Cidade na Califórnia proíbe a caça aos coiotes e incentiva a convivência pacífica com os animais


Por Natalia Cesana  (da Redação)

Foto: Reprodução/Animals Change

A cidade de Calabasas, na Califórnia (EUA), orgulha-se de ser uma comunidade ambientalmente consciente.

Quando Randi Feilich Hirsch, representante do sul da Califórnia no Projeto Coiote, chamou atenção ao fato de que a região aprisionava e matava coiotes, algo não apenas desumano como uma ameaça ao equilíbrio ecológico, o governo resolveu agir. O Conselho Municipal suspendeu todas as armadilhas para coiotes e reviu a questão. As informações são da Animals Change.

Isso foi em julho. Agora, três meses depois, o Conselho Municipal de Calabasas proibiu permanentemente as armadilhas e adotou um modelo de convivência. Randi Feilich Hirsch não está sozinha nessa luta.

O Projeto Coiote trabalha com o Instituto pelo Bem-estar Animal (AWI, na sigla em inglês) e iniciaram uma campanha de apoio público para acabar com a política de matar os animais. Até o momento, mais de 9 mil pessoas apoiaram a proposta.

Randi Feilich Hirsch e Camilla Fox, diretora executiva do Projeto Coiote, trabalham com funcionários públicos do município para fortalecer o novo plano de gestão e mudar o foco da ação, ou seja, enfatizar a educação e desencorajar os atrativos que os animais silvestres despertam. A cidade já está usando recursos educacionais e transmitindo semanalmente o filme “Coiotes americanos: ainda um coração selvagem” na TV pública.

“Acreditamos que este é o melhor plano de convivência que já tivemos e estamos ansiosos para trabalhar nisso com o governo municipal, o Parque Nacional e outras agências de assistência à educação pública”, disse Camilla Fox. O plano de convivência foi recomendado por unanimidade pela Comissão de Meio Ambiente.

Camilla entregou a petição com 9 mil assinaturas e apresentou depoimentos em nome do Projeto Coiote e da AWI durante audiência pública antes da decisão do Conselho. Naquela noite, o Conselho Municipal votou a favor da proibição de que qualquer recurso municipal seja gasto com armadilhas para coiotes e pela adoção do plano que desloca o foco da atenção da matança para a convivência.

A prefeita de Calabasas, Mary Sue Maurer, apoiou entusiasticamente as mudanças propostas. “Com o conhecimento do Projeto Coiote e do Instituto pelo Bem-Estar Animal e do Parque Nacional, os moradores de Calabasas e os coiotes poderão ter benefícios mútuos e viver mais harmoniosamente. Encorajo todos os californianos que moram perto dos coiotes a procurar saber mais sobre estas criaturas maravilhosas”, disse.

“Isso só mostra que os cidadãos interessados podem falar em nível local e fazer mudanças políticas na cidade”, comemorou Feilich Hirsch. “Estamos otimistas que os moradores vão abraçar esse projeto e envolver-se ativamente na convivência com nosso vizinhos animais.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ESTUDO

FINAL FELIZ

MIGRAÇÃO

EXPLORAÇÃO

APELO

LUTO

FLORIANÓPOLIS (SC)

SÃO PAULO

INOVAÇÃO

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>