Gatos são violentados, sodomizados e mortos em parque do RJ


Fabiana Guaranho
fabiguaranho@gmail.com

Ajude enviando o texto aaixo para os seguintes emails: edupaes@uol.com.br; sepda.comunicacao@gmail.com; imprensa.prefeituradorio@gmail.com; chdimprensa@yahoo.com.br; luizleite@pcrj.rj.gov.br;

As autoridades precisam ter conhecimento do que está ocorrendo no Campo de Santana, apesar de entender que o mesmo seria desnecessário já que o Campo de Santana é administrado pela Fundação Parques e Jardins que, inclusive, possui a sua sede no local, bem como possui neste local funcionários e vigias, portanto, deve ser do conhecimento de todos os fatos que passarei a narrar.

Infelizmente nós, os voluntários do Campo de Santana, temos observado nas últimas semanas a redução da população de felinos do local, aliás, de todas as colônias existentes no Campo de Santana. Na semana passada fomos informados de que uma pessoa estaria envenenando gatos na área próxima à Central, colocando ração e após alguns minutos, depois do gato agonizar e morrer, retirando o corpo e colocando-o dentro de um saco.

Sou voluntária aos domingos e ao realizar o meu trabalho junto com outros voluntários no dia 04/09/2011, encontramos seis gatos mortos na mesma área, a saber, Presidente Vargas, entre a Central e a ponte. Retiramos os corpos para que fossem enterrados na área do bambuzal e tiramos algumas fotos que seguem em anexo.

Hoje foram encontrados mais dois gatos mortos. Os voluntários que encontraram os animais comunicaram o fato ao posto da SEPDA no local.

Este fato não é isolado, já que no mês de fevereiro dezenas de gatos “sumiram” do Parque sem qualquer explicação e no mês de junho houve quatro mortes violentas de felinos: sendo dois espancados, um outro teve a cabeça decepada e uma gatinha foi vítima de violência sexual, sodomizada com um objeto que lhe atravessou o corpo.

Sabemos que hoje a Guarda Municipal voltou a atuar no Campo de Santana, bem como ocorrem algumas rondas da Polícia Militar, mas que não obstam a atos de violência e mortes de felinos. Siruação inadmissível, até porque a fundação Parques e Jardins possui sede no local e tem que se responsabilizarpelo que ocorre dentro do Campo de Santana que é por eela administrado.

Não podemos aguardar que o prometido Gatil fique pronto para que os gatos do Campo de Santana parem de ser mortos, violentados e vítimas de maus0tratos. É obrigação do Poder Público a preservação e proteção dos animais e para isso já conta com o apoio de protetores e voluntários que despendem tempo e recursos financeiros para protegê-los.

Abandono, sujeira e violência

O Campo de Santana é um parque abandonado pelo Poder Público em que há uso de drogas, assaltos, moradores de rua dormindo em bancos ou mesmo no gramado, tomando banho nos lagos, bem como lavando suas roupas e fazendo suas necessidades fisiológicas junto às árvores centenárias. Além dos maus-tratos sofridos pelos felinos e animais silvestres, já que a alimentação disponibilizada pelo Parque está muito aquém de atender as necessidades diárias desses animais e preservar suas vidas e saúde.

Castração deficitária

Quanto à questão dos felinos, funciona um Centro Cirúrgico para a castração em que somente um dia da semana é disponibilizado para a castração dos gatos do Campo de Santana (quarta-feira) e são castrados somente cinco gatos por semana.

Ressalvando-se que a captura dos gatos para a castração é feita por voluntários, já que não existe nenhum funcionário municipal para fazer o serviço. A falta de espaço para o pós-operatório dos gatos, a limitação de um único dia da semana para a castração dos animais comunitários e falta de funcionário que capture para castração ao menos os gatos mais ariscos, torna a castração ds gatos do local é ineficiente e precária, impossibilitando o controle da colônia.

Fato facilmente observável com a quantidade de gatas prenhas espalhadas pelo Campo, sem contar nas que são retiradas pelos voluntários para lares temporários onde poderão ter com segurança seus filhotes.

O Centro Cirúrgico é limpo aos finais de semana pelos próprios voluntários que além de limparem as gaiolas, alimentam e colocam água limpa para os gatos. Durante a semana o trabalho é feito por funcionários da SEPDA, sendo que segundo os próprios, a limpeza do Centro Cirúrgico onde estão os gatos operados não é prioridade para eles (????!!!!!), o que é temerário já que os animais operados podem ficar expostos à sujeira e ao contato com os seus próprios excrementos!

Ambulatório

Quanto ao ambulatório do Campo de Santana é mantido por doações dos próprios voluntários e de terceiros, principalmente para medicamentos e produtos de limpeza!

São os voluntários que ficam no ambulatório todos os dias da semana e além de limpar as mais de sessenta gaiolas ajudam na medicação dos gatos doentes.

O local fica em uma área insalubre e infecta do parque, bambuzal, onde são feitos mutirões pelos voluntários para a limpeza do local, o que dveria ser feito por funcionários municipais da Comlurb, mais ao que prece isso também não é prioridade.

Donde se conclui, qual a prioridade para os Administradores do Campo de Santana? Manter o parque limpo e conservado? Parece que não, não é mesmo? Basta uma simples caminhada pelo lugar para vermos bancos quebrados, roupas lavadas e estendidas próximo ao lago, moradores de rua urinando e defecando em árvores centenárias, lixo amontoado próximo a área da Gruta e do Bambuzal, entre outras situações igualmente absurdas.

Seria a segurança? Novamente a resposta parece ser uma negativa, já que os frequentadores do Parque e transeuntes são frequentemente assaltados, animais são vítimas de violência e maus-tratos, usuários de drogas as utilizam em pleno dia na presença de todos.

Seria a proteção e preservação dos animais? Somente se fosse uma piada, já que aves e roedores têm uma alimentação extremamente precária além de não terem qualquer cuidado veterinário e ainda serem alvo de maus-tratos, apesar de em escala muito menor que a dos felinos.

Os gatos do campo de santana são vítimas corriqueiras de maus-tratos, violência, além da exposição a frio e chuva (já que os abrigos que existiam no parque, postos pela própria prefeitura, foram retirados e colocados na área insalubre do bambuzal, impedindo os animais de se abrigarem), fome (já que a quantidade de ração disponibilizada para eles não corresponde a 20% das necessidades mensais), mal são castrados (já que conforme exposto a castração é extremamente deficitária).

Será que somente com a construção do gatil, os gatos do campo de santana deixarão de sofrer? E até lá? Serão dizimados? Violentados? Passarão fome e frio?

Esperamos uma resposta rápida e eficiente do poder público quanto à violência e morte dos gatos do campo de santana. Somos cidadãos, cumprimos a lei, pagamos impostos e somos voluntários e protetores destes animais abandonados que. Aliás podem ter sido abandonados pelos seus tutores, nunca pelos seus protetores! Jamais!


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TAILÂNDIA

ESTUPIDEZ HUMANA

POLUIÇÃO

AUSTRÁLIA

ÓRFÃO

MALDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>