Por Vanessa Perez  (da Redação)

Campo de extermínio: a previsão neste ano na Namíbia é de que cerca de 85 mil filhotes sejam mortos (Foto: Craig Mattews)

Para que sintam “menos dor”, os filhotes são mortos com uma barra que tem um prego na ponta.

Celebridades locais estão emprestando sua voz para as organizações Fur Free South Africa ans Beauty Without Cruelty para “parar o massacre”, segundo informações do jornal Times Live.

“Seals of Nam” está sendo lançado com a participação de celebridades como o cantor Danny K, Cito e Louise Carver, bem como o Sr. África do Sul, Denver Burns.

O presidente da Fur Free, Anneke Brits, disse: “Estamos convidando as pessoas para boicotar a indústria do turismo da Namíbia. Não podemos apoiar a Namíbia, embora seja um país vizinho, quando se permite que esta prática cruel continue. Esperamos que om esta pressão, os líderes da Namíbia percebam a insensatez do que estão fazendo. ”

Tal prática, que as autoridades da Namíbia permitem que aconteça, destina-se a gerir e proteger seus recursos pesqueiros e ocorrem por volta de julho de cada ano.

Durante esse tempo, até 100 mil focas adultas e filhotes são mortas no Cape Cross, ao norte de Henties Bay – uma popular área turística.

Burns disse que ele nunca mais “irá a Windhoek Lager novamente e não vai visitar a Namíbia, até que parem este massacre. Se podemos colocar pressão sobre as empresas da Namíbia e ter um impacto sobre sua economia, as empresas podem colocar pressão sobre o Governo para parar com isso. ”

Gideon Shilongo, porta-voz da Namíbia Breweries, afirmou que a companhia entendeu a necessidade de uma gestão sustentável dos recursos naturais, foi difícil defender o atual “doloroso e cruel” modo de abate de ocas.

Mas ele insistiu que a campanha contra o abate não deve pedir um boicote aos produtos da Namíbia, pois isso pode ter um “impacto amplo negativo na nossa qualidade de vida e sócio-econômica”.

Solicitado a comentar esta semana, o porta-voz do Ministério da Namíbia das Pescas e Recursos Marinhos, Albert Mbanga, respondeu: “Por que você quer saber? Que negócio é esse de seu?”

Empresária Jenna Clifford, que está envolvida na campanha, disse:.”É absolutamente desumano o que acontece nesse país. Você poderia imaginar o que alguém como Angelina Jolie, cujo filho nasceu na Namíbia, diria sobre algo tão desumano como isso? Se podemos fazer isso aos animais, aos seres vivos, o que dizer sobre nós seres humanos? ”

O cantor e compositor Verity disse: “Eu não posso nem ver isso no YouTube. Isso é doente e cruel, e terei prazer em apoiar um boicote se isso significa colocar um fim a este ato sádico.”

François Hugo, fundador da Seal Alert SA, disse que ele apoia “qualquer tipo de pressão sobre a Namíbia para parar este massacre”.

O ambientalista Patrick Dickens disse que os pescadores da Namíbia têm quotas anuais, acrescentando que ele descobriu que a matança prevista para este ano resultaria em cerca de 85 mil filhotes de focas.

“Para os próximos 139 dias, os filhotes aterrorizados serão separados de suas mães e violentamente espancados até a morte”, disse ele. “A areia da praia fica manchada de rosa por conta de todo o sangue. As carcaças são jogadas em veículos de espera, e os tratores limpam a praia antes que os turistas cheguem.”

As autoridades da Namíbia tem um contrato com uma empresa australiana, que compra as peles e vendem para aqueles que fabricam, entre outras coisas, casacos de peles.

O contrato do empresário Hatem Yavuz ‘s com o governo da Namíbia vai até 2019. Em uma entrevista com uma agência de notícias Turca em 2009, defendeu sua empresa dizendo: “. Peles de focas são especialmente populares no Extremo Oriente, e os milhões de focas que vivem na costa da Namíbia, estão prejudicando o ambiente de lá”.

Ele disse que enquanto os machos adultos foram mortos com espingardas, os filhotes foram espancados até à morte: “Para que eles se sintam menos dor, eles precisam ser mortos com uma barra que tem um prego.”

O abate de focas também ocorre no Canadá, enquanto Vladimir Putin proibiu o abate em 2009, chamando-a de “comércio sangrento”.

Embora o Canadá seja considerado como tendo o maior massacre, a fixação de quotas tão elevada como 330 mil em 2010, declinou atualmente.

A África do Sul proibiu a matança de focas no início de 1990, e a importação de produtos derivados deste animais foi proibido pela União Europeia em 2009.

18 COMENTÁRIOS

  1. É de perder a voz, não sei mais o que penso gostaria de estar lá e sugurar esses bebês focas no colo, e suas mães que ficam encurraladas sem poder fazer nada. Paisinho de quinta ninguém deveria ir lá mais e quem compra essa pele é tao podre quanto quem mata e retira ela dessas inocentes vidas.

  2. “… e os milhões de focas que vivem na costa da Namíbia, estão prejudicando o ambiente de lá”.
    As pessoas precisam entender que os intrusos somos nós SERES HUMANOS e quem prejudica o ambiente também somos nós.
    Então vamos exterminar os seres humanos. hahaha

  3. isso acontece nos dias de hoje, por causa de vcs mulheres, que adoram um casaco de pele, o que nao e` de muitas aqui, to falando de outras vadias e vagabundas por ai que adoram vestirem peles de animas.Mas, olha so, este negocio de pele, abate animal em massa, só acabara quando acabar com o consumindor, e` igual a drogas, só tem o traficante porque tem o usuário. Então, morte aos Usuários de pele de animais, só assim par resolver o problema.