Ciência tenta explicar compulsão de pessoas por acumular animais


Lolette Robrahn, que tem compulsão por acumular gatos. Foto: Divulgação

Se você acha que seu animal dá trabalho, imagine morar em uma casa com mais de 200 gatos.

Esse é o caso mais grave que o doutor em psicologia clínica Corey Gonzales conheceu desde que começou a trabalhar com acumuladores de animais, há 18 anos.

“A casa era um caos”, contou. “Mas eles nem percebiam.”

A americana Bonnie Emory, que tem compulsão por acumular cachorros, é um dos casos mostrados na série. Foto: Divulgação

Gonzales é um dos especialistas que dão depoimento em uma série do Animal Planet sobre a compulsão por criar dezenas –e até centenas– de animais.

Nos 16 episódios, o espectador é levado a conhecer alguns casos bizarros, como os das famílias com 87 cachorros e 158 galinhas.

Entre eles, está o de um casal dorme no sofá da sala porque os três quartos da casa são ocupados pelos seus 50 gatinhos.

Jack Sparks com os cachorros que ele acumula em seu apartamento. Foto: Divulgação

Vício

Apesar de ainda não ser reconhecido como transtorno psiquiátrico, Gonzales explica que se trata de uma espécie de vício.

Ele diz que, muitas vezes, as famílias que enfrentam o problema não conseguem abrigar os animais com higiene e segurança.

“Para conseguir tratar, é preciso entender o que os animais significam para essas pessoas”, afirma Gonzales.

Christine Querveaux com os gatos que acumula em sua casa. Foto: Divulgação

Segundo ele, muitas vezes a compulsão começa depois de o paciente sofrer algum trauma.

A pessoa passaria a adquirir animais como forma de substituir algo que está faltando em sua vida.

Por isso, ele indica terapia para tentar diminuir gradualmente o problema.

NA TV
Acumuladores de Animais
Estreia da série
QUANDO hoje, às 22h, no Animal Planet
CLASSIFICAÇÃO 14 anos

Flossie em sua cama, com alguns de seus cachorros. Foto: Divulgação

 

Fonte: F5


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

COMPANHIA

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>