Lontra aparece em bairro de Santo André (SP)


Por volta das 9h de ontem (28), uma lontra foi encontrada na Vila Helena, em Santo André. O animal, que costuma viver perto de rios, estava em loja de carros na Rua das Hortências. A Polícia Militar Ambiental tentou resgatar a lontra dentro do estabelecimento, mas não obteve sucesso. O animal conseguiu fugir e ocupaou uma residência na Rua Áurea – um quarteirão distante do local em que foi visto pela primeira vez -, onde foi pego depois de receber injeção de tranquilizante.

A operação para resgatar a lontra durou cerca de três horas e contou com quatro homens da Polícia Militar Ambiental, quatro integrantes do Corpo de Bombeiros e o veterinário Marcelo da Silva Gomes, que aplicou o sedativo no bicho. Não há informações sobre a origem da lontra, que foi levada para o Zoológico de São Bernardo, no Parque Estoril, onde passa por análise. “Vamos ver se ele será solto na natureza ou mantido em cativeiro”, disse Gomes.

Segundo o biólogo Guilherme Domenichelli, esse animal vive perto de rios e não é encontrado em lugares urbanizados. “Pode ser que estava sendo criado em cativeiro e escapou. É impossível a lontra viver em águas poluídas da área urbana, porque se alimenta de peixes, que não são encontrados nos córregos sujos da região.”

Dois homens foram mordidos pela lontra e tiveram ferimentos leves na mão, sendo um deles integrante da Polícia Militar Ambiental. “Se o animal estiver contaminado pode causar doenças sérias, como raiva. É um bicho caçador, com dentes afiados e, como qualquer outro, ataca se estiver acuado ou ameçado”, salientou Domenichelli.

O animal causou curiosidade e medo por onde passou. “Nunca tinha visto isso. Ela veio da praça, se assustou com as pessoas da rua e correu para dentro da loja. Vi só o vulto. Depois que identifiquei o que era chamei a polícia”, afirmou Marcos Antonio de Carvalho, dono da revendedora de carros onde a lontra ficou por duas horas.

Carvalho suspeita que o animal estava sendo criado nas proximidades. “Na hora que a lontra apareceu, vi um senhor correndo atrás dela. Só podia ser alguém que já conhecia. Mas nunca tinha visto essa pessoa aqui pelo bairro.”

Mery Paulina Bertholdi, 71 anos, proprietária da casa onde o animal foi preso, também demostrou espanto com a situação. “Quando vi o policial na porta da minha casa achei que tinha algum ladrão. Depois que me falaram que entrou bicho, fiquei assustada e me deu uma tremedeira danada.”

Fonte: Diário do Grande ABC


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PRESERVAÇÃO

DESESPERO

CONSOLO

CALIFÓRNIA

ANGÚSTIA

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>