Documento revela maus-tratos a elefantes em circo dos EUA


Por Natalia Cesana  (da Redação)

Foto: PETA Files

O Circo Cole Brothers está na mira da PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) enquanto os artistas se preparam para as quatro apresentações que farão durante o Devon Horse Show, em Devon, na Pennsylvania, nos EUA.

Segundo informações do jornal The Daily Local News, a PETA está tomando providências depois que um relatório apresentado pelo Serviço de Saúde Animal, um braço do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), acusa alguns dos artistas circenses de abusar e maltratar animais durantes as apresentações.

“A gravidade das violações é enorme. Temos o descumprimento constante das recomendações de cuidados veterinários, manuseio e licença”, diz o relatório, que contém nove páginas listando várias infrações à Lei de Bem-Estar Animal.

“Observamos que um elefante chamado Boo tinha excesso de pele morta, a urina queimava e tinha coloração diversa da habitual, as unhas eram excessivamente longas, entre as dobras da pele havia sujeira presa. Dentro do canal auditivo esquerdo haviam muitas feridas que drenavam pus. O responsável não conseguiu responder ao veterinário questões sobre a saúde do animal, além de demonstrar não conhecer os mecanismos de conteção de emergência, como administrar medicamentos ou os protocolos de recaptura, violando deliberadamente os ‘regulamentos’.”

Foto: PETA Files

As violações apresentadas vêm ocorrendo desde 2007.

De acordo com o porta-voz do Departamento de Agricultura, Dave Sacks, a agência não pode mais regular o Circo Cole Brothers porque eles não têm licença de exibidos emitida pela USDA.

Entrentanto, não está claro quando o Departamento de Agricultura fez as acusações. Documento enviado por Dave Sacks lista violações ocorridas em 18 de julho de 2010. Mas em outros trechos, a data é 18 de julho de 2011.

A PETA enviou um comunicado à imprensa informando sobre as denúncias feitas pela USDA. Delcianna Winders, diretora da organização, orientou que as pessoas não levem seus filhos ao circo. “Esperamos que a ação do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos notifique os circos de que se eles tratarem os animais com crueldade, justiça será procurada. Nós pedimos ao público que não levem as crianças a circos com animais, porque audiência sustenta o sofrimento”, disse no comunicado.

Quem tiver interesse em escrever diretamente para o circo pode acessar o site oficial do Cole Brothers.

Nota da Redação: Apesar das incessantes informações, apelos e crescentes campanhas que educam o olhar humano para uma atitude compassiva em relação aos animais, é lamentável que ainda se utilizem animais para servir ao entretenimento humano (e pior: que isso ainda seja permitido como uma atividade legal). Lugar de animal é livre na natureza, junto à sua família e ambiente natural. Manter um animal confinado, seja em um circo, um zoo, ou qualquer outro gênero de cativeiro imposto pelos humanos, já é em si um ato de violência que fere os direitos fundamentais desses seres e ainda acaba por comprometer seriamente a dignidade humana perante os animais não-humanos e toda a natureza.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSCIENTIZAÇÃO

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>