Grupo realiza ação de conscientização contra o uso de animais nas universidades


Por Giovana Chinellato (da Redação)
Foto: Divulgação

Na manhã desta quarta-feira (13), doze ativistas independentes e duas representantes da ong OBA Floripa e do Projeto Adote um Orelhudo reuniram-se em frente ao Restaurante Universitário da UFSC (Florianópolis) para conversar sobre objeção de consciência com os estudantes que aguardavam na fila para almoçar.

Com uma barraca, panfletos, cartazes e documentos que demonstram quais são as alternativas, os ativistas explicaram aos estudantes de cursos que têm aulas práticas com animais que caso não queiram participar das mesmas, eles podem recorrer à lei e o professor é obrigado a fornecer alternativas. A UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) tem um biotério de onde são encaminhados 500 ratos e comundongos por semana para pesquisas, além de beagles, pombos, cabras, sapos.

“Estou chocada. Eles têm mesmo duzentos beagles no biotério?”, foi o comentário de uma estudante de arquivologia que parou na barraca após receber um panfleto. A reação de espanto foi recorrente, já que os alunos de cursos sem animais sequer sabiam da existência dos biotérios. Mais de 120 assinaram imediamente o abaixo-assinado que visa propor um projeto de lei proibindo uso de animais no ensino em Santa Catarina.

Foto: Divulgação

Com exceção de alguns poucos, os alunos de medicina, farmacologia, biologia, odontologia, psicologia e educação física também se interessaram pela causa, e muitos pediram o contato dos ativistas para organizarem o pedido de objeção em conjunto. “Eu já me informei disso logo que entrei, é ótimo encontrar vocês aqui hoje”, comentou um calouro do curso de medicina. “Tenho, inclusive, vários amigos que se interessaram também. Vou até levar alguns panfletos a mais.”

O curso de medicina, na UFSC, é o que tem mais aulas práticas com animais, incluindo matérias obrigatórias com ratos e optativas com beagles.

Há dois anos, um grupo de alunos levou o pedido de objeção à justiça e conseguiu poupar-se das aulas práticas. Não se sabe a influência dessa atitude na retirada da matéria de práticas cirurgicas em beagles da grade de obrigatórias.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SEGUNDA CHANCE

INSPIRAÇÃO

DESCARTE IRRESPONSÁVEL

BOA AÇÃO

CHINA

HEROÍNA

FINAL FELIZ

PAUTA EMERGENCIAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>