Polícia de GO quer saber onde está o corpo do yorkshire


Os crimes pelos quais vai responder a enfermeira de 22 anos acusada de espancar um cachorro da raça yorkshire até a morte serão maus-tratos e tortura psicológica de incapaz. A decisão foi tomada hoje pela Polícia Civil de Goiás, depois de um inquérito ser instaurado pela 11ª Delegacia Regional de Formosa. A investigação deve ser concluída na próxima semana.

Depois da divulgação no Youtube de um vídeo no qual uma suposta enfermeira agride o cachorro, a mulher passou a ser investigada pela Polícia Civil. No vídeo, a mulher chuta o cão e o arremessa contra a parede algumas vezes, além de utilizar um balde para agredi-lo na cabeça. Os ferimentos deixados no animal ficam por todo o corpo do animal.

Parentes e vizinhos da agressora estão sendo ouvidos para que se descubra o paradeiro do cadáver do animal. A polícia estabeleceu a data do crime como sendo 23 de novembro e o Ministério Público de Goiás vai cuidar do caso junto com a Polícia Civil.

A suposta agressora ainda não prestou um depoimento formal, mas compareceu à delegacia acompanhada de seu advogado e disse que tomou a atitude porque o cão dava “muito trabalho”.

Fonte: Jornal do Brasil


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PRESERVAÇÃO

DESESPERO

CONSOLO

CALIFÓRNIA

ANGÚSTIA

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>