Cão arrastado por carro em Piracicaba (SP) pode ter pata amputada


Cão já passou por uma cirurgia, mas risco de ter a pata amputada é grande (Foto: Karla Gigo/EPTV)

O rotweiller que foi arrastado pelo carro de seu tutor por pelo menos 1 km em Piracicaba, no interior de São Paulo, pode ter a pata amputada ainda nesta segunda-feira (7). “A chance de amputação da pata do cão é de 70%”, disse Armando Frasson, o veterinário responsável pelo caso. O animal já passou por uma cirurgia para evitar a amputação. Apesar disso, segundo Frasson, o sangue não está chegando corretamente à pata.

O veterinário esperava os últimos exames do cachorro nesta segunda para saber se a amputação vai ser necessária. Segundo ele, se comprovada a necessidade de amputar a pata, a cirurgia deve acontece ainda nesta tarde. “A lesão foi muito grande e complicada. Nós estamos tentando de todas as formas a preservação da pata, mas se não tiver como fazer, nós teremos que amputar”, comentou Frasson.

A presidente da ONG Vira-Lata Vira-Vida, Miriam Miranda disse que já havia sido informada da possibilidade. Ela socorreu o animal quando foi ele foi arrastado na quarta-feira (2). “Nós ficamos sabendo que a pata está sem irrigação e está muito fria. Se não tiver jeito, a única solução é a amputação, infelizmente”, comentou.

A ONG mantém na internet uma página onde são divulgadas informações sobre o tratamento do cachorro, chamado de Lobo. Segundo Miriam, o caso gerou uma repercussão muito grande e a ONG recebeu apoio de pessoas até mesmo de fora do país. “Foi um caso assombroso e nós recebemos solidariedade [de] pessoas querendo ajudar da Alemanha, Chile e Portugal”, disse.

Tutor

O tutor de Lobo foi localizado pela Polícia Civil na tarde de quinta-feira (3). O mecânico Claudio César Messias, que conduzia a caminhonete, disse que foi um acidente. Em depoimento à polícia, Messias afirmou que passeava com o cão, que pulou da carroceria da picape sem que ele notasse. “Só percebi que o estava arrastando quando um motoqueiro me parou e avisou. Fui embora porque achei que ele tivesse morrido, me deu um branco, um desespero e saí”, afirmou.

O delegado Wilson Sabino informou que será feita perícia na caminhonete e na corda que prendia o cachorro. Em seguida, as testemunhas serão ouvidas. “Vamos ver se há divergência entre o que ele disse e o relato das testemunhas. A princípio, o que eu penso é que é preciso ter cautela com os animais domésticos. Se ele queria passear com o cão na caminhonete, deveria se cercar de cuidados maiores”, disse o delegado.

O mecânico vai responder por abuso a animais, crime previsto no artigo 32 da Lei de Defesa ao Meio Ambiente. Ele aguarda o correr das investigações em liberdade, já que não houve uma situação de flagrante. Caso seja condenado, a pena pode chegar a um ano de prisão, além de multa.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

APELO

LUTO

FLORIANÓPOLIS (SC)

SÃO PAULO

INOVAÇÃO

AMOR

ESTUDO

ÁFRICA DO SUL

CÂNCER DE PELE

CONSERVAÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>