Protestos ocorreram na casa de acusada de matar mais de 30 mil animais em SP


Após a manifestação do movimento “Crueldade Nunca Mais” na avenida Paulista, em SP, alguns manifestantes seguiram espontaneamente até a Vila Mariana, em São Paulo, para protestar em frente à residência de uma mulher suspeita de matar mais de 30 mil animais, entre gatos e cachorros, em oito anos.

Gritando “assassina” e “covarde”, cerca de 70 pessoas começaram a protestar por volta das 13h30 contra Dalva Lina da Silva, a acusada de matar mais de 30 animais na semana passada. “Não tenho palavras para descrever o que ela fez. É abominável. Ela ficou presa por pouco tempo e pagou uma fiança ridícula. O povo vai começar a fazer justiça”, afirmou Leonardo Ricceti, 27 anos, que protestava em frente à residência.

(Foto: ANDA)

“Eu moro há oito anos aqui e a única coisa que eu sabia é que ela tinha uma adoração por animais, além de ser meio instável psicologicamente. Mas acho válido o protesto, desde que seja pacífico”, afirmou uma vizinha de Dalva que não quis se identificar.

Os manifestantes afirmaram que um homem não identificado, que estava dentro da residência os teria ameaçado, mostrando uma arma de fogo. Algumas pessoas afirmaram que iriam registrar um boletim de ocorrência. “Ele mostrou uma revólver na cintura, como se dissesse que ia nos matar”, afirmou Aline Caires, 27 anos.

Cerca de 30 minutos após o início da manifestação, as pessoas deixaram o local e seguiram em direção à residência do ex-marido de Dalva, no mesmo bairro. Havia suspeita de que a mulher teria saído de casa para não ouvir a manifestação.

O movimento “Crueldade Nunca Mais” organizou neste sábado diversas manifestações pedindo uma punição mais severa contra crimes aos animais. De acordo com o movimento, 155 cidades no Brasil devem ter algum tipo de protesto.

O caso

O Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) de São Paulo deteve na madrugada do dia 13 de janeiro uma mulher suspeita de matar 33 gatos e cachorros, e jogar os corpos na rua. A Polícia Militar (PM) recebeu denúncias de maus-tratos e localizou a mulher no bairro Vila Mariana. Os animais foram encontrados em sacos de lixo em frente à casa.

Na garagem da residência, havia diversas gaiolas para transporte de animais. Um detetive foi contratado por um grupo de protetores de animais, que desconfiou da atitude da suspeita, pois ela adotava um grande número de bichos. Ela chegou a ser vista jogando os animais mortos no lixo.

Com informações do Terra

__._,_.___


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRATAMENTO

PROTEÇÃO ANIMAL

CRUELDADE

GRATIDÃO

ESPECIAL

ALEGRIA

VÍTIMAS DA CAÇA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>