Justiça determina matança de garças em Fernando de Noronha (PE)


Gilberto Pinheiro
pinheiro.gilberto@bol.com.br

Minha esposa estava assistindo ao Fantástico e, de repente, me chamou para ver algo estarrecedor: a Justiça determinou que em Fernando de Noronha todas as garças sejam mortas, uma vez que passam sob o céu deste arquipélago aviões, transportando turistas, atendendo às pousadas e, as aves, põem em perigo as aeronaves.

Mostrou um casal de veterinários donos de 3 gaviões treinados para caçar as aves e levá-las até eles. Posteriormente, as aves eram colocadas dentro de uma caixa grande e, mais tarde, sedadas e mortas com e mortas com injeção letal.

Ora, este lugar é um santuário ecológico, área de preservação e habitat natural de animais. Como pode um juiz de Direito decidir pelos animais, mandando matá-los?

É ele o senhor da vida, um Deus para tomar esta decisão?

Por que em vez deste crime contra a natureza, não mudar a rota dos aviões ou proibir as aeronaves de sobrevoarem este cinturão natural?

Seria mais fácil proibir a rota de aviões e deixar os animais em paz, afinal, ninguém tem direito de matar animais. Criem outra alternativa, como navios em vez de aviões. Quer dizer que se amanhã surgirem outras aves migratórias e resolverem viver no arquipélago terão que ser mortas também?

É sempre assim, a lei do mais forte contra o mais fraco. Às vezes, me envergonho de pertencer à espécie humana.

Acho que nós, defensores dos animais e simpatizantes da causa precisamos fazer alguma coisa: possivelmente, um abaixo-assinado, pedindo à Justiça a revogação dessa decisão perversa de matar as aves. Alegam os defensores desse crime que elas transmitem doenças para outros animais, no caso, a salmonela. Parece-me desculpa esfarrapada, pois o animal mais feroz e que mais transmite doença na face da Terra é o ser humano.

Então, por analogia, ser ia justo eliminar humanos com medo de doenças? Claro que não, pois isso seria uma loucura!

A ignorância não tem limites e atinge, inclusive, pessoas letradas que decidem pela vida. Um absurdo mandar matar todas essas aves por causa do poderio econômico e bens comerciais.

As pousadas não podem perder cliente e as companhias de aviação não podem perder passageiros.

Francamente, não é à toa que a humanidade sofre. Enquanto um animal for morto na Terra pela bestialidade humana, o mundo jamais terá paz. Não profetizo, pois todo profeta é ignorante, mas é a observação da vida no dia-a-dia. O mundo não conhece o caminho da paz e, pelo visto, está longe desse objetivo. Tragédias ocorrem por causa da insensatez humana.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

EMPREENDEDORISMO

AÇÃO HUMANA

CONSCIENTIZAÇÃO

ABUSO

ÓRFÃO

COREIA DO SUL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>