Artista paulistana ajuda os animais por meio da arte inspirada nos felinos


(da Redação)

Artista brasileira especializada em pinturas felinas foi convidada a participar da 8° Bienal de Firenze

Gato espreguiçando no Bambuzal (Arte: Virginia Caldas)

Inspirada na natureza e nos animais – principalmente nos felinos, que são a marca registrada de seu trabalho – a publicitária e ilustradora Virgínia Caldas é um exemplo de artista que agrega consciência e arte em seu trabalho.

“Nada melhor do que o gato para representar essa ‘nova’ cultura, e dar-lhes a doçura que eles merecem e para tentar minimizar o estigma  negativo que existe  sobre eles”, explica a artista.

Centenas de suas telas com a temática animal estão espalhadas por todas as partes do Brasil, além de países como Argentina, Canadá, Estados Unidos, França, Grécia, Irlanda , Itália, Portugal , República Dominicana, Suiça e  Nigéria.  Neste ano, Virgínia foi convidada a participar da 8° Bienal de Firenze.

Há 13 anos atuando com pintura e desenho, a artista descreve o prazer de criar e fala sobre a necessidade de homenagear os animais: “Desde criança vivo na companhia dos animais.  Nasci numa família de veterinários: meu avô, meu pai , três irmãos, dois cunhados e quatro sobrinhos se dedicam à veterinária. Durante alguns anos fiquei dividida entre seguir a profissão da família ou me dedicar a alguma área ligada às artes. O lado artístico falou mais alto, mas hoje vejo a  forte influência familiar em ‘amar os animais’ e minha vocação, unidas,  quando retrato  os gatos em minhas telas”.

Obra "Psicodélico", de Virgínia Caldas

Virgínia, que se autodenomina uma artista-ilustradora da cultura “cute-kawaii” (desenhos infantilizados que agradam também aos adultos) pinta telas, ilustra livros infantis e faz arte aplicada com seus desenhos.

Há três anos, a artista também passou a se dedicar a aplicar seus desenhos de gatos em produtos customizados como eco-bags, camisetas, chinelos, almofadas e nécessaires.

Parceira de ONGs como Adote um Gatinho e O Time do Tigor, Virgínia doa parte da venda de seu trabalho para a causa animal e defende a importância de contribuir: “Luto em defesa da proteção dos gatos, que sofrem maus-tratos constantes nas ruas e apoio protetoras independentes como Matilha Urbana, Time do Tigor e Rosélia Proteção Animal  (todas de São Paulo), que fazem um trabalho difícil e admirável  com os gatos abandonados, resgatando-os das ruas, prestando o socorro necessário, acolhendo-os em seus abrigos ou residências e tratando de suas adoções. Mas, para isso, dependem de contribuições de simpatizantes dessa causa para continuarem o seu  trabalho”.

Para conhecer mais sobre a obra dessa artista ou adquirir algum de seus produtos, acesse aqui.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO

VISIBILIDADE

CANADÁ

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>