ organizadas e mobilizadas irão colaborar intensamente em parcerias não remuneradas de iniciativa dos postos veterinários.

Desde já as famílias amigos dos animais se oferecem para desenvolver e executar projetos relativos a implantação dos postos veterinários.

Colocamo-nos a total disposição da prefeitura, para tudo que julgarem sejamos capazes de fazer. Citamos alguns itens, sempre de iniciativa e sob controle da prefeitura, e sem nenhuma remuneração. –

1 – Decidida a implantação do projeto postos veterinários, antecipadamente solicitamos autorização da prefeitura para elaborar e executar projeto para queos protetores membros das famílias amigos dos animais iniciem a reabilitação e encaminhamento para adoção de todos os animais que estão no canil municipal – CCZ – Zoonoses.

2 – Elaborar o projeto da cartilha que será utilizada na ‘fase inicial de ajuste’ [26], explicando as vantagens da esterilização das fêmeas para estimular a população a participar.

3 – Auxiliar os veterinários dos postos no cadastramento dos animais do município, executado pari passu com as ‘esterilizações iniciais de ajuste’. [27].

4 – Cadastrar os potenciais ‘lares temporários’ voluntários e conveniados [28].

5 – Auxiliar os postos na logística de trazer os animais que serão esterilizados até o posto, de pessoas com dificuldade para fazê-lo [29]. Auxiliar na busca e encaminhamento sem violência dos animais errantes para os postos, e retorna-los depois de recuperados da esterilização.

6 – Auxiliar na elaboração e execução de projeto de divulgação da implantação dos postos, conscientizando a população sobre os benefícios da esterilização e informações para prevenção de maus-tratos a animais.

7 – Auxiliar na elaboração e execução de amplo projeto de divulgação da implantação do projeto na mídia local, regional e nacional, visando atrair visitantes ligados a proteção animal e prefeituras, incrementando o setor se serviços da cidade.

Vale notar que os mais de cem protetores autônomos que fazem resgates de animais membros das cinco ‘família amigos dos animais’ já colaboram com a prefeitura, ao fazerem os atuais resgates de milhares de animais em situação de risco, levar a veterinários, comprar os medicamentos, reabilitar e encaminhar para a dificílima adoção.

Em Tatuí existem mais de trinta santuários/abrigos de animais resgatados das ruas em situação de risco, superlotados com mais de três mil cães, gatos e cavalos.

Milhares de animais são mantidos nos abrigos por falta de adotantes, considerando que os nascimentos não cessam e continuam em progressão geométrica.

As despesas dos santuários/abrigos com os resgates, veterinários, medicamentos, hospedagens, alimentação, etc. são custeados integralmente pelos protetores autônomos.

Os protetores de animais que fazem resgates de animais em situação de risco, em gesto de nobreza, compaixão e altivez, não fecham os olhos ao sofrimento cruel e bárbaro destes seres inocentes, fracos e subjugados pela maldade humana.

Os protetores de animais membros das famílias amigos dos animais, assim como todos os protetores da cidade, continuarão auxiliando o município nos resgates, reabilitação e adoção dos animais abandonados, e com a autorização da prefeitura deseja também reabilitar e encaminhar para adoção os animais do canil municipal de Tatuí.

Estamos ansiosos para fazer muito mais, participando efetivamente em parcerias não remuneradas com os postos veterinários [30].

Para que o sonho de ver o fim do sofrimento dos animais abandonados se realize, e possamos enxugar as lágrimas que não cessam dia e noite, para que nenhum animal seja aprisionado nem morto nos canis municipais de todo Brasil, para que os que continuam nas ruas encontrem um lar de onde nunca deveriam ser expulsos, para que não haja mais os nascimentos incontrolados que trazem ao mundo criaturas sensíveis apenas para sofrer.

11 – Existe projeto similar executado com êxito em outro município? Qual?

R – O ‘Projeto postos veterinários de proteção aos animais’ é inédito e revolucionário. Não é do meu conhecimento a existência de outro similar.

Tatuí poderá ser o primeiro município do Brasil a solucionar definitivamente o sofrimento dos animais abandonados, sem aprisionar nem matar.

Agradeço muitíssimo se transmitir ao nosso visionário Prefeito a mensagem abaixo.

 

Estimado e ilustre Prefeito de Tatuí, Sr. Luiz Gonzaga Vieira de Camargo.

Com muita ansiedade e esperança, os mais de quatro mil tatuianos simpatizantes e dezenas de milhares de protetores de animais em todo Brasil, lhe suplicam para que considere a implantação do ‘Projeto postos veterinários de proteção aos animais’.

Aceite nossa eterna e inesquecível gratidão.

Aguardamos com ansiedade sem limites e certeza absoluta uma resposta afirmativa pela implantação em nosso município do “Projeto postos veterinários de proteção aos animais”.

Atenciosamente,

José M. Franson

Coordenador da “Família amigos dos animais de Tatuí – José Franson”

Tatuí – SP

fransonvegan@gmail.com.br

 



Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AMOR

VIDA NOVA

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA

GENEROSIDADE

REABILITAÇÃO

EMPATIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>