Ativistas arriscam a vida para impedir que raposas sejam mortas durante campeonato cruel


Por Graziella Belliato (da Redação)

Manifestantes tentam impedir massacre (Foto: Reprodução/Equanimal)

Pelo sexto ano consecutivo, ativistas da entidade antiespecismo Equanimal compareceram ao “Monte Galicia” para protestar e evitar o assassinato ‘legal’ de animais que ocorre no “Campeonato Espanhol de Caça às Raposas”. A ação, que ocorreu no dia 4 de fevereiro, tinha o objetivo de impedir o maior número possível de mortes de raposas (e de outros animais, que eventualmente acabam sendo assassinados) e conscientizar as pessoas acerca da necessidade de cessar as agressões contra os animais não humanos. Na realização da ação, que é pacífica e permitida por lei, os ativistas caminham próximos aos caçadores e posicionam-se entre suas armas e vítimas, dificultando assim, que os animais sejam mortos.

Com essa ação, a Equanimal dá continuidade às mobilizações feitas recentemente para protestar contra este tipo de violência cometida contra os animais, a exemplo das ações realizadas em frente à “Junta de Galicia” e no centro de Santiago da Compostela, local muito próximo de onde ocorreu o campeonato.

Diversas autoridades dificultam o trabalho da organização, em especial a “Secretaria de Meio Ambiente da Junta de Galícia”, que sob total influência do lobby caçador, tenta de todas as maneiras impedir que a entidade salve os animais. A Guarda Civil também atua no sentido de obstruir o trabalho dos ativistas, realizando paradas de veículos e até mesmo intimidações e ameaças a eles.

Foto: Reprodução/Equanimal

E isso não é tudo: somadas às dificuldades enfrentadas pelos ativistas devido à atuação abusiva das autoridades, os representantes da Equanimal também têm de lidar com ameaças como: “Temos licença para caçar. Se eu atirar em você, digo que foi acidente!”, proferidas pelos caçadores. Além disso, os algozes ainda furam e esvaziam os pneus dos carros utilizados pelos defensores dos animais. Em mais um exemplo de total falta de respeito à ação legal realizada pela Equanimal, dois caçadores saltaram sobre um representante da entidade e tomaram de suas mãos – e rasgaram – um cartaz que continha frases de protesto.

A Equanimal não defende apenas raposas. Eles não são ambientalistas e sim defensores dos animais. Enxergam estes seres como indivíduos que sentem dor e prazer. Não defendem apenas uma espécie ou ecossistema. A instituição se opõe a todo tipo de caça, sendo “ecológica” ou não, pois todas terminam da mesma forma: com a matança de seres que, assim como nós, têm o direito de viver.

Apesar de todas tentativas de impedir que a Equanimal falasse pelos animais naquele evento, os ativistas se fizeram ouvir através de seu trabalho ético e valente.

Veja o vídeo da reportagem:

Se deseja conhecer mais sobre o trabalho desta organização que luta contra o especismo, visite: equanimal.org .


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO

ACIDENTE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>