Quênia queima marfim e condena caça de elefantes


O presidente do Quênia, Mwai Kibaki, queimou quase cinco toneladas de dentes de marfim, avaliados em 16 milhões de dólares, como rejeição à caça de elefantes.

Kibaki protagonizou o simbólico ato na Escola de Proteção da Flora e Fauna do Quênia, em Manyani (leste), segundo o jornal Daily Nation, o principal do país.

O presidente acendeu uma fogueira com uma madeira que tinha aderida em seu extremo um chumaço empapado de combustível, dando início à queima de 335 dentes de elefantes e mais de 41 mil esculturas.

Segundo outros meios de comunicação, esse marfim foi confiscado pelas autoridades de Cingapura em 2002 e transportado em 2004 ao Quênia, onde provas de DNA determinaram que sua origem se encontrava em Malawi, Tanzânia e Zâmbia.

“Com a queima deste marfim contrabandeado, enviamos uma clara mensagem aos caçadores e aos comerciantes sobre nossa determinação coletiva de lutar contra esse delito em nossa região e para além”, precisou Kibaki.

Fonte: Prensa Latina


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL

SOLIDARIEDADE

GESTO DE AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>